Ganhador.com

Vôlei

Mundial Masculino de Vôlei: Brasil cresce na hora certa e, quem diria, vira favorito ao título!

Seleção Brasileira de Vôlei Masculino
Foto: Divulgação/FIVB

Equipe comandada por Renan dal Zotto deixa o mundo de boca aberta com uma virada sensacional sobre a poderosa Rússia

Espetacular, sensacional, histórico, empolgante. Escolha a palavra que quiser. Em um jogo que já está na história do vôlei brasileiro, a seleção treinada pelo técnico Renan dal Zotto reverteu todos os prognósticos e alcançou uma virada arrasadora sobre a Rússia no Mundial de Vôlei.  A partida foi realizada em Turim e valeu pela abertura da Fase Final da competição, com resultado final de 20/25, 21/25, 25/22, 25/23, 15/12 para os brasileiros.

O Brasil teve, de longe, sua melhor atuação na temporada, mas convém não relaxar. Já nesta sexta (27), às 12h, a equipe enfrenta outra pedreira – os Estados Unidos, que jogam contra os russos no mesmo horário desta quinta. O SporTV 2 transmite o duelo brasileiro ao vivo.

Wallace brilha outra vez

O oposto Wallace acabou com os russos, sendo o maior pontuador do Brasil, com 21 acertos, sendo 18 de ataque, um de bloqueio e dois de saque. Ele foi o ponto alto de uma grande atuação coletiva, mas quem também merece destaque é o ponteiro Lipe, com 15 pontos (13 de ataque e dois de bloqueio) e muita entrega durante todos os cinco sets.

“Quando acabou o primeiro set, eu falei que estávamos no controle do jogo, que eles não estavam sacando com toda a força”, analisou Lipe. “Estávamos perdendo algumas bolas de contra-ataque, sentia que nós tínhamos o controle do jogo, mas faltava alguma coisa para deslanchar. O Renan acertou muito nas substituições, o trabalho de equipe é assim, entra um para mudar o jogo e consegue.”

O Brasil, de fato, usou e abusou do seu banco e conseguiu mexer com a cabeça dos russos, que tiveram realmente uma atuação aquém do esperado, especialmente no ataque.

O técnico Renan, claro, estava eufórico com a melhor atuação da seleção brasileira sob seu comando. “Todos foram muito bem, do Bruno, capitão, ao Maique, jovem de 20 anos, que entrou com muita personalidade, muita coragem”, destacou o comandante brasileiro.

“A comemoração acaba aqui. Vamos descansar e pensar já no time dos Estados Unidos, uma equipe que conhecemos muito bem”, seguiu. “Não muda muito o planejamento, só se eles vencerem a Rússia, isso já nos garante, mas não tem que pensar sendo dependente de ninguém, não. A seleção norte-americana nós conhecemos muito bem, vamos fazer a nossa parte, descansar, treinar bem e estudá-los”, concluiu Renan.

Vale ressaltar que o Brasil é a maior potência do Mundial na atualidade: foi campeão em 2002, 2006 e 2010 – em 2014, terminou como vice, sendo superado na decisão pela Polônia, que jogava em casa.

O Brasil atuou nesta quarta com os seguintes titulares: Bruno, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Lipe e Douglas. O líbero foi Thales. Evandro, William, Isac, Maique, Kadu saíram do banco.

Já a Rússia, que entrava como grande favorita não só para ganhar a partida, mas também conquistar o campeonato, atuou com os seguintes titulares escolhidos pelo técnico Sergei Shliapnikov: Butko, Mikhaylov, Kurkaev, Muserskiy, Kliuka e Volkov. O líbero foi Alexey Verbov. Entraram Poletaev, Grankin e Berezhko.

Itália dá vexame em casa

Empurrada pela sua fanática torcida, a Itália mostrou que está mesmo alguns degraus abaixo das demais forças do vôlei. Na hora da decisão, a Azzurra empacou e foi atropelada pela Sérvia, que atuou de maneira impecável e ganhou por 3 sets a 0, parciais de 25/15, 25/20 e 25/18.

A partida teve superioridade sérvia por todo o tempo – a atuação fez lembrar os melhores momentos da temporada russa, com uma violência impressionante nas ações ofensivas. Um número é suficiente para demonstrar a diferença de desempenho de ambas as equipes. Os italianos terminaram a partida com 24 pontos de ataque, enquanto os sérvios conquistaram nada menos que 40 pontos da mesma maneira.

Itália, Sérvia e Polônia integram o Grupo J, enquanto Brasil, Rússia e Estados Unidos estão na chave I. Os dois melhores de cada grupo avançam para as semifinais que serão disputadas no sábado, com a decisão ocorrendo no domingo, sempre no Pala Alpitur, de Turim.

Jogos da Fase Final do Mundial de Vôlei Masculino

Quarta-feira, 26 de setembro
  • Brasil 3×2 Rússia
  • Sérvia 3×0 Itália
Quinta-feira, 27 de setembro
  • 12:00 – EUA x Rússia – Palpite: Rússia
  • 15:30 – Polônia x Sérvia – Palpite: Polônia
Sexta-feira, 28 de setembro
  • 12:00 – Brasil x EUA – Palpite: Brasil
  • 16:15 – Itália x Polônia – Palpite: Polônia

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar