Eliminatórias da Copa do Mundo 2018

Seleção Brasileira é favorita em teste de fogo contra a Argentina

Foto: Gabriel Rossi/Getty Images

Superclássico é a grande atração da 11ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018

São quatro jogos e quatro vitórias. A era Tite à frente da Seleção Brasileira não poderia ter começado melhor, no entanto, a equipe canarinho terá nesta quinta-feira (10) o seu teste de fogo nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo da FIFA 2018. A 11ª rodada marca o duelo entre os companheiros de Barcelona, Neymar e Messi, em um palco que traz o pior resultado do futebol nacional: o Mineirão. Dois anos e quatro meses após o fatídico 7 a 1 para a Alemanha, o Brasil volta a Belo Horizonte tentando passar uma borracha no passado e voltar a dar alegria aos torcedores.

Líderes do torneio classificatório para a competição na Rússia com 21 pontos, os brasileiros sabem que outro resultado que não seja vitória não interessa. Isso porque o Uruguai, vice-líder, possui um ponto de distância e tem grandes possibilidades de assegurar os três pontos em Montevideo, contra o Equador. Por isso, os comandados de Tite têm ciência da responsabilidade, porém buscam não levar a pressão para dentro de campo.

Em relação ao time que começa o jogo, o técnico gaúcho não faz mistério. Com Casemiro, do Real Madrid, lesionado, o volante Fernandinho, do Manchester City, assume a vaga. Na lateral-esquerda, madridista Marcelo entra no lugar de Filipe Luís, do Atlético de Madrid. Completam a formação titular: Alisson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda, Paulinho, Philippe Coutinho, Renato Augusto, Neymar e Gabriel Jesus.

Apesar do Mineirão trazer uma péssima recordação à população, ele pode servir de motivação quando o assunto é jogar contra os vizinhos. São até agora quatro jogos diante da Argentina, sendo três vitórias e um empate. O destaque dos confrontos em Minas Gerais foi em 2004, quando o fenômeno Ronaldo fez o hat-trick na vitória sobre 3 a 1, em partida também válida pelas Eliminatórias.

Com a confiança em alta, a Seleção Brasileira é favorita para vencer o Superclássico. Resultado favorável ao país pentacampeão mundial é cotado em R$ 2,10, com rendimento de 110%. Já o palpite “na mosca”, como 1 a 0 para o Brasil, paga R$ 6,50, enquanto 2 a 1, é de R$ 9,00.

Mesmo com o termo azarão ser determinado para a equipe de Messi e companhia no embate, uma vitória albiceleste não seria de toda surpresa. Um time que possui o melhor jogador do mundo, além de Sergio Agüero, Higuaín, Di María, Mascherano, entre outros, é de causar estrago em qualquer defesa. Por isso, fiquem de olho. Vitória argentina é avaliada em R$ 3,90 para cada real investido, sendo o placar exato de 1 a 0 cotado em R$ 9,50.

Até pela dimensão do jogo, uma vez que derrota dos argentinos os deixará ainda mais longe do G-4, grupo que garante vaga direta para a Rússia — hoje estão em sexto, um ponto atrás da Colômbia, quarta colocada —, o empate não é considerado um mau negócio. Isso se reflete nas apostas, já que a igualdade tem cotação de R$ 3,40. No quesito placar exato, 1 a 1 paga R$ 6,50.

 

Uruguai x Equador

Como já adiantado, o Uruguai mede forças com o Equador buscando seguir na cola do Brasil. Com a dupla Cavani, artilheiro da competição com sete gols, e Suárez em alta, o time celeste concentra os principais investimentos da peleja, avaliados em R$ 1,62. Já do lado dos equatorianos, que estão em terceiro na classificação geral com 17 pontos, vencer significa cravar a maior cotação da rodada — R$ 6,50 —, para delírio dos investidores. Igualdade paga R$ 4,00.

 

Colômbia x Chile

Outro embate que promete ferver dentro de campo é entre Colômbia e Chile, em confronto direto por uma vaga para a próxima Copa. Com 17 pontos e a quarta posição, os colombianos, do técnico José Pékerman, veem o jogo como chave para suas pretensões na competição. Mesmo com a ausência de Juan Quadrado, suspenso pelo acúmulo de cartões amarelos (três no total), os donos da casa precisam vencer — em cotação avaliada em R$ 1,85 — para adquirem vantagem sobre os rivais na tabela. Para isso, contam com o retorno de Falcao Garcia, que voltou à boa forma no Monaco. Ele não era convocado pela Seleção Colombiana desde 2014.

Já os chilenos, que estão em quinto com 15 pontos, posição que dá direito a disputar a repescagem, somar pontos é obrigação, mesmo que seja um empate, que paga R$ 3,75. O receio da Roja deve-se em razão de seu principal jogador – Alexis Sánchez – estar fora devido a uma contratura muscular na coxa direita. Caso a zebra pinte por Barranquilla, vitória do Chile paga R$ 4,50.

 

Confira todos os jogos, horários e cotações da 11ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo da Rússia 2018:

  • 10/11: 18h30 – Colômbia (R$ 1,85) x Chile (R$ 4,50); empate (R$ 3,75)
  • 10/11: 21h – Uruguai (R$ 1,62) x Equador (R$ 6,50); empate (R$ 4,00)
  • 10/11: 21h30 – Paraguai (R$ 1,83) x Peru (R$ 5,00); empate (R$ 3,60)
  • 10/11: 21h30 – Venezuela (R$ 1,60) x Bolívia (R$ 6,00); empate (R$ 4,33)
  • 10/11: 21h45 – Brasil (R$ 2,10) x Argentina (R$ 3,90); empate (R$ 3,40)

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar