Ganhador.com

Tênis

Estreia tranquila do croata Marin Cilic e nova decepção com Thomaz Bellucci marcam primeiro dia do Rio Open

Foto: Buda Mendes/Getty Images

Cabeça de chave número 1 do torneio precisou de 1h19 minutos para despachar o argentino Carlos Berlocq; brasileiro caiu logo na primeira rodada após ter vantagem de 4/0 no segundo set

A primeira rodada do Rio Open foi aberta na segunda-feira (19 de fevereiro) sem muitas surpresas. Enquanto Marin Cilic, principal candidato ao título do ATP 500, estreou sem tantas dificuldades, batendo em sets diretos o argentino Carlos Berlocq, o cabeça de chave número 5, Fabio Fognini, precisou resgatar forças do “além” para derrubar Thomaz Bellucci, em possivelmente um dos tropeços mais inexplicáveis da carreira do brasileiro. O Brasil ainda sofreu outros dois baques com as eliminações de Rogerinho Dutra em simples e de Marcelo Demoliner nas duplas. Dá só uma olhada no que de melhor rolou no Jockey Club Brasileiro.

 

Vitória tranquila

A expectativa sobre Marin Cilic era enorme. E olha que não era pelo fato de o croata ser o atual vice-campeão do Aberto da Austrália e o terceiro colocado no ranking da ATP. A apreensão era por conta de sua estreia no saibro na temporada. Depois de disputar torneios em quadras rápidas, incluindo o GS australiano, sua primeira partida na terra batida era uma incógnita.

Apesar do susto logo no primeiro game contra Carlos Berlocq, quando salvou três break-points, Cilic descomplicou a partida e derrotou o “hermano” por 6/2 e 6/3. Agora, o croata aguarda o vencedor do duelo entre o francês Gael Monfils e o também argentino Horacio Zeballos.

 

Decepção

Estava claro que a estreia de Thomaz Bellucci não era das mais fáceis. Mas se você chegou a dar uma olhada no nosso Guia do Rio Open 2018, sabe que o nosso tenista teria “uma chance”, já que o seu adversário não inspirava confiança. O motivo: sua instabilidade emocional.

E como avisamos, Fabio Fognini foi Fabio Fognini. Deu chilique e pediu atendimento médico, mas, como as vezes acontece, “voltou” para o jogo. O problema é que Thomaz Bellucci foi… Thomaz Bellucci – com o perdão do trocadilho. Ele surpreendeu o italiano no primeiro set por 7/6 (7-5) e tinha tudo para alcançar uma vitória com V maiúsculo em solo brasileiro, para assim amenizar o retrospecto ruim no Rio Open – quatro derrotas em sete jogos. Com 4/0 na segunda parcial, Bellucci simplesmente “apagou”. E olha que o rival chegou a pedir por duas vezes o serviço médico. A parada surtiu efeito e Fognini passou a fazer o que se espera dele: ser agressivo. Foi assim que ele conseguiu uma virada por 7/5 e “clareou” tudo para o decisivo set, fechando em 6/2 e aumentando a freguesia do brasileiro no confronto direto – cinco vitórias seguidas do europeu sobre Bellucci no saibro.

 

O adversário

O oponente de Fabio Fognini na segunda rodada será um tenista que ganhou os holofotes da mídia apenas neste ano, graças as suas exibições no Aberto da Austrália. Estamos falando do norte-americano Tennys Sandgren (60º), que foi uma das principais zebras do primeiro GS do ano após desbancar dois renomados tenistas: o suíço Stan Wawrinka e o austríaco Dominic Thiem. Ele só parou nas quartas de final, diante do também azarão Hyeon Chung, da Coreia do Sul. Voltando ao Rio Open, Sandgren avançou no torneio após o abandono do espanhol Roberto Carballés, quando a partida estava 4/6, 6/1 e 4/3.

 

Mais eliminações brasileiras

O dia não foi nada bom para os tênis brasileiro. Além de Thomaz Bellucci, Rogerinho Dutra caiu logo na abertura do Rio Open. E assim como o seu compatriota, Rogerinho teve a possibilidade de vencer o embate contra o espanhol Abert Ramos quando o placar apontava 3/1 para ele no terceiro set. Porém, o brazuca não conseguiu se adaptar as condições de jogo, que teve sua parte final disputada em meio à chuva. Resultado: vitória do espanhol por 2 sets a 1 e carimbo para a fase seguinte, na qual encara o chileno Nicolas Jarry (94º), que surpreendeu o espanhol Guilhermo García-López.

Quem também se deu mal foi Marcelo Demoliner, que se despediu do torneio na chave de duplas. Ao lado do francês Gael Monfis, o gaúcho perdeu para os espanhóis David Marrero e Fernando Verdasco.

Demoliner e Monfils até iniciam a partida muito bem, ganhando o primeiro set por 6/1. Porém, o brazuca e seu parceiro não mantiveram a mesma intensidade na parcial seguinte e tomaram o mesmo placar. Mais confiantes, Marrero e Verdasco venceram o super tie-break por 10/5, encerrando a participação do brasileiro na competição.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar