Ganhador.com

Copa do Mundo Rússia 2018

Zebra passeia na Arena Kazam, e derrota para a Coreia do Sul elimina a Alemanha da Copa do Mundo

Seleção Alemã
Foto: Alexander Hassenstein/Getty Images

Pela primeira vez desde 1938, tetracampeões mundiais são eliminados na 1ª Fase

Por Gabriel Stavele

O que parecia impossível aconteceu na tarde desta quarta-feira na Arena Kazam. Com mais uma atuação medíocre, a seleção da Alemanha foi derrotada por 2×0 pela Coreia do Sul, e seguindo o exemplo de França, Itália e Espanha, foi eliminada na primeira fase de uma Copa do Mundo quatro anos depois de conquistar um título. A liderança do Grupo F acabou caindo no colo da Suécia, que com muita autoridade, goleou o México por 3×0 em Ecaterimburgo.

Confira como foram as partidas que sacramentaram a maior zebra do Mundial da Rússia até aqui.

 

Coreia do Sul 2×0 Alemanha

Nem mesmo o torcedor mais pessimista poderia imaginar um desfecho tão melancólico para a seleção que há quatro anos tornou-se parâmetro de bom futebol ao conquistar o título mundial no Brasil. A Alemanha precisava apenas de um empate para avançar às oitavas de final, e até a metade do segundo tempo, passava a sensação de que a qualquer momento conseguiria furar o forte sistema defensivo dos asiáticos.

Porém, conforme o tempo passava e os nervos começavam a aflorar, foram os sul-coreanos que passaram a levar mais perigo, e só não abriram o placar por absoluta falta de qualidade técnica. Até que aos 46 minutos, a bola sobrou livre na área para Kim Youn-Gwon, e cara a cara com Neuer, o zagueirão não teve como errar o alvo. Os alemães reclamaram de impedimento, mas o árbitro confirmou o gol após consultar o VAR.

A partir deste momento, qualquer orientação do técnico Joachim Löw passou a ser solenemente ignorada, e o time partiu desordenado para buscar a virada. O segundo gol coreano foi um exemplo muito bem acabado de como os alemães abandonaram qualquer preocupação defensiva. Ju Se-Jong deu um chutão para afastar a bola, que com o goleiro Neuer no campo de ataque em busca do gol de empate, acabou convertendo-se em um perfeito lançamento para Son Heung-Min ampliar.

Com este resultado, a Alemanha terminou na lanterna do Grupo F, e pela primeira vez desde a Copa de 1938, ficou pela 1ª Fase (em 38 ainda não existia o sistema de grupos).

 

México 0x3 Suécia

No outro jogo da chave, o México provou de seu próprio veneno. Depois de se valer dos contra-ataques para superar Alemanha e Coreia do Sul, o time foi derrotado por 3×0 por uma seleção sueca que teve apenas 35% de posse de bola, mas foi mais perigoso durante toda a partida.

Os três gols saíram no segundo tempo. O lateral-esquerdo Augustinsson apareceu como elemento-surpresa para abrir o placar aos cinco minutos do segundo tempo. Logo depois, aos 17, Berg foi derrubado na área e o árbitro não teve dúvida: pênalti para a Suécia. Granqvist cobrou para marcar o seu terceiro gol na Copa do Mundo. O golpe de misericórdia veio aos 29, quando Álvarez se enrolou e acabou entregando o ouro ao inimigo, marcando um gol contra.

A partir deste momento, os mexicanos viveram momentos de tensão, pois bastaria um gol da Alemanha para decretar sua eliminação. O alívio só veio depois que a Coreia do Sul marcou seus gols, acabando com qualquer possibilidade de reação dos campeões mundiais.

Classificação do Grupo F

O saldo de gols acabou pesando a favor da Suécia, que com a vitória elástica sobre o México terminou isolada na liderança. Os sul-coreanos somaram três pontos, e com os dois gols de vantagem abertos sobre a Alemanha, terminaram a fase de grupos na frente dos comandados de Joachim Löw. O México, apesar do susto, manteve-se firme na segunda colocação.

  • 1 – Suécia – 6 pontos (saldo + 3)
  • 2 – México – 6 pontos (saldo – 1)
  • 3 – Coreia do Sul – 3 pontos (saldo 0)
  • 4 – Alemanha – 3 pontos (saldo -2)

Equipes enfrentam Brasil e Suíça nas oitavas

Nas oitavas de final, os times que se classificaram no Grupo F enfrentam os dois sobreviventes da Chave E: Brasil e Suíça.

O Escrete Canarinho espantou o risco de seguir o mesmo caminho que a Alemanha com uma vitória por 2×0 contra a Sérvia. Com sete pontos somados, os comandados de Tite garantiram a primeira colocação. A Suíça teve mais dificuldade do que o previsto na partida contra a Costa Rica, mas terminou a primeira fase invicta ao empatar em 2×2 com os caribenhos.

O duelo entre brasileiros e mexicanos acontece na segunda-feira (02), às 11 da manhã (horário de Brasília), em Samara. A Suécia encara a Suíça no dia seguinte, também às 11 horas, em São Petersburgo.

Duelos confirmados pela segunda fase da Copa

Sábado, 30 de junho

  • 11:00 – França x Argentina – Palpite: França
  • 15:00 – Uruguai x Portugal – Palpite: Portugal

Domingo, 01 de junho

  • 11:00 – Espanha x Rússia – Palpite: Espanha
  • 15:00 – Croácia x Dinamarca – Palpite: Croácia

Segunda-feira, 02 de junho

  • 11:00 – Brasil x México – Palpite: Brasil

Terça-Feira, 03 de junho

  • 11:00 – Suécia x Suíça – Palpite: Suécia

 

 

ATUALIZAÇÃO ANTERIOR: 23/06/2018

Alemães garantem sobrevida após emocionante virada contra a Suécia. México tem um pé nas oitavas

Por Gabriel Stavele

O México deu um importante passo em direção às oitavas-de-final com a vitória por 2×1 sobre a Coreia do Sul. A atuação dos comandados de Juan Carlos Osório foi ainda melhor do que a da estreia diante da Alemanha, e ao contrário do que sugere o placar apertado, os asiáticos em nenhum momento representaram alguma ameaça. Na outra partida da chave, os atuais campeões do mundo se reabilitaram após a espetacular virada sobre a Suécia, e com os três pontos somados no triunfo por 2×1, chegarão vivíssimos à terceira rodada.

Confira como ficou o Grupo F após os resultados deste sábado.

 

Aproveitamento de 100% não garante a classificação do México

A consistente atuação dos mexicanos contra a fraca seleção da Coreia do Sul serviu para animar a torcida e os jogadores, além de deixar o país próximo da classificação para as oitavas-de-final. A vaga, no entanto, ainda não está garantida.

Empatadas com três pontos, Alemanha e Suécia ainda podem alcançar El Tri e deixar a decisão dos classificados a critério do saldo de gols. Como é de se esperar que os germânicos passem com facilidade pela Coreia do Sul, o México não poderá relaxar contra os nórdicos, e precisa conquistar pelo menos um ponto na Arena Ekaterinburg.

Chicharito Hernández, que se tornou o maior artilheiro do país em Copas, e o jovem Lozano, autor do gol da vitória na estreia, atravessam grande fase, e estão entre os principais destaques da competição até aqui.

 

Coreia do Sul tem chances remotas

De nada serviu o belíssimo gol marcado por Son Heung-Min nos minutos finais da partida contra o México. Já não havia tempo para uma reação, e a Coreia do Sul amargou sua segunda derrota em duas rodadas. Apesar da péssima campanha, o time asiático ainda respira por aparelhos, e pode se classificar caso aconteça um milagre.

Os últimos colocados da Chave F precisam de nada menos do que uma vitória sobre a Alemanha, de preferência por boa margem de gols, e um novo triunfo mexicano diante da Suécia. Neste caso, ainda poderão beliscar a segunda vaga e avançar de fase pela terceira vez em sua décima participação em uma Copa.

Alemanha respira com vitória sobre a Suécia

Em um dos melhores jogos da Copa do Mundo até aqui, a Alemanha foi buscar na raça uma vitória de virada contra o bom time da Suécia, e agora depende apenas de si mesma para avançar de fase. Já nos acréscimos da etapa complementar, Kroos acertou um chute de rara felicidade para encobrir o goleiro Olsen, e garantiu os três pontos para seu time, que vinha com um jogador a menos desde a expulsão de Boateng, aos 36 minutos. O zagueiro precisará cumprir suspensão na partida contra a Coreia do Sul.

Para evitar o que seria um vexame histórico, os tetracampeões mundiais precisam vencer os coreanos, de preferência por uma boa diferença de gols, para superar o saldo dos suecos. Caso a equipe nórdica tropece contra o México, um simples empate será suficiente.

Suecos levam ducha de água fria, mas ainda podem avançar

A Suécia esteve a ponto de obter um resultado muito importante na partida contra a Alemanha, mas uma falta desnecessária no último minuto pôs tudo a perder. A equipe deixou o campo do Estádio Olímpico de Fisht inconformada com a não marcação de um pênalti sobre Berg ainda na primeira etapa. Se tivesse conquistado um ponto, o embate contra os mexicanos seria um jogo de compadres, mas diante dos últimos acontecimentos, ganhou um caráter decisivo para os europeus.

A exemplo da Alemanha, a Suécia depende apenas de si, mas terá pela frente uma missão muito mais complicada. A equipe precisa vencer o México marcando mais gols do que os alemães em seu compromisso contra a Coreia do Sul. Caso os campeões de 2014 percam, um empate será suficiente.

Quem avança

O Grupo F tem se mostrado o mais equilibrado desta Copa do Mundo até aqui, portanto, não há nada de surpreendente no fato de não sabermos os classificados antes da última rodada. O triunfo sobre a Suécia encheu os alemães de moral, e agora a tendência é que os comandados de Joachim Löw atropelem a Coreia do Sul para garantir uma das vagas. Tenso mesmo será o outro jogo da chave, mas o momento psicológico dos mexicanos após duas vitórias com boa atuação é superior ao dos suecos. Enfrentando um time que precisa vencer, o técnico Juan Carlos Osório encontrará terreno fértil para mais uma vez colocar em prática sua estratégia de jogar nos contra-ataques. Acredito que El Tri levará a melhor pelo placar de 2×0.

Classificação do Grupo F

1º México, 6

2º Suécia, 3

3º Alemanha, 3

4º Coreia do Sul, 0

Próximos jogos

Quarta-feira, 27 de junho

11:00 – Coreia do Sul x Alemanha – Palpite: Alemanha

11:00 – México x Suécia – Palpite: México

 

ATUALIZAÇÃO ANTERIOR: 18/06/2018

México vence a Alemanha e coloca um dos pés na próxima fase

Por Gabriel Stavele

Quando o sorteio definiu o Grupo F com Alemanha, México, Suécia e Coréia do Sul, todos deram como favas contadas a classificação dos campeões mundiais. No entanto, os comandados de Joachim Löw protagonizaram a primeira grande zebra desta Copa do Mundo com a derrota por 1×0 para o México, que agora está com a faca e o queijo nas mãos para avançar às oitavas de final.

No outro jogo da chave, a Suécia venceu sem brilho a seleção da Coréia do Sul, e divide a liderança com os mexicanos.

Confira o que muda na configuração da chave diante deste novo e inesperado quadro, e saiba quais são as chances de cada uma das equipes a partir de agora.

 

Alemães decepcionam na estreia

Os péssimos resultados da Alemanha nos amistosos preparatórios já prenunciavam que as coisas não andavam às mil maravilhas no time campeão mundial de 2014. Porém, já dizia o velho Didi que treino é treino e jogo é jogo, e o esperado era que o time vencesse o México em seu primeiro compromisso na Rússia.

Modelo de eficiência há quatro anos, a equipe alemã desta vez não soube fazer valer sua maior qualidade técnica. Os germânicos tiveram muito mais posse de bola, 61% ao todo, e terminaram a partida com mais que o dobro de finalizações, mas o México esteve mais perto de ampliar do que a Alemanha de marcar o gol de empate.

“Queríamos nos defender dos contra-ataques deles, principalmente no primeiro tempo. Demos muito espaço para os contra-ataques e demos sorte de ter levado só um gol. Estamos esperançosos e temos ainda dois jogos que precisamos pontuar.”, declarou o zagueiro Mathias Ginter após a partida.

A situação não chega a ser desesperadora, já que a superioridade técnica da equipe em relação à Suécia e Coréia do Sul é inquestionável, mas a possibilidade de repetir o fiasco de seleções como França, Itália e Espanha, que foram eliminadas na primeira fase quatro anos após conquistarem o título mundial, já começa a rondar os comandados de Joachim Löw.

A Alemanha enfrenta a Suécia neste sábado (23), às 09:00 (horário de Brasília), e joga suas últimas fichas no duelo contra a Coréia do Sul na sexta-feira (29), às 11 da manhã.

Agora é vencer ou vencer.

 

México conquista resultado dos sonhos

O choro de emoção de Chicharito Hernandéz após o apito final no Luzhniki Stadium dá uma boa medida do quanto a vitória sobre a Alemanha representou para o time mexicano. Depois de superar aquele que é disparado o time mais forte do Grupo F, somente uma tragédia poderá deixar El Tri de fora das oitavas-de-final. Foi nesta fase, aliás, que o país deu adeus às últimas seis Copas, e naquela que provavelmente será a última participação de atletas como Guillermo Ochoa, Andrés Guardado, Héctor Moreno, Héctor Herrera e o próprio Hernández, espera-se que o time consiga chegar mais longe.

No entanto, apesar da alegria pelo triunfo inesperado, a grande quantidade de oportunidades desperdiçadas deve servir de alerta para os próximos jogos. Os comandados de Juan Carlos Osorio tiveram tudo para vencer por um placar mais elástico, e a falta de pontaria poderá cobrar um alto preço nos próximos jogos.

Os mexicanos enfrentam a Coréia do Sul no sábado (23), ao meio-dia, e a Suécia quatro dias depois, às 11 da manhã. Com dois empates, o time dificilmente deixará de avançar de fase.

Suécia faz o dever de casa diante da Coréia do Sul

Diante da fraquíssima seleção sul-coreana, a Suécia entrou em campo no Níjni Novgorod Stadium com a obrigação de vencer, e poderia ter terminado o primeiro tempo na frente se o goleiro Jo Hyeon-Woo não estivesse lá para fazer uma das mais espetaculares defesas desta Copa do Mundo.

No segundo tempo, o VAR voltou a entrar em ação para dedurar um pênalti de Kim Min-Woo sobre Claesson, que Granqvist converteu para marcar o primeiro e único gol da partida. Apesar de terem conquistado os três pontos, os suecos tiveram uma atuação decepcionante, suscitando dúvidas sobre a opção do técnico Janne Andersson de abrir mão de um craque como Ibrahimovic.

Na frieza dos números, contudo, a Suécia agora lidera o grupo ao lado do México, e ficará em ótima situação se conseguir ao menos segurar um empate contra a Alemanha.

Destino dos sul-coreanos deve ser o aeroporto

O time sul-coreano apresentou sua habitual correria, mas em termos técnicos, mais uma vez deixou a desejar. Os vice-campeões asiáticos já eram apontados como a quarta força do grupo antes mesmo da bola rolar, e apenas confirmaram esta condição.

Em sua décima participação em uma Copa do Mundo, o time tem tudo para cair na primeira fase pela oitava vez, pois é pouco provável que seja páreo para México e Alemanha.

Quem avança

Apesar do tropeço na rodada inaugural, continuo acreditando na classificação da Alemanha. A menos que o time sucumba pela falta de confiança, o mais lógico é que vença tanto a Suécia quanto a Coréia do Sul, e garanta no mínimo a segunda colocação do Grupo H. Neste caso, são boas as chances de um duelo contra o Brasil nas oitavas-de-final.

Meu palpite é que o México dispara na liderança, os alemães beliscam a outra vaga, e suecos e coreanos tomam o primeiro voo de volta para casa após a terceira partida.

Próximos jogos do Grupo F

Sábado, 23 de junho

  • 12:00 – Coréia do Sul x México – Palpite: México
  • 15:00 – Alemanha x Suécia – Palpite: Alemanha

Quarta-feira, 27 de junho

  • 11:00 – Coréia do Sul x Alemanha – Palpite: Alemanha
  • 11:00 – México x Suécia – Palpite: México

 

ATUALIZAÇÃO ANTERIOR: 02/01/2018

Alemanha segue favorita para avançar no grupo mais equilibrado da Copa do Mundo.

Por Flávio Soares

Segundo o ranking da Fifa, a Alemanha – atual campeã do mundo e número 1 no ranking – acabou como cabeça de chave do grupo mais equilibrado da Copa do Mundo da Rússia. México (16º colocado), Suécia (18º) e Coréia do Sul (62º), completam o Grupo F, que deverá ter uma luta intensa pela vaga restante – se levarmos em consideração que, à exemplo do Brasil no Grupo E, a Alemanha deverá ficar com uma das vagas para a fase eliminatória.

 

Alemanha

Não tendo participado apenas da Copa do Mundo de 1930 (seguindo o exemplo de praticamente todas as seleções européias que pouca atenção deram ao torneio) e de 1950 (quando foi impedida pela Fifa de participar por conta do contexto da Alemanha ocupada no pós-guerra), a seleção alemã é a única, ao lado da brasileira, a ter participado de todas as edições da Copa do Mundo para a qual se inscreveu – ou esteve habilitada – sem nunca ter ficado pelo caminho nas eliminatórias.

Com quatro títulos mundiais na bagagem – e a marca de ter participado de oito finais em sua história –, a Alemanha vem para a Copa do Mundo da Rússia em busca de seu 5º título mundial ainda sob o comando de Joachim Löw, que assumiu o cargo de técnico em 2006 em substituição a Jürgen Klinsmann que deixou o posto após o vice-campeonato na Copa da Alemanha. De lá pra cá, além da necessária renovação da equipe, foram dois títulos importantes: tetracampeã do mundo no Brasil em 2014 (ano do lendário 7 a 1) e campeã da Copa das Confederações em 2017 (único título que faltava aos alemães), com uma equipe composta basicamente por jovens talentos.

É assim, segura, renovada, concentrada e alinhada que a Seleção Alemã chega para a Copa do Mundo da Rússia, com Löw no banco e o “camisa 10” que veste a 8, Tony Kroos, comandando a equipe dentro de campo em busca do pentacampeonato.

 

México

A seleção mexicana chega para sua 7ª Copa do Mundo consecutiva sob o comando do colombiano Juan Carlos Osório (ex-São Paulo) que assumiu a equipe em outubro de 2015 com a missão de conquistar o uma vaga para Rússia 2018.

Apesar do primeiro lugar no hexagonal final das Eliminatórias da Concacaf e um aproveitamento de 70%, Osório chegará à Copa do Mundo pressionado pelos resultados pouco convincentes à frente da seleção – como por exemplo na derrota por 3 a 2 para Honduras na última rodada das eliminatórias – e muito dependente do talento de Chicharito Hernandez, que não atravessa grande fase no West Ham mas possui estrela suficiente para levar o México, pelo menos, à fase eliminatória.

 

Suécia

A Suécia chega à Copa do Mundo com o título de “Equipe que Eliminou a Itália na Repescagem” – sem desmerecer, é claro, o fato de que os suecos,  nas Eliminatórias Européias, ficaram também à frente da “poderosa” Holanda (outra equipe “grande” que não conseguiu se classificar para Rússia 2018).

Sem grandes talentos individuais (Ibra ainda tá dodói), a seleção da Suécia aposta em sua organização e no grande senso de que o futebol é um esporte coletivo para avançar à fase eliminatória da Copa do Mundo. Para isso, aposta muito na capacidade de Andreas Granqvist, do Krasnodar, da Rússia, que chamou para si a responsabilidade de liderar o time na ausência do astro Ibrahimovic.

Disputam, evidentemente, uma vaga com a seleção do México e podem surpreender.

 

Coréia do Sul

O segundo lugar consquistado no Grupo 1 das Eliminatórias Asiáticas, com 50% de aproveitamento (4 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, 11 gols a favor e 10 contra), no final, não foi muito animador para a seleção sul-coreana que chegará à Copa do Mundo como um dos “figurantes” do show principal.

O toque de bola rápido e a liderança de Heung-Min Son, do Tottenham, não deverão ser o suficiente para levar a Seleção da Coréia do Sul à segunda fase do torneio.

 

Quem avança

Apesar de nos números do ranking da Fifa este ser um grupo bastante equilibrado, a força da Alemanha se sobressai – assim como a fragilidade sul-coreana. É difícil imaginar que os atuais campeões do mundo não consigam avançar em primeiro lugar do grupo enquanto que México e Suécia brigarão pelo segundo lugar tendo a Coréia do Sul o papel de “fiel da balança” (o time para o qual perder pontos poderá ser fatal). A Suécia, cheia de moral após superar a Itália na repescagem chegará ligeiramente mais forte que o México na busca por uma vaga na fase eliminatória.

A exemplo do que acontece no Grupo E, ninguém aqui estará interessado em ficar com o segundo lugar – colocação que pode significar um confronto com o Brasil já nas oitavas de final, caso a seleção canarinho confirme seu favoritismo.

 

Continuando

Amanhã daremos continuidade a nossa série de artigos sobre a Copa do Mundo, analisando o Grupo G formado por Bélgica, Inglaterra, Panamá e Tunísia.

Comentários

9 Comentários
Voltar