Tênis

Segundo dia do Rio Open tem vitória suave do atual campeão Dominic Thiem e término da participação brasileira na chave de simples

Foto: Buda Mendes/Getty Images

Austríaco não teve dificuldades para vencer o sérvio Dusan Lajovic na estreia; Thiago Monteiro sofre “síndrome de Thomaz Bellucci e Rogerinho Dutra” e cai na primeira rodada

O Rio Open teve nesta terça-feira (20 de fevereiro) o complemento da primeira rodada e, como aconteceu no dia anterior, nada de grandes surpresas. Teve sim emoção, com a recuperação incrível do francês Gael Monfils após salvar um match point. O dia ainda contou com a estreia do austríaco Dominic Thiem, principal candidato ao título na Cidade Maravilhosa. O atual número 6 do mundo começou com o pé direito, ao vencer o sérvio Dusan Lajovic e segue vivo em busca do bicampeonato. Já entre os brasileiros, mais um dia para ser esquecido com a eliminação de Thiago Monteiro depois de chances de encerrar o embate contra o uruguaio Pablo Cuevas. A derrota do tenista encerrou a participação do país na chave de simples. Que coisa, não?! Confira o resumo do dia!

 

Estreia sem problemas

Apesar do pouco tempo para se adaptar as condições do Rio de Janeiro logo após atingir o bicampeonato no ATP 250 de Buenos Aires, Dominic Thiem não enfrentou tantas dificuldades em sua estreia. Jogando no saibro, piso no qual é o seu favorito e que alcançou a expressiva marca de 10 vitórias em 11 jogos na última temporada, o austríaco começou muito bem o primeiro set, não dando chances Dusan Lajovic, e encerrando em 6/2.

A parcial seguinte tinha tudo para ser tranquila, mas Lajovic, 84º no ranking, resolveu complicar. Porém, depois de uma troca de quebras, Thiem voltou com seu “trem no trilho” e comandou a vitória por 7/5.

O próximo jogo do atual campeão do Rio Open será diante de Pablo Andujar. Recuperado de lesão no ombro que o afastou das quadras nos últimos dois anos, o espanhol tenta uma sequência positiva após cair logo de cara em Pune (Índia), no Aberto da Austrália e Quito (Equador). O problema é que ele parece ter encontrado o oponente errado, não é?!

 

Estrela

Que Gael Monfils tinha condição para ser um dos tenistas mais ovacionados pelo público brasileiro isso não tínhamos dúvida. Mas isso se concretizou na terça-feira, quando o francês contou com a torcida para sair do buraco em uma dura partida contra o argentino Horacio Zeballos.

O atual campeão do ATP 250 de Doha começou o rali contra o hermano vencendo o primeiro set, em 7/5. Mas ele não sustentou a vantagem e cedeu na sequência, em placar de 6/3. Já no terceiro e decisivo set, o número 39 da ATP seguiu caindo de produção e chegou a ter um match point contra no 5/3. Porém, o francês ressurgiu e, ao segurar o próprio saque, não permitiu mais nenhum game, ganhando por 7/5 o último set.

O resultado coloca o showman para ter pela frente uma bela pedreira na segunda rodada. Trata-se do cabeça de chave número 1 Marin Cilic. E se o retrospecto conta ponto, o francês pode surpreender logo mais, já que está invicto diante do croata com duas vitórias. Por coincidência, o último encontro entre ambos ocorreu justamente no Rio de Janeiro, durante os Jogos Olímpicos. E, claro, não preciso dizer quem venceu!

 

Filme repetido

A cada dia tendo menos opções da casa para torcer no Jockey Club Brasileiro, a torcida canarinho viu ontem o último jogador de simples do país ser eliminado. Depois de fazer boa campanha no Equador, atingindo a semifinal, Thiago Monteiro era tido como principal esperança do Brasil no Rio Open. Porém, o brazuca deu azar no sorteio, pegando o uruguaio Pablo Cuevas, campeão do torneio em 2016.

Monteiro até fez frente ao rival sul-americano, ganhando o primeiro set em uma batalha que foi decidida apenas no tie-break – 7/6 (7-5). A segunda parcial veio e os dois tenistas seguiram com um duelo parelho e com chances de quebra. O tie-break apareceu e o brazuca teve a chance de finalizar o jogo quando o placar apontava 9-8. Ele teve outras duas oportunidades, mas desperdiçou. O resultado: vitória de Cuevas e jogo levado para o terceiro set.

Apesar do revés, o brasileiro não abaixou a cabeça e derrubou o saque do uruguaio na terceira parcial. Porém, o sul-americano fez o mesmo e jogo já contava com duas quebras para cada lado no 3/3. Mas a experiência do tenista número 33º no ranking fez a diferença e ele encerrou com 6/3. Agora, sobrou apenas brasileiro nas duplas: Marcelo Melo, que joga ao lado de Lukasz Kubot; Bruno Soares, parceiro do britânico Jamie Murray, e que tem o duelo local com Fabiano de Paula/Thiago Monteiro; e André Sá/Thomaz Bellucci.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.