Copa das Confederações

Alemanha e México decidem vaga na final da Copa das Confederações contra o Chile

Foto: Francois Nel/Getty Images

Semifinal será às 15h00 de Brasília, em Sochi.

Nesta quinta-feira, Alemanha e México fazem a outra semifinal da Copa das Confederações. Quem vencer terá o Chile pela frente na final em São Petersburgo. Quem perder terá que encarar Portugal pela medalha de bronze, em Moscou.

 

Histórico e palpite

México e Alemanha decidiram a medalha de bronze da Copa das Confederações de 2005. Após um excelente empate em três gols nos noventa minutos, os germânicos ganharam a prorrogação por 1 a 0. Em outros três encontros, tivemos dois empates e outra vitória europeia. Em outras palavras, os mexicanos nunca ganharam da Mannschaft.

Meu palpite é de um empate em 2 a 2.  Explico porquê: o México tem jogadores mais experientes e motivados. Como nunca foram campeões mundiais, tentam se impor num torneio internacional menos prestigiado, apesar de contar com grandes seleções. O ataque promete gols, pois é muito forte com Chicharito e Vela.

Enquanto isso, a Alemanha não levou tão a sério este campeonato, apesar dos europeus nunca terem conquistado esta taça. O uso de reservas por parte do treinador Joachim Löw traz duas constatações contraditórias. A primeira é de uma equipe jovem, veloz, cujos jogadores ainda buscam seu espaço. Por outro lado, faltam entrosamento e experiência a estes atletas.

Mesmo com um time alternativo, os alemães não deixaram de ser eficientes. A defesa dos da América do Norte é fraca. Por isso é que prevejo gols para ambos os quadros. Talvez a prorrogação seja favorável aos europeus, que têm uma média de idade menor.

 

Como chegam para esta eliminatória?

Depois de ganhar da Austrália e de Camarões e de empatar com o Chile, a palavra muitas vezes ouvida nos treinos da Alemanha foi “respeito”. Respeito à essa nova geração, de novos craques, que desembarcaram na Rússia cercados por desconfiança e olhares tortos. A fábrica germânica de produção de novos talentos continua produzindo bons atletas. Para se ter uma ideia, um dos assistentes que trabalha na seleção é o atacante Klose, maior goleador da história das Copas e que tem uma única missão: treinar os atacantes dos uniformizados em branco e preto. No gol, Ter Stegen aproveitou a oportunidade que o destino lhe deu com a contusão de Neuer. O titular acabou nem sendo convocado para esta competição.

No México, a semana foi descontraída. A Tri sempre teve bons selecionados mas a “síndrome de vira-lata” atormenta o país. Ganhar uma competição de alto nível para provar ao mundo seu grande futebol é sempre um desafio. Os treinos antes da semifinal foram repletos de brincadeiras. O momento é ótimo e foi complementado com Chicharito, que se tornou o maior artilheiro do escrete em todos os tempos. Os latino-americanos não poderão contar com Salcedo, contundido, e Guardado, suspenso. Diego Reyes também sente dores e é dúvida. Na primeira fase, os camisas verdes superaram Nova Zelândia e Rússia, além de empatarem com Portugal.

 

As prováveis escalações

Confira os prováveis artistas desta noite.

Alemanha: Ter Stegen; Ginter, Rüdiger e Süle; Kimmich, Emre Can, Rudy, Demirbay, Draxler e Plattenhardt; Werner. Técnico: Joachim Löw.

México: Ochoa; Néstor Araujo, Diego Reyes, Héctor Moreno e Layún; Alanís, Héctor Herrera e Joanthan dos Santos; Carlos Vela, Chicharito e Lozano. Técnico: Juan Carlos Osorio.

 

Goleiro Bravo colocou o Chile na final

Não tivemos gols nem no tempo normal, nem na prorrogação. Quem não assistiu à semifinal não deve pensar que o jogo foi chato. Pelo contrário! Logo no começo, André Gomes, Vargas e André Silva perderam ótimas oportunidades de balançar as redes. Os dois oponentes se alternaram no controle da peleja. Na segunda metade, os sul-americanos dominaram e quase abriram a contagem com Vidal e com Vargas. CR7 teve finalmente uma boa chance aos 11’. A partir de então, as defesas anularam os atacantes.

A prorrogação foi dominada pela Roja. Sánchez quase fez de cabeça. Ele também sofreu pênalti não marcado pelo árbitro. A pressão foi tanta que nos últimos minutos Vidal acertou a trave em belo chute cruzado, e, no rebote, Rodríguez carimbou o travessão.

Nos pênaltis, o Chile marcou com Vidal, Aránguiz e Alexis Sánchez; enquanto que os lusos perderam com Quaresma, João Moutinho e Nani. O detalhe foi o goleiro Bravo, que defendeu todos os chutes dos cobradores.

 

Anote na agenda

A disputa pelo terceiro lugar acontecerá no domingo, às 09h00 de Brasília, no estádio do Spartak, em Moscou. Portugal aguarda o perdedor entre Alemanha e México para conhecer seu rival.

A grande final será na mesma data, só que a bola rolará a partir das 15h00 de Brasília, no estádio Krestovsky, em São Petersburgo. Um pouco antes, às 13h15, teremos a festa de encerramento, que trará um pouco de história, cultura e arte da capital imperial russa. Alguns segredos do show estão guardados mas sabe-se que Polina Gagarina, Egor Kreed, DJ Smash, a bailarina Vera Abuzova se apresentarão.

 

Semifinais da Copa das Confederações:

  • Portugal 0x0 Chile (0-0) (0-3) – quarta-feira, 28 de junho, 15h00
  • Alemanha x México – quinta-feira, 29 de junho, 15h00

     

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar