UFC

Brasileiro protagoniza polêmica e deixa Dana White furioso após UFC Fight Night

Foto: Ethan Miller/Getty Images

O UFC Fight Night ocorrido no último domingo (25), em Oklahoma, reservou uma polêmica envolvendo um brasileiro. Depois de uma interrupção polêmica na luta principal do show, entre Kevin Lee e Michael Chiesa, Mário Yamasaki foi alvo de diversas críticas de lutadores e personalidades do mundo das lutas. Mas o desabafo mais irritado entre todos veio do presidente do UFC Dana White.

No duelo entre Lee e Chiesa, quando o primeiro tinha um mata-leão encaixado, Chiesa relaxou os braços por um segundo, o suficiente para fazer Yamasaki entender que ele estava apagado e encerrar o combate. Imediatamente após a interrupção, Michael se levantou e questionou a decisão de Mário, que pareceu se surpreender com a reação. A confusão deixou Dana White enfurecido. O presidente do UFC usou sua conta no Instagram para criticar o árbitro brasileiro, chegando a dizer que ele “só está preocupado em fazer coração com a mão” – marca registrada de Yamasaki em suas atuações no octógono.

O assunto, de fato, é polêmico. Yamasaki poderia esperar um pouco mais antes de encerrar a disputa. A velocidade com a qual ele interrompeu o combate ao ver Chiesa de braços relaxados dá brecha para esse tipo de reclamação. Eu concordo que Michael já estava fora de si, quase inconsciente, mas nesse caso era necessário esperar um pouco mais, para não deixar dúvidas. O risco, claro, seria ver o americano apagar no octógono. Nada incomum, mas ainda assim nós mesmos jornalistas sempre reclamamos quando árbitros não prezam pela integridade física, então é complicado apontar o dedo. O trabalho de um árbitro não é fácil e embora Mário pareça ter se precipitado, é bom notar que Chiesa dá sinais de inconsciência, mesmo que por poucos segundos. Não era para render tanta reclamação.

A interrupção polêmica de Yamasaki no UFC Fight Night:

Essa não foi a primeira vez que Dana White disparou contra árbitros que atuam no UFC. O dirigente sempre condena decisões erradas que influenciam e algumas vezes até prejudicam os resultados das lutas promovidas pela organização.

É bom deixar claro que Yamasaki não tem ligação com o UFC. Todo e qualquer árbitro designado para trabalhar nas lutas do UFC é escalado pela comissão atlética responsável pelo evento. O Ultimate não tem qualquer influência sobre a escolha dos profissionais que trabalham dentro do octógono ao lado dos atletas. Então não é porque Dana White se irritou com as ações de Mário Yamasaki que nunca mais o veremos no octógono. O brasileiro seguirá trabalhando normalmente nos eventos do UFC, assim como tantos outros criticados pelo dirigente.

Quanto ao erro de Yamasaki, é algo que acontece. É polêmico por acontecer em uma luta principal e da forma que foi, mas não deve ser tratado como um erro grotesco. Paciência. O brasileiro é experiente, estava “em cima do lance” e embora não tenha se justificado oficialmente, provavelmente quis prezar pela saúde do lutador. Segue a luta.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar