Copa das Confederações

Portugal x Chile: vale vaga na final da Copa das Confederações

Foto: Buda Mendes/Getty Images

Bola rola a partir de 15h00 (de Brasília), em Kazan.

Uma semifinal bastante aguardada entre o campeão europeu e o bicampeão sul-americano. Apenas um poderá disputar a final contra Alemanha ou México. O perdedor se apresentará na disputa pela medalha de bronze. Em caso de empate, teremos prorrogação e, se necessário, pênaltis.

 

Histórico e palpite

Só tivemos dois encontros entre portugueses e chilenos ao longo da história. Em 1972, os lusos golearam por 4 a 1. Em 2011, aconteceu um empate em 1 a 1.

História à parte, nesta Copa das Confederações, o Chile ainda não foi aquele time que encantou o planeta futebol ao vencer a Espanha e encarar o Brasil de igual para igual no Mundial de 2014, e que conquistou duas vezes seguidas a Copa América.

Os sul-americanos tiveram atuação burocrática quando prevaleceram sobre Camarões (2 a 0); seguraram o empate com os alemães em 1 a 1 com lampejos de genialidade; e foram muito mal no empate com a Austrália, também em um gol. Vale lembrar que os germânicos não levaram para este torneio alguns de seus principais atletas.

Já Portugal, apesar do empate (2 a 2), foi melhor que o México durante boa parte dos 90 minutos. Bateram a Rússia com méritos (1 a 0) diante dos moscovitas que lotaram a casa do Spartak e atropelaram a Nova Zelândia por 4 a 0.

Os lusos parecem ter encontrado o brilhantismo que não tiveram na Eurocopa mas mantiveram a mesma eficiência. O ataque lusitano é poderosíssimo. Por tudo isso, creio que CR7 e companhia chegam mais preparados para esta eliminatória. Meu palpite é de Portugal 2 a 1.

 

O crescimento de Portugal

Portugal cresceu muito nos últimos dois anos, sobretudo graças ao desempenho de Cristiano Ronaldo com a camisa lusa. É preciso lembrar que na Copa do Mundo de 2014, os portugueses terminaram em terceiro em sua chave com derrota diante da Alemanha (4 a 0), empate com os Estados Unidos (2 a 2) e vitória sobre Gana (2 a 1). Antes, para chegar ao Brasil, precisaram superar a Suécia na Repescagem. A representação da Península Ibérica terminara a chave F com 21 pontos, um a menos que os russos, e à frente de israelenses, azeris, norte-irlandeses e luxemburgueses.

Depois do fracasso em sua antiga colônia, Portugal retomou o caminho das vitórias e chegou à Eurocopa de 2016 com sete vitórias e um derrota, numa chave que contou com Albânia, Dinamarca, Sérvia e Armênia. Na fase final, só conseguiu empatar contra Hungria, Islândia e Áustria – o suficiente para chegar ao mata-mata. A partir de então, a Seleção das Quinas não jogou bonito mas foi eficiente e bateu um a um seus oponentes: Croácia, Polônia (nos pênaltis), País de Gales e, finalmente, a França.

Nas eliminatórias para a Copa de 2018, o país estreou perdendo para a Suíça mas depois conseguiu 15 pontos em 15 disputados, contra Hungria, Ilhas Faroe, Andorra e Letônia.

É bom lembrar que o sucesso dos comandados de Fernando Santos é recente. Nem em 2004, jogando a Eurocopa em seu território, a nação havia conseguido vencer o campeonato europeu. A dedicação de CR7, ao lado dos talentosos Nani, Pepe, Rui Patrício, João Moutinho, Ricardo Quaresma e Cédric, colocaram o selecionado no primeiro escalão do futebol mundial.

 

O sempre perigoso Chile

Em 2015, o Chile recebeu a Copa América e deu a volta olímpica pela primeira vez em sua história. As vítimas foram Bolívia, Equador, México, Uruguai, Peru e Argentina (nos pênaltis).

Um ano antes, os chilenos haviam participado da Copa do Mundo do Brasil, por terem ficado em terceiro nas eliminatórias da CONMEBOL. Em território tupiniquim, a Roja bateu australianos e espanhóis, antes de perderem para os holandeses. Nas oitavas de final foram parados pelos pentacampeões mundiais nos pênaltis.

No verão passado, na Copa América dos Estados Unidos, os vermelhos estrearam perdendo para a Argentina mas depois tiveram êxitos contra Bolívia, Panamá, México, Colômbia e a Argentina (nos penalidades máximas) para faturar o bicampeonato.

Atualmente, os comandados de Juan Antonio Pizzi estão em quarto nas eliminatórias do Mundial do ano que vem. Os próximos duelos contra Paraguai, Bolívia, Equador e Brasil decidirão se os chilenos retornarão à Rússia em 2018 ou não.

Claudio Bravo, Mena, Isla, Alexis Sánchez, Arturo Vidal, Pablo Hernández, Medel, Jara e Aránguiz são os principais nomes desta geração.

 

As prováveis escalações

Portugal: Rui Patrício; Nélson Semedo, Pepe, Bruno Alves e Eliseu; Danilo Pereira, João Moutinho, Quaresma e Bernardo Silva; André Silva e Cristiano Ronaldo. Técnico: Fernando Santos.

Chile: Claudio Bravo; Isla, Paulo Díaz, Gonzalo Jara e Mena; Aránguiz, Francisco Silva e Vidal; Fuenzalida, Eduardo Vargas e Alexis Sánchez. Técnico: Juan Antonio Pizzi.

 

Semifinais:

Quarta-feira, 28 de junho:

  • 15h00: Portugal x Chile

Quinta-feira, 29 de junho:

  • 15h00: Alemanha x México

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar