Amistosos

Com a benção do Papa Francisco, Roma e Chapecoense jogam nesta sexta-feira

Foto: L'Osservatore Romano/Pool Photo via AP

Duelo está sendo divulgado com o lema “Todos lado a lado” e é mais uma etapa da reconstrução da equipe catarinense

Em meio às eliminatórias para a Copa do Mundo, a Chapecoense aproveitou uma folga no apertado calendário brasileiro e foi para a Roma enfrentar o time da capital em mais um passo da sua reconstrução. A partida amistosa acontece nesta sexta-feira (01/09), às 15h45, mas a cerimônia que marca este jogo começou já na quarta-feira com a visita dos jogadores ao Papa Francisco, na Praça São Pedro, no Vaticano.

 

Viagem em um bom momento

Apesar de ser desgastante esse bate-e-volta da Europa, isso tem sido muito bom para melhorar o clima da Chapecoense e ainda aliviar a pressão dos péssimos resultados no Brasileirão. Curiosamente, o único triunfo dos últimos oito jogos do clube aconteceu quando retornou da Espanha e bateu o Palmeiras por 2 a 0. Nas demais sete apresentações foram seis derrotas e somente um empate. O pior de tudo é que o ataque não tem funcionado, tendo feito dois gols em seis jogos.

Este será o terceiro compromisso do time catarinense na Europa, algo bastante incomum para os brasileiros nos últimos anos. Agora, a equipe tem talvez a grande chance de vencer, pois encara um time desfalcado pelas convocações das seleções para a disputa das eliminatórias. Nas demais partidas, não teve chances contra o Barcelona, quando foi goleado por 5 a 0, e para o Lyon, quando foi derrotado de virada por 2 a 1. Na ocasião todos os times estavam completos.

Com isso, a Chapecoense tem uma boa oportunidade pela frente, mas diante da sua fragilidade, conseguir balançar as redes do tradicional Estádio Olímpico de Roma já seria um grande feito.

 

Foto: L’Osservatore Romano/Pool Photo via AP

 

Mudanças no time

Mesmo com a importância do momento, a Chapecoense não vai com força máxima para a partida. Dos titulares, apenas três estão com a delegação: os zagueiros Grolli e Fabrício Bruno e o volante Lucas Mineiro. Outros dois que vêm jogando frequentemente e devem entrar em campo são o meia Moisés Gaúcho, o atacante Júlio César e o lateral Diego Renan.

Para o gol estará um grande conhecido da torcida, o goleiro Artur Moraes, que pegou um pênalti contra o Barcelona. Como reserva está Tiepo, que disputou a Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano. Outras duas peças da base também estão em Roma: Bryan e Khevin.

No entanto, o grande destaque é a presença do lateral Alan Ruschel, que é um dos sobreviventes do acidente aéreo com a delegação da Chapecoense.

Essas mudanças e a falta de entrosamento deixam a equipe mais frágil, e deve acabar mesmo lutando pelo empate.

 

Sucesso apenas fora do campo

Se a ação da Roma de convidar a Chapecoense para esse jogo foi um golaço fora de campo, dentro das quatro linhas o rendimento não é dos melhores. Com exceção de triunfos sobre desconhecidos Pinzolo e Slovacko, as demais apresentações não foram grande coisa. O clube até conseguiu ganhar apertado do Tottenham, em um amistoso, e da Atalanta, pelo Campeonato Italiano, mas foi só. Nos demais compromissos, ficou no empate com PSG e Juventus e perdeu para Sevilla e Celta. O pior acabou vindo depois, com uma derrota por 3 a 1 em casa para a Internazionale.

 

A razão do amistoso

No dia 29 de novembro do ano passado, o avião com a equipe da Chapecoense caiu na Colômbia, vitimando 71 pessoas, entre jogadores, dirigentes e jornalistas que cobririam a decisão da Copa Sul-Americana entre a equipe e o Atlético Nacional. Entre os brasileiros, foram apenas quatro sobreviventes: O goleiro Jackson Follmann, o lateral Alan Ruschel, o zagueiro Neto e o jornalista Rafael Henzel.

Já o clube teve que passar por uma reconstrução, pois sem jogadores e nem recursos, precisou contar com o convite para uma série de homenagens e jogos amistosos com o objetivo de arrecadar fundos para a remontagem do elenco e dar assistência às famílias.

 

Foto: AP Photo/Andrew Medichini

 

Palpite

Com a Roma desfalcada, a Chapecoense vai ter a grande chance de conseguir vencer um jogo na Europa. No entanto, com todo o desgaste do calendário apertado do futebol brasileiro e da viagem, o mais provável é que os catarinenses consigam apenas um empate.

Sem os titulares dos dois lados, a falta de entrosamento deve pesar e a rede não será balançada muitas vezes. A expectativa é de um duelo com no máximo dois gols.

 

Jogo amistoso

Sexta-feira, 1 de setembro

  • 15:45 – Roma x Chapecoense. Palpite: Empate em 1 a 1

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.