Vôlei

Liga das Nações de Vôlei Masculino: Brasil oscila, mas tem chances de ganhar três seguidas em Goiânia

Seleção Brasileira de Vôlei Masculino
Foto: Marcelo Zambrana/Inovafoto/CBV

Seleção comandada por Renan venceu Sérvia e Alemanha e perdeu para a Itália de Zaytsev – o caminho jogando em casa deve ser mais tranquilo                       

A seleção brasileira de vôlei masculino vai viver um fim de semana especial. Depois de dez anos, a equipe volta a jogar em Goiânia, e a sequência da Liga das Nações é das mais acessíveis para que este reencontro ocorra mesmo com clima de festa e com vitórias em quadra. Desta sexta até domingo, o Brasil comandado por Renan Dal Zotto enfrenta Coreia do Sul, Japão e Estados Unidos, exatamente nesta ordem. A primeira partida será às 15h05 (de Brasília) desta sexta (31), e qualquer resultado que não uma vitória por 3 sets a 0 sobre os coreanos seria realmente uma grande zebra.

 

Altos e baixos no início

Esta é a segunda semana da Liga das Nações, competição que entra no calendário no lugar da Liga Mundial de Vôlei. O Brasil disputou três partidas na etapa de Kraljevo, na Sérvia, na semana passada, e obteve duas vitórias e uma derrota. Os triunfos foram tranquilos, contra a Sérvia e a Alemanha, por 3 sets a 0, enquanto a partida contra a Itália foi uma verdadeira batalha vencida pela Azzurra por 3 a 2, com 15/8 no quinto set.

O Brasil fechou a última semana da Liga das Nações com a seguinte equipe: William, Wallace, Éder, Isac, Maurício Souza e Lipe, além do líbero Murilo. Renan sabe que a competição é desgastante e que haverá a necessidade de se fazer um óbvio rodízio entre seus jogadores, pois são cinco semanas de fase classificatória e mais uma semana decisiva, que desta vez será disputada na França, com a garantia da forte seleção da casa como classificada.

A grande força brasileira no ataque até aqui está vindo do oposto Wallace, que terminou o jogo contra a Alemanha, por exemplo, com 16 acertos (14 de ataque, um bloqueio e um saque). Outro destaque foi o levantador William. “Eu me divirto dentro de quadra e tento passar isso. Com o tempo, vamos aprendendo a jogar de uma maneira mais gostosa e estar aqui é bom demais. Existe um time base e tem que ser assim, mas, quando temos a oportunidade, temos que jogar da melhor maneira possível, tranquilo, e acho que foi isso que aconteceu”, disse, a respeito da sua entrada no lugar de Bruninho contra a Alemanha.

O técnico Renan aprovou o desempenho da sua equipe, mas exige reparos em setores específicos. “Nossa missão foi quase cumprida na sua totalidade. Saímos da Sérvia com sete pontos, em um grupo extremamente difícil, com duas grandes seleções do voleibol mundial, que são Sérvia e Itália, então saímos com uma pontuação importante, mas não totalmente satisfeitos porque queríamos a vitória sobre a Itália.”

O técnico aprovou também o rodízio entre os seus jogadores. “Mesmo em um grupo tão difícil nesta primeira fase, era fundamental fazer com que todos atuassem, mas sempre com o pensamento de vencer. Precisamos crescer. Isso é claro. Precisamos de tempo para treinar e ajustar as coisas.”

O Brasil conta em Goiânia com os seguintes jogadores: os levantadores são Bruninho e William; os opostos, Evandro e Wallace; os centrais, Maurício Souza, Lucão, Isac e Éder; os ponteiros, Maurício Borges, Lipe, Douglas Souza e Léo, e os líberos, Thales e Murilo.

 

E como segue?

Depois de Goiânia, o Brasil viaja para Ufa, na Rússia, para enfrentar as seleções de Rússia, Irã e China na terceira semana de jogos, de 8 a 10 de junho. A quarta semana será em Varna, na Bulgária, enfrentando a seleção da casa e mais Canadá e França entre 15 e 17 de junho. O Brasil continua na Liga das Nações precisando viajar até a Austrália, quando enfrenta os australianos, os argentinos e os poloneses de 22 a 24 de junho. Será realmente uma maratona de jogos e de viagens.

Os cinco melhores times da fase de classificação se somam à França para a etapa final, que será jogada em Villeneuve-d’Ascq, de 4 a 8 de julho.

 

Palpite

Três vitórias brasileiras em Goiânia, com 3 sets a 0 sobre a Coreia e o Japão e um triunfo mais apertado, até mesmo por 3-2, contra os Estados Unidos no domingo.

 

Jogos da Liga das Nações de Vôlei Masculino – etapa de Goiânia

Sexta-feira, 1º de junho 

  • 12:15 – Japão x Estados Unidos – Palpite: EUA
  • 15:05 – Brasil x Coreia do Sul – Palpite: Brasil 

Sábado, 2 de junho 

  • 08:35 – Brasil x Japão – Palpite: Brasil
  • 11:10 – Coreia do Sul x Estados Unidos – Palpite: EUA

Domingo, 3 de junho 

  • 10:05 – Coreia do Sul x Japão – Palpite: Japão
  • 12:40 – Brasil x Estados Unidos – Palpite: Brasil

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.