Vôlei

Fase Final da Liga das Nações de Vôlei Feminino: dá para cravar a vitória do Brasil sobre a Holanda?

Seleção Brasileira de Vôlei Feminino
Foto: Divulgação/FIVB

Seleção comandada por José Roberto Guimarães desponta como uma das favoritas ao título, mas a concorrência americana promete ser pesada                        

A Copa do Mundo que está sendo realizada na Rússia vem realmente empolgando quem ama o futebol, mas quem curte outros esportes também têm decisões das mais interessantes neste final de semana. Será em Nanjing, na China, que a Liga das Nações de Vôlei Feminino realiza a sua etapa decisiva, com a participação brasileira sendo transmitida ao vivo pelo SporTV 2. A estreia ocorre nesta quinta, diante da Holanda, às 8h15 (de Brasília), com o segundo compromisso ocorrendo na sexta, às 9h30, diante da China, a anfitriã.

 

Favoritismo inegável

Com 12 conquistas, o Brasil foi o maior campeão da história do Grand Prix, o evento que deu origem a esta Liga das Nações. E é de se imaginar que a primeira taça do novo torneio fique de novo com as atletas do país, que terminaram na terceira colocação da fase inicial, é verdade, mas demonstrando que tinham capacidade de vencer os Estados Unidos, que terminaram na liderança, e a Sérvia, segunda colocada.

Esta Fase Final da Liga das Nações conta com as cinco melhores seleções da etapa classificatória (Estados Unidos, Sérvia, Brasil, Holanda e Turquia) e o país-sede, que é a China (país sede). Foram sorteados dois grupos de três equipes. No Grupo A estão Brasil, Holanda e China; no B, Estados Unidos, Sérvia e Turquia.

O sistema de classificação é o tradicional, com as equipes jogando entre si e classificando as duas melhores para a semifinal.

O Brasil já bateu a Holanda (na própria Holanda no fim de maio) por 3 sets a 1 e a China (na própria China, no começo do mês) por 3 sets a 2. Portanto, é de se esperar que as comandadas por José Roberto Guimarães avancem na primeira colocação sem maiores sustos, pois as grandes seleções, e o Brasil talvez seja a principal delas, sobem demais de produção na Fase Final.

Tal prognóstico é despistado, por exemplo, pela levantadora Roberta. “O nosso primeiro jogo será contra a Holanda e já começamos a estudar a equipe delas. É um time rápido e forte fisicamente. Na terceira etapa vencemos a Holanda, mas sabemos que agora é um outro momento. Cada set e cada ponto são muito importantes. Logo depois, vamos enfrentar a China que jogará em casa. Sabemos das dificuldades, mas estamos muito bem preparadas e esperamos fazer uma ótima Fase Final”, analisou.

 

Uma boa distribuição

O Brasil fez um completo período de treinamentos no Japão antes de chegar à China. E uma das novidades da equipe nesta Fase Final vai ser Jaqueline na função de ponteira, no lugar de Drussyla, que fraturou a mão e precisou voltar ao Brasil.

José Roberto Guimarães terá à disposição as seguintes jogadoras na Fase Final da Liga das Nações: as levantadoras Roberta e Macris, as opostas Tandara e Monique, as centrais Adenízia, Bia, Mara e Carol, as ponteiras Gabi, Amanda, Rosamaria e Jaqueline e as líberos Suelen e Gabiru. É um time jovem e que permite muitas variantes para o técnico que vai precisar lidar com o desafio de encarar escolas muito diferentes entre si nos próximos dias.

“Estou vindo para essa Fase Final com o objetivo de ajudar o grupo. Fiquei muito triste com a lesão da Drussyla que fez uma grande competição. O Brasil teve uma fase de classificação muito positiva e o grupo está focado. Estou aqui disposta a ajudar da melhor forma possível. É mais um desafio na minha carreira”, disse Jaque.

“A Jaqueline participou dos jogos do Brasil na primeira semana da Liga das Nações em Barueri. Depois ela ficou treinando em Saquarema como líbero e atacante para qualquer emergência”, falou José Roberto. “Ela foi chamada para nos ajudar nessa Fase Final. Como ela treinou nas duas posições e está em forma vai poder nos ajudar na etapa decisiva.”

 

Palpite

Faz todo o sentido imaginar uma classificação tranquila do Brasil, que pode sofrer apenas um pouco na saída de rede e na necessidade de usar Jaqueline, que não era a primeira opção. Mas ela tem experiência suficiente para contribuir com a eficiência no passe, mesmo que seu ataque hoje em dia já não seja o mesmo de antes. Holanda e China não assustam. As holandesas terminaram a fase de classificação em quarto, com as chinesas em nono. É bom o Brasil até mesmo pensar em ficar em primeiro em seu grupo e tentar fugir da forte seleção americana, que seria encontrada apenas na decisão.

 

Jogos do Brasil na Fase Final da Liga das Nações de Vôlei Feminino

Quinta-feira, 28 de junho

  • 08:15 – Brasil x Holanda – Palpite: Brasil

Sexta-feira, 29 de junho

  • 09:30 – Brasil x China – Palpite: Brasil

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Final da Liga das Nações de Vôlei Feminino: Brasil arrasa a Holanda e é favorito também contra a China | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.