Humor

Paixão Nacional: não temos tempo para isso

É de enlouquecer, mas olhando friamente o calendário, o Flamengo que foi campeão carioca no último domingo, dia 21, após nova vitória por 2 a 0 sobre o Vasco é o mesmo Flamengo que foi derrotado pela LDU na noite de ontem, quarta-feira, dia 24 e que, quando muito, comemorou o título estadual dentro do avião à caminho de Quito, no Equador. E o Vasco, vice-campeão carioca, é o mesmo time que, também na noite de ontem, fazia o jogo decisivo contra o Santos pela volta da quarta fase da Copa do Brasil – e por muito pouco não conseguiu forçar uma decisão por pênaltis. Já o Corinthians, campeão paulista no domingo, enfrentou a Chapecoense – que levou o vice catarinense também no domingo – no duelo decisivo pela Copa do Brasil ontem, dia 24, no Itaquerão (vitória do alvinegro por 2 a 0 e classificação para a próxima fase).

O mesmo aconteceu com o Grêmio, Cruzeiro, Internacional, Atlético-MG e Athletico-PR: todos estavam envolvidos em decisões estaduais no final de semana (exceto pelo Campeonato Gaúcho que foi decidido na quarta-feira, dia 17). Os times mal tiveram tempo de se recuperar, festejar (ou absorver) o resultado dos estaduais e já enfrentaram jogos decisivos neste meio de semana. E, sem tempo de absorver o que aconteceu – principalmente as derrotas comentadas aqui – e muito menos treinar, já se preparam para os jogos da primeira rodada do Campeonato Brasileiro que começa neste final de semana.

É fato que o futebol brasileiro não é mais aquela maravilha que enchia os olhos do mundo. Longe disso.

Somos hoje um celeiro de jovens promissores que vão embora muito precocemente (Vinícius Júnior, Lucas Paquetá…), morada de atletas que estão queimando a última lenha de suas carreiras e retornam do exterior para fazer mais alguns trocados antes da aposentadoria (Tardelli, Jucilei…) ou porto seguro para quem não vingou longe do Brasil (Dudu, Tchê Tchê…). Mas o calendário também não ajuda. Com jogos em cima uns dos outros e tantas decisões acumuladas não há tempo de preparo ou mesmo de maturação de elencos.

O Flamengo, campeão “ontem”, pode dar adeus à Libertadores “amanhã” sem nem mesmo ter tempo de festejar o título estadual – que sempre é tratado como “não vale nada, não vale nada”, mas derruba técnico com uma facilidade absurda.

Pode ser chatice minha, mas tem alguma coisa errada nisso aí… Não?

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar