Mais esportes

Troféu Brasil de atletismo será disputado em São Bernardo do Campo

FOTO: WAGNER CARMO/CBAT

A Arena Caixa receberá a competição entre 09 e 11 de junho.

Pinheiros defende o título conquistado no ano passado. Protagonistas da rivalidade interclubes, os atletas buscam obter índices individuais para o Campeonato Mundial de Londres, que acontecerá entre 04 e 13 de agosto.

 

As Estrelas

É para ficar de olho nas estrelas do Troféu Brasil! Thiago Braz da Silva estará competindo novamente em solo brasileiro. Ele é o atual campeão olímpico do salto com vara. A medalha de ouro conquistada por ele foi um dos pontos altos da Rio 2016. Para terminar em primeiro lugar, o atleta precisou quebrar o recorde dos Jogos, com 6m03. Ele defende as cores do Pinheiros e vem de um segundo lugar no GP Brasil. Na ocasião, ele foi superado por Augusto Oliveira, da Orcampi.

Darlan Romani (B3 Atletismo) que quebrou os recordes brasileiro e sul-americano do arremesso de peso no GP Brasil (disputado semana passada) é outro nome para se prestar atenção.

Outros sete campeões desta competição já confirmaram suas presenças no Troféu Brasil. São eles: Jessica Reis (salto em distância, Orcampi), Fabiana Moraes (100m com barreiras, Pinheiros), Fernando Ferreira (salto em altura, B3 Atletismo), Daniel Sá (salto triplo, Pinheiros), Altobeli Silva (3.000m com obstáculos, Pinheiros), Vitoria Rosa (200m rasos, B3 Atletismo) e Paulo André Oliveira (100m rasos, Pinheiros).

 

Disputa de clubes

Ano passado, o Pinheiros interrompeu a série de 14 títulos consecutivos da BM&F. A conquista só foi confirmada na última prova, no revezamento 4×400 metros masculino. Os pinheirenses somaram 463 pontos contra 460,5 de seu rival. A Orcampi, ficou em terceiro lugar.

Os paulistanos virão fortes em busca do bicampeonato. Além dos nomes já mencionados acima, a representação de São Paulo capital conta com os pontos de Geisa Arcanjo (arremesso de peso), Kleberson David (800m rasos) e Rosangela Santos (200m rasos). Só no GP Brasil, sua delegação contou com 26 atletas.

Em consequência da fusão de atividades entre BM&F e CETIP, desde 30 de março do corrente ano, o atual vice-campeão brasileiro passou a se chamar B3 Atletismo e segue fixado em São Caetano do Sul. Tânia Silva (salto em distância), Juliana Santos (1.500m rasos), Paulo Sérgio Oliveira (salto triplo), Vitória Rosa (200m rasos), Darlan Romani (arremesso de peso), Montanha (arremesso de martelo), Mariana Marcelino (arremesso de martelo), Érica Sena (marcha atlética), Thiago André (800m e 1.500m rasos), Izabela Silva (lançamento de disco) e Jalima Lima (400m rasos) se destacam no plantel da instituição.

Willian Braido é outro atleta de peso que compete pela Orcampi, patrocinada pela Unimed. A equipe corre por fora para se manter como terceira força. O ASA São Bernardo é seu principal concorrente.

Apesar de ser um esporte relativamente barato, que não requer equipamentos muito caros, muitas instituições olímpicas brasileiras tradicionais fecharam seus departamentos da modalidade. Só para falar de agremiação de torcida de futebol, a lista inclui Botafogo, Flamengo, Fluminense e Grêmio. Mesmo com o Engenhão arrendado, o Glorioso não faz uso da pista.

Talvez o único clube de massa que ainda invista no esporte, da escolinha até o adulto, seja o Vasco da Gama, que tem uma forte categoria de base e que tem conquistado tudo dentro do Rio de Janeiro. Seu maior destaque é Aldemir Gomes da Silva Júnior, que competiu nas Olimpíadas de 2016.

O São Paulo voltou ao atletismo há poucos anos mas ainda é tímido para com a modalidade. Cruzeiro e Palmeiras investem apenas em corrida de rua.

 

Programação

As primeiras provas serão disputadas na manhã de sexta-feira. O torneio começará pelas disputas iniciais do Decatlo masculino e pelas semifinais dos 400m rasos. Eis as datas das finais, abaixo:

Sexta-feira, 09 de junho:

  • Cerimônia de abertura às 14h00.
  • 100m rasos feminino e masculino.
  • 10.000m rasos feminino e masculino.
  • Lançamento do martelo feminino e masculino.
  • Salto com vara feminino.

Sábado 10 de junho:

  • 100m com barreiras feminino
  • 400m rasos feminino e masculino
  • 800m rasos feminino e masculino
  • 1.500m rasos masculino
  • 3.000m com obstáculos feminino e masculino
  • 20.000m marcha atlética feminino e masculino (pelas ruas da cidade)
  • Arremesso de peso masculino
  • Decatlo masculino
  • Lançamento de disco feminino
  • Salto em distância feminino e masculino
  • Revezamento 4x100m feminino e masculino

Domingo, 11 de junho:

  • 110m com barreiras masculino
  • 200m rasos feminino e masculino
  • 400m com barreiras feminino e masculino
  • 800m rasos masculino
  • 1.500m rasos feminino
  • 5.000m rasos feminino e masculino
  • Arremesso de peso feminino
  • Heptatlo feminino
  • Lançamento de dardo feminino e masculino
  • Lançamento de disco masculino
  • Salto com vara masculino
  • Salto em altura feminino e masculino
  • Salto triplo feminino e masculino
  • Revezamento 4x400m feminino e masculino

    

Histórico

A primeira edição do Troféu Brasil foi realizada em 1945 para reorganizar o então campeonato nacional da época, denominado Troféu Ademar de Barros. A cada ano, cerca de mil atletas de cem times competem no certame.

Ao longo da história, Adhemar Ferreira da Silva, Fabiana Murer, Jadel Gregório, João Carlos de Oliveira, Joaquim Cruz, Mauro Vinícius Duda da Silva, Maurren Maggi, Nelson Prudêncio, Robson Caetano, Vanderlei Cordeiro de Lima, e Zequinha Barbosa entre outros, competiram nas pistas do Troféu Brasil.

Entre clubes, o maior campeão é o B3 Atletismo, com 12 títulos, seguido da Funilense, com 10.

É bom lembrar que até 1990, a agremiação precisava conquistar um determinado número de etapas para ficar com a posse definitiva do Troféu Brasil.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar