Vôlei

Dentil/Praia Clube x Sesc-RJ: existe favoritismo na final da Superliga Feminina de Vôlei?

Superliga Feminina Dentil Praia Clube
Foto: Divulgação Dentil/Praia Clube

Decisão mais esperada dos últimos tempos começa a ser disputada neste domingo (15), às 10h (de Brasília), no Rio              

A Superliga Feminina de Vôlei enfim está nas suas semanas decisivas – e com a final que todos gostariam de ver. A partir deste domingo (15), às 10h (de Brasília), na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro, Sesc-RJ e Dentil/Praia Clube se enfrentam pela segunda vez em uma decisão na principal competição do vôlei nacional. O jogo será transmitido pela TV Globo. A segunda partida também vai ser exibida pela emissora, no domingo da próxima semana (22), a partir das 9h10. Esta decisão será em apenas duas partidas – caso haja empate em uma vitória para cada equipe, o segundo duelo contará com um “golden set” de 25 pontos para a definição do título.

 

Experiência pura

A grande diferença entre o Praia Clube e o Sesc está na trajetória que cada equipe apresenta até aqui. Enquanto as cariocas buscam nada menos que o 13º título da Superliga, as mineiras ainda tentam a sua primeira conquista.

Há uma promessa de grande equilíbrio. Afinal, na fase de classificação, as duas equipes se enfrentaram duas vezes, e cada um ganhou um duelo.

“Tivemos uma temporada um pouco diferente, apesar de termos conseguido chegar à final mais uma vez. Dependemos mais umas das outras, das meninas que vieram do banco. As responsabilidades acabaram divididas de maneira mais homogênea. Isso fez com que nós precisássemos crescer bastante como time”, analisou a líbero Fabi.

O Sesc-RJ chega à decisão com a vantagem de ter treinado por duas semanas. Como fechou a semifinal com o Camponesa/Minas com três vitórias a zero, apenas acompanhou o esforço da adversária que precisou levar a decisão com o Vôlei Nestlé até o quinto jogo.

“Conseguimos superar as dificuldades, nosso time chega unido, coeso. Sabemos da qualidade do Dentil/Praia Clube, é o melhor elenco e fez a melhor campanha na fase classificatória. Mas vamos buscar jogar de igual para igual, pois sabemos qual é o potencial do time delas. Não podemos baixar a guarda, quando elas jogam com confiança, fica difícil. Temos que entrar totalmente concentradas”, finalizou Fabi.

 

Melhor campanha (e maior sufoco…)

Já o Praia Clube chega à final vivendo duas situações diferentes. Fez a melhor campanha da fase classificatória, com 21 vitórias e só uma derrota. É por isso que a finalíssima será em Uberlândia. Na semifinal, porém, o sufoco foi gigante ao garantir a ida à decisão apenas no quinto jogo diante do Vôlei Nestlé.

“Tivemos uma campanha muito boa e fomos consistentes na fase de classificação durante o turno e o returno. Adquirimos um bom padrão de jogo e quebramos alguns tabus como vencer o Sesc-RJ pela primeira vez e ganhar do Vôlei Nestlé em Osasco, o que nunca tinha acontecido”, analisou o técnico Paulo Coco.

“Essas situações foram importantes em toda nossa trajetória, além dos playoffs que tivemos cruzamentos complicados. Primeiro o Vôlei Bauru e depois o Vôlei Nestlé. Estamos fazendo uma boa campanha, mas para a final temos que quebrar o tabu mais importante para conquistar o título.”

“Sabemos da qualidade do Sesc-RJ. É o maior vencedor da história do feminino no voleibol brasileiro, com um técnico muito vitorioso. É a equipe a ser batida que vem de 12 títulos. Não é fácil ganhar deles muito menos numa final. É um desafio enorme”, finalizou o técnico.

Este é o segundo confronto entre ambos na final. Na temporada passada, o time carioca levou a melhor sobre a equipe mineira por 3 sets a 1, em Brasília (DF). Os dois clubes têm times equivalentes – mas a familiaridade do Sesc com os títulos com certeza vai ser uma vantagem para a equipe nesta decisão.

 

Sesi-SP e Taubaté se aproximam da final masculina

No meio da sua fase semifinal, a Superliga Masculina está prestes a ter Sesi-SP e EMS Taubaté Funvic como as duas equipes que vão avançar para a decisão.

O Sesi venceu, nesta terça-feira (10), o Sesc-RJ por 3 sets a 0 (29/27, 25/22 e 26/24), na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro (RJ). Com o resultado, o playoff agora demonstra 2 a 0. O terceiro jogo da série entre as equipes será disputado no próximo sábado (14), às 15h, na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro (RJ). O SporTV 2 e a RedeTV! mostram ao vivo.

Já a série entre Sada/Cruzeiro e EMS Taubaté Funvic  está com o surpreendente placar de 2 a 0 para o Taubaté, que venceu por 3 sets a 0 a segunda partida da série, com parciais de 25/21, 25/22 e 25/23, na Arena Abaeté, em Taubaté (SP). O terceiro jogo entre ambas será em Belo Horizonte, nesta sexta (13), às 21h30 (de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV.

 

Jogo da 1ª final da Superliga Feminina

Domingo, 15 de abril

  • 10:00 – Sesc-RJ x Dentil/Praia Clube – Palpite: Sesc

Jogos das semifinais da Superliga Masculina

Sexta-feira, 13 de abril

  • 21:30 – Sada Cruzeiro x EMS Taubaté Funvic – Palpite: Cruzeiro

Sábado, 14 de abril

  • 15:00 – Sesc-RJ x Sesi-SP – Palpite: Sesc

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Já dá para dizer que o Sesc-RJ é o campeão da Superliga Feminina de Vôlei? | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.