Eliminatórias da Copa do Mundo 2018

Suposto doping de Paolo Guerrero rouba a cena da Repescagem da Copa do Mundo

Foto: AP Photo/Martin Mejia

Austrália ou Honduras? Nova Zelândia ou Peru? Afinal, quem vai à Copa?

As Eliminatórias da Copa do Mundo chegam à sua última data FIFA. É preciso definir os últimos quatro classificados europeus, os derradeiros três africanos e os dois que precisaram passar pela etapa intercontinental e é este o nosso foco. A Austrália, quinta colocada da Ásia, encara Honduras, quarta da CONCACAF. Já o Peru, quinto da América do Sul, enfrenta a Nova Zelândia, vencedora da Oceania.

 

Nova Zelândia x Peru

Campeão da Copa América de 1939 e 1975, o Peru chegou à Copa do Mundo em 1930, 1970, 1978 e 1982. Na atual campanha, somou 26 pontos em 18 jogos no torneio da CONMEBOL. A vaga automática escapou por um ponto e os Incas eliminaram os chilenos no saldo de gols.

A Nova Zelândia participou da grande festa do velho esporte bretão apenas em 1982 e em 2010. Na Oceania, passou por Fiji, Ilhas Salomão, Nova Caledônia, Papua Nova Guiné e Vanuatu, antes de decidir a vaga na Repescagem contra as Ilhas Salomão. Foi um passeio: 6 a 1 e 2 a 2.

Apesar da eliminatória valer uma vaga para conhecer o Kremlin, o suposto doping de Guerrero foi a notícia mais comentada do embate. Ele foi pego no exame realizado após o confronto com a Argentina. A substância encontrada foi a benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína, que também está presente nos chás da folha de coca, bebida típica da região andina. A FIFA o suspendeu provisoriamente e o atacante sequer pode treinar no Flamengo. A defesa do artilheiro está confiante em sua absolvição e já solicitou o resultado da contraprova. A federação internacional deve ouvir o atleta nos próximos dias.

A ansiedade pela vaga em Lima é tanta – são 35 anos de jejum – que o Green Day foi obrigado a antecipar em dois dias e mudar o local do show para não concorrer com a partida de volta. A seleção alvirrubra é muito mais experiente que a sua rival. No Brasil, atuam Trauco (no Flamengo) e Cueva (no São Paulo), além de Guerrero. Metade da esquadra joga na liga doméstica e os demais estão espalhados por Europa, México, Major League Soccer e Equador.

A Oceania não deveria ter uma confederação só para ela pois, com a mudança da Austrália para a Ásia, a região ficou composta apenas por pequenas nações insulares. Não dá para avaliar o quadro neozelandês, que cruzou com adversários sem expressão planetária. O time é forte na bola parada e reforçou os treinamentos de faltas e escanteios.

 

Possíveis escalações

Nova Zelândia: Stefan Marinovic; Storm Roux, Deklan Wynne, Themistoklis Tzimopoulos e Andrew Durante; Marco Rojas, Bill Touiloma e Ryan Thomas; Michael McGlinchey; Monty Patterson e Kosta Barbarouses. Técnico: Anthony Hudson.

Peru: Pedro Gallese; Aldo Corzo, Christian Ramos, Alberto Rodríguez e Trauco; Yoshimar Yotún, Renato Tapia, André Carrillo e Cueva; Raúl Ruidíaz e Edison Flores. Técnico: Ricardo Gareca.

 

Palpite

Nem pisco! Peru 2 a 0 fora de casa e espero goleada no segundo capítulo, agendado para semana que vem. Além de mais experiente, o Peru luta para quebrar o longo jejum sem participar da Copa do Mundo. Duvido que os frios All Whites resistam à pressão da torcida sul-americana! Peru não é Vanuatu!

 

Honduras x Austrália

Honduras foi isenta de três mata-matas preliminares na CONCACAF. Depois, concluiu em segundo a chave que tinha o México. Os alvianis desclassificaram Canadá e El Salvador. No hexagonal final, perdeu a vaga na Rússia para o Panamá no saldo de gols, mas foi o suficiente para eliminar Estados Unidos e Trinidad & Tobago. México e Costa Rica também carimbaram seus passaportes. Os Catrachos tentam participar do terceiro Mundial seguido, pois estiveram presentes em 2010 e 2014, além de 1982.

A Austrália encarou uma verdadeira maratona para chegar até aqui. Em seu percurso, bateu Bangladesh, Emirados Árabes, Iraque, Jordânia, Quirguízia, Síria, Tadjiquistão e Tailândia. As duas vagas de seu grupo acabaram ficando com Japão e Arábia Saudita. Os Cangurus já estiveram nas Copas de 1974, 2006, 2010 e 2014.

O professor Ange Postecoglou está sob imensa pressão em seu país. Tudo começou quando a Austrália titubeou e acabou não garantindo uma das vagas asiáticas para a fase final. Depois, sofreu demais da conta para superar os sírios. Sua demissão já foi cogitada algumas vezes. Os Socceroos fizeram o reconhecimento do Estádio Olímpico Metropolitano, ficaram assustados com a decadência do local, mas ficaram felizes por haver uma pista de atletismo, o que afasta um pouco mais a delegação dos torcedores, que devem fazer muito barulho.

Em campo, Honduras promete ir para cima. É assim que jogam os selecionados de Jorge Pinto. Por isso, dando espaços para contragolpe, a zaga catracha acaba sacrificada e acaba concedendo mais gols do que deveria.

 

Possíveis escalações

Honduras: Donis Escober; Bryan Beckeles, Maynor Figueroa, Ever Alvarado e Henry Figueroa; Alexander López, Alfredo Mejía, Jorge Claros e Romell Quioto; Alberth Elis e Eddie Hernández. Técnico: Jorge Pinto.

Austrália: Mathew Ryan; Mathew Jurman e Trent Sainsbry; Milos Degenek, Brad Smith, Mark Milligan e Trent Sainsbury; Tim Cahill, Mathey Leckie Robbie Kruse, James Troisi e Tomas Rogic. Técnico: Ange Postecoglou.

 

Palpite

Vejo esta batalha bastante equilibrada. Honduras é mais coração. Austrália é mais técnica. Acredito que a primeira peleja termine 2 a 1 a favor dos centro-americanos, mas os anglófonos revertem a desvantagem semana que vem.

 

A tabela

Jogos de Ida:

  • Sexta-feira, 10 de novembro, 20h00: Honduras x Austrália – palpite: Honduras.
  • Sábado, 11 de novembro, 01h15: Nova Zelândia x Peru – palpite: Peru. 

Jogos de Volta:

  • Quarta-feira, 15 de novembro, 07h00: Austrália x Honduras – palpite: Austrália.
  • Quinta-feira, 16 de novembro, 00h15: Peru x Nova Zelândia – palpite: Peru.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar