NASCAR

NASCAR: Será o renascimento da lenda Jimmie Johnson na Auto Club 400?

Foto: Jonathan Ferrey/Getty Images

Como o tempo passa rápido! Parece que foi ontem que falávamos da Daytona 500… Já se passaram quatro etapas da NASCAR! A temporada 2017 segue a mais emocionante dos últimos anos: foram quatro vencedores diferentes e nenhuma equipe disparando como favorita até então. As mudanças no regulamento estão fazendo efeito! A categoria desembarca em Fontana, Califórnia, para terminar a sequência de três corridas na costa oeste dos EUA. A Auto Club 400 chega com tudo e acontece no Auto Club Speedway às 16h30 (de Brasília). A expectativa é que uma lenda do esporte renasça na temporada: Jimmie Johnson.

Não è à toa que o piloto americano é apelidado de “Tom Brady da NASCAR”: o veterano de 41 anos é o atual campeão da principal categoria e o maior vencedor de todos os tempos com sete títulos na carreira. Mas então por que renascimento? Pois Jimmie iniciou 2017 de forma desastrosa – em apenas uma das quatro etapas conseguiu ficar acima da 10º colocação. Alguns especialistas descartam um bom desempenho de Johnson em Fontana, mas, assim como o Tom da bola oval, a história mostra que não se pode ignorar uma lenda do esporte.

O mercado de jogos parece entender isso: ele é o grande favorito para vencer em Fontana. Por quê? Ninguém é melhor que Jimmie Johnson pilotando em seu estado natal. Nascido em El Cajon-CA, Johnson é quase imbatível correndo no ‘quintal de casa’: ele lidera a lista dos pilotos ativos com seis vitórias no Auto Club Speedway – cinco nas últimas 13 corridas – e também é o líder em voltas na liderança (980) e no rating dos pilotos (119,7). Um monstro em Fontana! Apesar dos desempenhos abaixo da média, ele vem melhorando a posição com o passar das provas – conseguiu um decente 9º lugar na semana passada em Phoenix.

 

Kyle Larson e a ‘maldição’ do 2º lugar

Nenhum piloto da NASCAR deve reclamar de chegar na 2º colocação, afinal, trata-se de uma categoria com muitos carros e extremamente competitiva. O caso do jovem Kyle Larson é, digamos, peculiar: ele bateu na trave e chegou em segundo nas três últimas corridas! A regularidade premiou o piloto com a liderança do campeonato – com 184 pontos – mas Larson já afirmou em entrevistas que quer quebrar a ‘maldição’ e finalmente receber a bandeira quadriculada na primeira posição. Será que finalmente chegou a vez dele?

A única vitória da carreira de Larson veio em Michigan – em uma pista considerada ‘irmã’ de Fontana pela similaridade no formato. O jovem venceu a “Pure Michigan 400” no ano passado quando o novo pacote ‘low downforce’ para os carros ainda estava em período de testes – agora ele será utilizado de forma definitiva na Califórnia. Apesar de todo esse ‘vento a favor’ do garoto, ele é apenas o quinto na lista de favoritos para a prova… Vale ficar de olho!

 

Desentendimento entre Busch e Logano está longe de terminar

Se há uma pessoa neste mundo que Kyle Busch deve desprezar atualmente é Joey Logano. Como contamos na semana passada, um toque proposital de Logano em Busch nas voltas finais da Kobalt 400 tirou Busch da pista e acabou com as chances de vitória do piloto – que corria em seu estado natal. Enfurecido no fim da prova, Kyle Busch foi até os boxes da Penske e partiu para a briga com Logano e o pessoal da equipe – saindo de lá com um baita corte na testa.

Pois bem. Prevemos na semana passada que a rivalidade entre eles estava longe de acabar e poderia ter um novo capítulo em Phoenix – foi o que aconteceu: mesmo que indiretamente, Logano tirou a vitória das mãos do rival. Kyle Busch assumiu a ponta na parte final da Camping World 400, liderou por 114 voltas e se encaminhava para a vitória. Porém, uma paralisação na prova, ou caution, fez com que a grande maioria dos carros da ponta fosse para os boxes – inclusive Busch.

Acontece que dois pilotos azarões, Ryan Newman e Ricky Stenhouse Jr, arriscaram permanecer na pista e se deram muito bem: terminaram em 1º e 2º respectivamente – com Busch cruzando a linha de chegada na 3º colocação. Quiz: qual foi o piloto que bateu no muro e causou a paralisação nas voltas finais? Sim, Joey Logano. Inacreditável!

 

“Everything is great”

Transtornado, Kyle Busch respondeu todas as perguntas após a prova com “everything is great” (está tudo ótimo). Pelo menos ele transformou a atitude feia com os jornalistas em algo positivo: sua instituição de caridade vai vender em seu site camisetas estampadas com ‘everything is great’ e todo o dinheiro será revertido para a as crianças carentes. O preço da camiseta? 22 dólares – ‘por coincidência’ o número do carro de Joey Logano. Ah… o frete é grátis!

 

Favoritos para a Camping World 500:

  • Jimmie Johnson da Hendrick Motorsports (7.00)
  • Joey Logano da Team Penske (9.00)
  • Kevin Harvick da Stewart-Hass Racing (9.00)
  • Kyle Busch da Joe Gibbs Racing (9.00)
  • Brad Keselowski da Team Penske (9.00)
  • Martin Truex Jr. Furniture Row Racing (9.00)
  • Kyle Larson da Chip Ganassi Racing (10.00)
  • Chase Elliott da Hendrick Motorsports (11.00)
  • Dale Earnhardt Jr. da Hendrick Motorsports (13.00)
  • Matt Kenseth da Joe Gibbs Racing (13.00)
  • Denny Hamlin da Joe Gibbs Racing (16.00)
  • Kurt Busch da Stewart-Hass Racing (26.00)

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Juventude x experiência: a nova geração da NASCAR finalmente vai ganhar o ‘grande relógio’ da STP 500? | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar