Ganhador.com

Copa do Mundo Rússia 2018

Vitória sobre o Senegal garante a liderança do Grupo H para a Colômbia. Japão leva um susto, mas também avança

Seleção Colombiana
foto: LUIS ACOSTA/AFP/Getty Images

Asiáticos e africanos empataram em quase todos os critérios, mas o número de cartões amarelos fez a diferença 

Por Gabriel Stavele

O suspense se manteve até o último minuto, mas a Colômbia confirmou seu favoritismo inicial, e com a vitória por 1×0 sobre o Senegal, terminou na primeira colocação do Grupo H. Na outra partida da chave, a eliminada Polônia enfim desencantou, e por pouco não complicou a vida do time japonês. Com a derrota por 1×0, os asiáticos ficaram com pontuação e saldo de gols idênticos aos dos senegaleses, mas avançaram de fase graças ao critério do Fair Play. Os cartões amarelos tiraram o último time africano da Copa do Mundo.

 

Mina decide para a Colômbia

Depois da excelente campanha de 2014, a Colômbia chegou à Rússia cercada de expectativas, mas a derrota para o Japão na partida de estreia colocou em xeque seu favoritismo no Grupo H. A recuperação veio no compromisso seguinte, quando venceu a Polônia por 3×0 com uma atuação convincente. O time ganhou moral, mas ainda corria risco de ficar pela primeira fase. Somente uma vitória sobre o Senegal poderia garantir a classificação independentemente do resultado da partida do Japão, e os comandados de José Pekerman foram buscá-la.

Os africanos começaram melhor a partida da Arena Samara, e quando James Rodríguez deixou o campo contundido, aos 31 minutos da etapa inicial, parecia um mau presságio para Los Cafetones. Um pênalti chegou a ser assinalado a favor do Senegal, mas o árbitro voltou atrás depois de consultar o VAR. O primeiro tempo terminou com o placar em branco.

A etapa complementar teve um início mais tenso. Precisando marcar, a Colômbia procurou tomar as rédeas da partida, mas apesar de ter mais volume de jogo, não chegava a ameaçar a meta defendida por K. N’Diaye. Quando, aos 13 minutos, os autofalantes do estádio anunciaram o gol da Polônia sobre o Japão, ambas as torcidas explodiram em festa nas arquibancadas, e um enorme peso saiu das costas dos sul-americanos. O empate classificava os dois times, e parecia de bom tamanho para os senegaleses, que recuaram. A estratégia revelou-se equivocada quando Mina abriu o placar, de cabeça, aos 29 minutos. Foi o segundo gol do ex-palmeirense na Copa.

Com o resultado, os Leões de Teranga estacionaram nos quatro pontos, e igualaram os japoneses no saldo de gols (0), número de gols marcados (4) e número de gols sofridos (4). Como o confronto direto também terminou empatado, a vaga teve que ser decidida pelo critério do Fair Play. O Japão levou a melhor por ter levado quatro cartões amarelos, contra seis do Senegal.

 

Polônia por pouco não desclassifica o Japão

Na Arena Volgogrado, o Japão precisava vencer a eliminada Polônia para não correr riscos, mas encontrou bem mais dificuldade do que o previsto, e apesar de garantir a classificação, deixou o campo sob vaias.

Sem qualquer responsabilidade, a Polônia foi mais incisiva na primeira etapa, e chegou a ter 56% de posse de bola. Os japoneses jogavam com o regulamento debaixo do braço, e pareciam mais preocupados em não levar gols do que na busca pela vitória. E foi justamente no momento em que saiu um pouco mais para o jogo, no início da etapa complementar, que a equipe foi castigada com um gol de Bednarek, que completou de cabeça um cruzamento de Kurzawa.

Os asiáticos se abalaram com o placar desfavorável, e sofreram com a pressão das Águias Brancas nos minutos seguintes. Quando soube que a Colômbia estava na frente na Arena Samara, no entanto, o time japonês abdicou completamente do ataque, e a falta de iniciativa provocou a irritação dos torcedores.

Sem brilho, os asiáticos chegam às oitavas de final pela segunda vez em sua sexta participação em uma Copa do Mundo. Apesar da vitória, a Polônia se despede como uma das grandes decepções da competição. O atacante Lewandowski não correspondeu às expectativas, e volta para casa sem ter marcado sequer um gol.

Classificação do Grupo H

  • 1 – Colômbia – 6 pontos (saldo + 3)
  • 2 – Japão – 4 pontos (saldo 0, 4 cartões amarelos)
  • 3 – Senegal – 4 pontos (saldo 0, 6 cartões amarelos)
  • 4 – Polônia – 3 pontos (saldo -3)

Confrontos das oitavas de final

Com a vitória por 1×0 sobre a Inglaterra, a Bélgica terminou em primeiro lugar no Grupo G, e será a adversária do Japão, na segunda-feira (02), às 15 horas (horário de Brasília), na Arena Rostov. A Colômbia, por sua vez, mede forças com o English Team no dia seguinte, também às 15 horas, no Spartak Stadium, em Moscou.

Jogos das Oitavas de Final

Sábado, 30 de junho

  • 11:00 – França x Argentina – Palpite: França
  • 15:00 – Uruguai x Portugal – Palpite: Portugal

Domingo, 01 de junho

  • 11:00 – Espanha x Rússia – Palpite: Espanha
  • 15:00 – Croácia x Dinamarca – Palpite: Croácia

Segunda-feira, 02 de junho

  • 11:00 – Brasil x México – Palpite: Brasil
  • 15:00 – Bélgica x Japão – Palpite: Bélgica

Terça-Feira, 03 de junho

  • 11:00 – Suécia x Suíça – Palpite: Suécia
  • 15:00 – Colômbia x Inglaterra – Palpite: Inglaterra

 

ATUALIZAÇÃO ANTERIOR: 24/06/2018

Grupo H: Colômbia brilha no fim da Rodada e elimina Polônia. Empate entre Japão e Senegal mantém aberta a briga pelas oitavas

Poloneses perderam para a Colômbia por 3×0 e estão eliminados, podendo agora ser o fiel da balança na classificação final do grupo

 Por Felipe Aires

A Copa do Mundo conheceu, já em sua segunda rodada, a primeira seleção cabeça-de-chave eliminada. Trata-se da Polônia, então 6ª no ranking da FIFA, que chegou ao mundial com muita moral sendo favorita à liderança do Grupo H. Depois de perder por 2×1 para o Senegal na estreia, o time do craque Robert Lewandowski sofreu uma goleada desestimulante contra a Colômbia: 3×0. Em compensação, colombianos, senegaleses e o Japão chegam à última rodada com reais condições de avançarem de fase, mas só dois desses passarão. Nesse contexto, a Polônia terá papel fundamental na definição dos classificados, pois entra em campo querendo pontuar e pode acabar prejudicando os japoneses, que precisarão dos pontos.

 

A Segunda Rodada do Grupo H

Desde o início, quando o sorteio dos grupos aconteceu, todos sabiam que o Grupo H seria um dos mais equilibrados. Ainda assim, Polônia e Colômbia chegaram com justas qualidades que as colocaram como favoritas a passar de fase. A esperança de ambas as seleções se renovou após Japão e Senegal entrarem em campo neste domingo, às 12h (horário de Brasília).

Isso porque asiáticos e africanos somavam três pontos cada e se um deles saísse com a vitória, a vida das favoritas se tornaria ainda mais complicada. Entretanto, em um jogo muito movimentado e de altíssima velocidade, características típicas do Japão e do Senegal, os torcedores foram presenteados com um jogão de futebol.

Sadio Mané, o craque senegalês, abriu o placar depois do goleiro japonês espalmar chute de Sabaly. Ainda no primeiro tempo, o meio do Japão, Inui, fez o primeiro gol do seu time. No segundo tempo, o lateral Wagué, do Senegal, entrou para a história como sendo o jogador africano mais jovem a fazer um gol em Copa do Mundo, com apenas 19 anos e 8 meses. No entanto, na reta final, o veterano Honda empatou a partida.

Na Arena Kazan, às 15h, a Colômbia entrou disposta a apagar a má impressão da primeira rodada. Diante de uma Polônia desarrumada em campo e completamente dependente de Lewandowski, os colombianos não tomaram conhecimento e pressionaram desde o início. Os craques da seleção sul-americana, Falcão García, James Rodríguez e Cuadrado desequilibraram e a Colômbia goleou por 3×0.

 

Última Rodada será de decisão e Polônia como fiel da balança

O Japão chega à última rodada com campanha idêntica a do Senegal, mas lidera por causa do número de cartões amarelos. Hoje, as seleções têm quatro pontos cada, seguida pela Colômbia, que soma três. Porém, a chance dos colombianos avançarem de fase é real, principalmente porque só dependem de si. No entanto, enfrentarão o Senegal, que é um time bastante perigoso, especialmente jogando no contra-ataque.

A Polônia não somou nenhum ponto até agora, sendo a maior decepção da Copa, por isso, diante dos japoneses, é difícil que vejamos uma equipe sem motivação em campo. Quem pode acabar se prejudicando com isso é o próprio Japão, que vai precisar pontuar de qualquer maneira para conseguir se classificar.

Na quinta-feira (28 de junho), com ambos os jogos às 11h, todas as quatro seleções entram em campo. Em Volvogrado, Japão e Polônia medirão forças, ao passo que colombianos e senegaleses jogam em Samara. Dentre os três candidatos à próxima fase, a Colômbia é a única que precisa vencer para não depender de ninguém. Em compensação também é o único time que entra como favorito.

 

Japão x Polônia

Tecnicamente há um certo equilíbrio entre as equipes. A Polônia entra em campo para jogar pela sua honra e nada mais. Robert Lewandowski é o grande craque em campo, mas no geral os japoneses demonstraram ter um jogo coletivo muito mais bem estabelecido.

Nagatomo, Kagawa, Honda e Osako são os principais nomes japoneses, mas o grande destaque é a vontade demonstrada em campo até aqui. Para se classificar, basta que o Japão empate, pois mesmo qualquer resultado do jogo entre Senegal e Colômbia não será capaz de eliminar os asiáticos. Por isso, é bem possível que tenhamos um jogo de ataque contra defesa entre Polônia e Japão.

Nesse contexto, o jogo pode ficar bastante complicado para os asiáticos, pois chamar os poloneses para dentro do seu campo vai permitir que Lewandowski tenha mais chances de fazer seu primeiro gol na competição, e é claro que o centroavante vai perseguir esse objetivo em sua primeira Copa do Mundo.

 

Senegal x Colômbia

A grande vantagem senegalesa é poder jogar no contra-ataque, estilo de jogo que mais se adapta aos africanos. Isso porque o empate basta para que a seleção de Sadio Mané avance de fase. No entanto, tecnicamente, sem dúvidas a Colômbia é superior.

Precisando sair para o jogo a fim de arrancar sua segunda vitória na Copa do Mundo, os colombianos vão com força máxima e apostarão na pressão ofensiva com Quintero e Rodríguez municiando Falcão, Cuadrado e cia.

Para não precisar de ninguém será preciso que o time do técnico José Pékerman saia com a vitória. No entanto, se o jogo terminar empatado, há chance de classificação, basta que o Japão perca para a Polônia, pois o saldo de gols colombiano é melhor.

 

Jogos do Grupo H da Copa do Mundo 2018

Terça-feira, 19 de junho

  • Colômbia 1 x 2 Japão
  • Polônia 1 x 2 Senegal

Domingo, 24 de junho

  • 12:00 – Japão 2 x 2 Senegal
  • 15:00 – Polônia 0 x 3 Colômbia

Quinta-feira, 28 de junho

  • 11:00 – Japão x Polônia – Palpite: vitória da Polônia
  • 11:00 – Senegal x Colômbia – Palpite: vitória da Colômbia

 

ATUALIZAÇÃO ANTERIOR: 19/06/2018

Grupo H da Copa do Mundo 2018: favoritos para passar de fase, Polônia e Colômbia perdem na primeira rodada e se enfrentam precisando vencer 

Situação do Grupo H deixa com uma possibilidade grande de colombianos ou poloneses não avançarem e decepcionarem

Por Felipe Aires

A Colômbia começou a Copa do Mundo com o pé esquerdo e proporcionou uma zebra asiática ao perder para o Japão por 2×1 nesta terça-feira (19 de junho). Uma das gratas surpresas do mundial de 2014, os colombianos entraram como favoritos contra os japoneses, mas sua condição não foi confirmada. A situação também está bastante complicada para a Polônia, que perdeu para o Senegal por 2×1 em outro triunfo de um azarão. Com falhas individuais dos poloneses – incluindo um gol contra -, os senegaleses se aproveitaram e conseguiram ser o primeiro time africano a vencer em território russo. O jogo aconteceu no Estádio do Spartak, em Moscou, e teve festa africana assim que o árbitro apitou o final da partida.

 

A primeira rodada do Grupo H

Surpreendentemente, a Polônia ficou como uma das escolhidas para cabeça-de-chave da competição, com isso, acabou dando brecha para que um grupo extremamente equilibrado e imprevisível fosse formado, como havíamos previsto que seria o Grupo H. A primeira rodada do grupo aconteceu nesta terça-feira e comprovou o nosso prognóstico.

Às 09h (horário de Brasília), a Colômbia entrou em campo cercada de expectativas e com muita gente apostando nela como candidata à surpresa do mundial, feito que também conquistou em 2014. Afinal de contas, a base do time comandado pelo técnico José Pekerman é a mesma e a equipe vem de boas apresentações.

Entretanto, o Japão mostrou que merece respeito e que não é um time bobo ao pressionar os colombianos desde o início da partida, conseguindo um pênalti aos três minutos de jogo. De quebra, o volante Carlos Sanchez foi expulso por colocar a mão na bola dentro da área. Os asiáticos abriram o placar muito cedo e ainda ficaram com vantagem numérica. No final das contas 2×1 para os japoneses.

A Polônia entrou como favorita à liderança do grupo, mas não conseguiu vencer o Senegal. Aliás, não só não conseguiu vencer como ainda perdeu, não demonstrou superioridade e cometeu erros bobos e preocupantes. O resultado pegou todo mundo de surpresa e só um milagre permite que poloneses e colombianos consigam se classificar juntos.

 

Só milagre faz Polônia e Colômbia avançarem juntas

A situação do Grupo H está bastante complicada para europeus e sul-americanos, e eles se enfrentam já na próxima rodada, às 15h, do próximo domingo (24 de junho), na Arena Kazan. Acontece que, com nenhum ponto somado até agora, se um dos dois sair de campo derrotado será o fim oficial da competição para o respectivo perdedor.

Isso porque Japão e Senegal se enfrentam também no domingo, às 12h, em Ecaterimburgo. Caso japoneses e senegaleses fiquem no empate e não haja vitória entre Polônia e Colômbia, os favoritos entrarão em campo para a terceira e última rodada precisando vencer e abrir uma boa margem de gols. Esse seria o único cenário possível para que uma tremenda zebra não apareça pelo grupo.

A questão primordial da situação é que dificilmente os colombianos não entrarão em campo para conquistar os três pontos contra os poloneses, e a recíproca é verdadeira. Com isso, as chances de termos um vencedor são enormes. O melhor dos mundos para uma das duas seleções seria vencer e torcer para que Japão ou Senegal também vençam, pois aí a 3ª rodada teria um pé de igualdade.

Existe uma tendência fortíssima de empate no confronto entre Japão e Senegal, pois os asiáticos são melhores tecnicamente e demonstraram ser organizados em campo, mas os africanos são muito fortes fisicamente e terão em campo o atacante Sadio Mané, que será o melhor atleta do duelo.

Com clima de final, Polônia x Colômbia tem tudo para ser um dos melhores jogos da Copa do Mundo até aqui, pois envolve dois times bons, bem armados e com a necessidade suprema de conquistar os três pontos. Acho muito difícil que alguém não saia com a vitória, e o meu palpite é de que os colombianos irão vencer.

 

Jogos do Grupo H da Copa do Mundo 2018

Terça-feira, 19 de junho

  • Colômbia 1 x 2 Japão
  • Polônia 1 x 2 Senegal 

Domingo, 24 de junho

  • 12:00 – Japão x Senegal – Palpite: empate
  • 15:00 – Polônia x Colômbia – Palpite: vitória da Colômbia

Quinta-feira, 28 de junho

  • 11:00 – Japão x Polônia – Palpite: vitória da Polônia
  • 11:00 – Senegal x Colômbia – Palpite: vitória da Colômbia

 

ATUALIZAÇÃO ANTERIOR: 04/01/2018

Contando com jogadores importantes no cenário mundial, o Grupo H pode apresentar surpresas em seus classificados à segunda fase.

POR FLÁVIO SOARES

Encerrando nossa série especial sobre os grupos da Copa do Mundo da Rússia 2018, apresentamos hoje o Grupo H que traz a favorita Polônia de Robert Lewandowski medindo forças com as seleções de Senegal, Japão e Colômbia na luta por uma das duas vagas do grupo à segunda fase do torneio. Sem dúvida, mais um grupo com grande potencial de imprevisibilidade.

 

Polônia

Favorita disparada a uma das vagas do grupo, a Seleção da Polônia chegará para a Copa do Mundo apostando alto no talento de seu artilheiro e capitão, Robert Lewandowski (Bayern de Munique), e no eficiente sistema de jogo montado pelo técnico Adam Nawałka que garantiu à equipe uma classificação tranquila no Grupo E das Eliminatórias Europeias com um aproveitamento de 83,3% (8 vitórias, 1 empate e 1 derrota), deixando para trás a sempre complicada Dinamarca.

Sem conseguirem a classificação para a Copa do Mundo de 2014, os poloneses irão para sua oitava Copa do Mundo querendo, no mínimo, repetir o seu melhor desempenho histórico na competição: o terceiro lugar nas copas de 1974 e 1982.

 

Senegal

Depois de uma surpreendente primeira Copa do Mundo, em 2002, quando derrotou a então campeã França no jogo de abertura  – e chegou até as quartas de final da competição, quando foi eliminada pela Turquia –, a Seleção de Senegal precisou de outros 16 anos para se classificar para a disputa da segunda copa de sua história.

Liderados pelo atacante Sadio Mané, do Livepool, os senegaleses conseguiram sua classificação invictos e com alguma tranquilidade no Grupo D das Eliminatórias Africanas da Copa. Com um aproveitamento de 77,8% (4 vitórias e 2 empates), a Seleção do Senegal deixou para trás as equipes de África do Sul, Burkina Faso e Cabo Verde, em seu caminho rumo à Rússia e chegará para a competição como um enorme ponto de interrogação.

 

Japão

A seleção japonesa irá para a sua sexta participação consecutiva em uma Copa do Mundo este ano na Rússia. Nada mal para um país onde até o início dos anos 1990 não havia uma liga de futebol profissional. De lá pra cá, com o surgimento da J-League e a ida de jogadores de mercados mais “talentosos” para atuarem na liga local (mesmo processo pelo qual a China vem passando nos últimos anos), o futebol japonês deu um salto de qualidade e a seleção nacional chegará aos jardins de Putin após uma boa campanha nas duas fases em que participou das Eliminatórias Asiáticas: aproveitamento de 91,7% no Grupo E da segunda fase (7 vitórias e 1 empate) e 66,7% no Grupo 2 da terceira fase (6 vitórias, 2 empates e 2 derrotas).

Shinji Kagawa, meia do Borussia Dortmund, é o cérebro do time desde a copa de 2014 e em seus pés estão depositadas as maiores esperanças de classificação da taticamente muito disciplinada Seleção do Japão – esta disciplina, aliás, pode ser uma bênção e uma maldição para os japoneses que pouco “inventam” em campo e acabam sendo “previsíveis”.

 

Colômbia

Quarta colocada nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo, a seleção colombiana já viveu dias melhores. Com 50% de aproveitamento dos pontos nas eliminatórias (7 vitórias, 6 empates e 5 derrotas), o time que vai para a disputa da quinta Copa em sua história, nem de longe lembra a equipe de Higuita, Valderrama e cia que encantou o mundo e pôs o futebol colombiano no mapa mundial. Mas é um time que conta, sim, com seus talentos.

Destaque na última Copa do Mundo, James Rodriguez reencontrou seu bom futebol no Bayern de Munique – onde atua por empréstimo após uma passagem apagada pelo Real Madrid – e ao lado de Falcão García, Juan Cuadrado e Carlos Bacca, pode levar a Colômbia, dirigida pelo experiente José Pékerman, a vôos mais altos em sua segunda Copa do Mundo defendendo as cores de Los Cafetones.

 

Quem avança

O Grupo H é um grupo “engraçado” na Copa do Mundo: embora tenha jogadores experientes, talentosos e que atuam em importantes ligas na europa, a chave em si não tem muita badalação nem desperta grande curiosidade.

A Polônia é, disparada, a equipe favorita para ficar com uma das duas vagas à segunda fase. Senegal e Japão (a exemplo do que acontece com Portugal e CR7, guardadas as devidas proporções) dependem demais do talento de Sadio Mané e Shinji Kagawa. Se ambos estiverem em uma jornada muito inspirada, podem conduzir suas equipes a resultados inesperados – como a classificação às oitavas de final. Mas, olhando apenas o papel e comparando os talentos individuais, a Colômbia – mesmo sem ter feito uma campanha “inspiradora” nas Eliminatórias Sul-Americanas –, possui mais potenciais individuais e tem, neste momento, mais chances de conquistar a outra vaga do grupo.

 

O que foi dito até aqui

Clique nos grupos para ler todos os artigos de nossa série especial sobre a Copa do Mundo.

Comentários

5 Comentários
Voltar