Vôlei

Liga das Nações de Vôlei Feminino: o que esperar do Brasil nesta terceira semana de jogos?

Seleção Brasileira de Vôlei Feminino
Foto: Gaspar Nóbrega/Inovafoto/CBV

 Seleção de José Roberto Guimarães soma cinco vitórias seguidas e luta, na Holanda, para manter a concentração e o bom nível apresentado na etapa da Turquia                       

Competição que ocupa o espaço no calendário que era do Grand Prix, a Liga das Nações de Vôlei tem, mais uma vez, o Brasil como grande destaque até aqui. A seleção comandada por José Roberto Guimarães está no bloco dos cinco países que ganharam quatro partidas e perderam apenas uma. Respeitando os critérios de desempate, a ordem nas primeiras colocações é a seguinte: Estados Unidos, Brasil, Sérvia, Turquia e Holanda aparecem no “top 5”. Todas as equipes disputaram duas etapas, e a terceira, para o Brasil, começa a ser disputada nesta terça (29), em Apeldoorn, na Holanda, quando a equipe enfrenta Coreia do Sul, Polônia e Holanda. Os jogos da seleção brasileira serão transmitidos ao vivo pelo SporTV 2.

 

Reação imediata

O Brasil estreou com derrota para a Alemanha em Barueri por 3 sets a 1 e depois arrasou todas as seleções que encontrou pela frente: Japão e Sérvia foram batidas por 3 a 1 no Brasil; e em Ancara, na Turquia, o Brasil fez 3 a 1 nas turcas e aplicou fáceis 3 a 0 em Argentina e República Dominicana.

A série de jogos que será realizada na Holanda promete ser mais difícil. É o que analisa a levantadora Roberta, um dos destaques do time comandado por José Roberto Guimarães.

“Estamos vindo de cinco vitórias, mas não podemos baixar a concentração, desde o início. Vamos enfrentar a Coreia, e é sempre difícil jogar contra as equipes asiáticas”, analisou a criativa atleta responsável por distribuir as bolas para o ataque brasileiro. “As coreanas jogam com velocidade, muitas mexidas, batidas contra o corpo e sem tanta potência de ataque. Temos que jogar muito concentradas com atenção no nosso saque e na defesa. Não será um jogo fácil e vamos tentar começar essa fase com vitória.”

A oposta Tandara, por sua vez, imagina que a ótima atuação brasileira na Turquia vai servir de alivio para a sequência da competição.

“Vamos iniciar a terceira semana com um jogo importante contra a Coréia do Sul. É um time asiático que joga muito rápido, trabalha a mão de fora no bloqueio, além das mexidas”, falou. “É um jogo parecido com o do Japão. Estamos treinando muito e sabemos da importância dessa semana para nossa classificação à fase final. Esperamos fazer uma excelente semana para sairmos daqui da Holanda com três vitórias.”

 

E como segue?

Embora tenha um outro nome e um formato levemente diferente para comportar mais seleções participantes – 16, agora – a Liga das Nações é bastante parecida com o Grand Prix, uma das competições mais extenuantes do esporte profissional.

A cada semana são formados quatro grupos com quatro seleções cada, definidos em sorteio. São cinco semanas de fase classificatória. O Brasil estreou em casa, viajou à Turquia, agora está na Holanda e ainda vai encarar jogos em Jiangmen (China) e Eboli (Itália) antes de encarar a Fase Final, que contará com as cinco primeiras colocadas e a China, o país-sede. A decisão será disputada de 27 de junho a 1º de julho.

O sistema de disputa da etapa decisiva também não difere em nada das versões anteriores do Grand Prix. As seis seleções participantes vão ser divididas em dois grupos de três times cada, e as duas melhores de cada chave avançam para a semifinal e a posterior final.

O Brasil conhece bem o caminho até a decisão da competição anual do vôlei feminino. A seleção é a maior ganhador da história do Grand Prix, com nada menos do que 12 conquistas, exatamente o dobro da segunda colocada neste ranking, a seleção dos Estados Unidos. Ao se observar o desempenho de ambas até aqui, não está descartada a chance de que as duas equipes voltem a se encontrar em uma decisão do tipo, desta vez na China e desta vez com um outro nome de disputa.

Brasil e Estados Unidos se enfrentaram em decisões de Grand Prix em 1995, 2010, 2011 e 2012, com títulos das norte-americanas, e em 2016, com a conquista das brasileiras na final disputada na Tailândia.

 

Jogos da 3ª semana da Liga das Nações de Vôlei Feminino – Etapa de Apeldoorn

Terça-feira, 29 de maio 

  • 11:30 – Coreia do Sul x Brasil – Palpite: Brasil
  • 14:30 – Holanda x Polônia – Palpite: Holanda 

Quarta-feira, 30 de maio 

  • 11:30 – Polônia x Brasil – Palpite: Brasil
  • 14:30 – Holanda x Coreia do Sul – Palpite: Holanda

Quinta-feira, 31 de maio 

  • 11:30 – Coreia do Sul x Polônia – Palpite: Polônia
  • 14:30 – Holanda x Brasil – Palpite: Brasil

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.