Copa do Mundo Qatar 2022

Você prefere a Copa do Mundo com 32 ou com 48 seleções no Qatar 2022?

Curiosidades sobre Copa do Mundo Qatar 2022.
Foto: David Ramos - FIFA/FIFA via Getty Images

FIFA baterá o martelo em 26 de outubro

A Copa do Mundo do Qatar 2022 poderá se tonar a primeira a contar com 48 participantes, em vez dos atuais 32. A FIFA aprovou o aumento no número de seleções para 2026, mas a CONMEBOL lançou a ideia de antecipar em quatro anos a presença de mais 16 times na principal festa do velho esporte bretão. As federações nanicas logo se entusiasmaram. No entanto, a viabilidade de adaptar a estrutura planejada para o Qatar será o determinante da questão. Confira abaixo as últimas notícias.

 

Qatar 2022

O Qatar derrotou Austrália, Coreia do Sul, Estados Unidos e Japão para ter o direito de sediar a fase final da Copa do Mundo de 2022. Os norte-americanos denunciaram a compra de votos por parte de dirigentes árabes no que desencadeou o FIFA Gate.

O Mundial seria nos meses de junho e julho, apesar das alta temperaturas no Oriente Médio nesta época do ano. Endinheirados, os sheiks qataris disseram que iriam investir em climatização desde os hotéis até os estádios, que seriam fechados. O sistema de refrigeração estaria presente nas estações de metrô, nos trens e nas fan zones.

Apesar da promessa estar garantida no papel, a FIFA optou por mexer na data da competição, que terá seu jogo inaugural em 21 de novembro e sua grande final em 18 de dezembro.

 

De 32 para 48 países

Em abril deste ano, o presidente da CONMEBOL Alejandro Domínguez, com apoio de seus dez afiliados, pediu a FIFA que o aumento no número participantes na fase final da Copa do Mundo seja realizado já em 2022.

A ideia agradou muitas federações sem expressão no futebol e forçou com que o Comitê Organizador Local e a FIFA iniciassem discussões sobre esta possibilidade.

A princípio, o Qatar terá apenas oito estádios, quatro na capital e quatro no interior.

 

Entradas de Arábia Saudita, Barem e Emirados Árabes?

Por conta de uma crise geopolítica regional no Golfo Pérsico, o Qatar rapidamente vetou dividir a organização do Mundial com seus vizinhos. A possibilidade de incluir novos países foi levantada por alguns executivos da FIFA, pois a Arábia Saudita organizava a Copa das Confederações e os Emirados Árabes atualmente sediam o Mundial Interclubes. Ou seja, alguma estrutura eles têm.

 

Você é a favor ou contra a mudança?

O que você acha da mudança? Por um lado, países importantes como Holanda, Itália, Chile, Estados Unidos e Gana, que ficaram ausentes na Rússia 2018, teriam mais possibilidades de se classificar. Por outro lado, equipes bem mais fracas como Honduras, Zâmbia e Uzbequistão também teriam uma chance.

Se o nível técnico com 32 países já é duvidoso, vide Arábia Saudita e Panamá mês passado, o que dizer de 48? Os clássicos são cada vez mais raros, mal dará tempo de se estudar os craques e os esquemas táticos.

Para o anfitrião, a estrutura passará a ser gigantesca: mais estádios, mais hotéis, mais centros de treinamento, mais segurança, mais intérpretes, etc.

A fórmula de disputa aprovada também é motivo de controvérsia: 16 triangulares na primeira fase e o mata-mata começaria das décimas-sextas de final.

 

Nova distribuição de vagas

Pela distribuição de vagas aprovada para 2026, o continente africano será o maior beneficiado.

  • África, 9 (aumento de 4)
  • Ásia, 8 (aumento de 3,5)
  • Europa, 16 (aumento de 3)
  • CONCACAF, 6 (aumento de 2,5)
  • América do Sul, 6 (aumento de 1,5)
  • Oceania, 1 (aumento de 0,5)
  • Repescagem, 2 (aumento de 0)

Num exercício hipotético para a Rússia 2018, estas seriam as esquadras que teriam se classificado, além das 32 que de fato jogaram a Copa do Mundo: Burquina Faso, Chile, China, Costa do Marfim, Emirados Árabes, Estados Unidos, Grécia, Honduras, Irlanda do Norte, Itália, Nova Zelândia, República Democrática do Congo, Síria, Trinidad & Tobago, Uganda e Uzbequistão.

 

As sub-sedes

  • Estádio Ahmed Bin Al (Al Rayyan), 44.740 pessoas.
  • Estádio Al Bayt (Al Khor), 60 mil pessoas.
  • Estádio Al Thumama (Doha), 40 mil pessoas.
  • Estádio Al Wakrah (Al Wakrah), 40 mil pessoas.
  • Estádio da Fundação Qatar (Doha), 45.350 pessoas.
  • Estádio Icônico de Lusail (Luasil), 86.250 pessoas.
  • Estádio Internacional Khalifa (Doha), 48 mil pessoas.
  • Estádio Ras Abu Aboud (Doha), 40 mil pessoas.

 

A evolução no número de participantes:

  • 1930 no Uruguai, 13.
  • 1934 na Itália, 16.
  • 1938 na França, 15.
  • 1950 no Brasil, 13.
  • 1954 na Suíça, 16.
  • 1958 na Suécia, 16.
  • 1962 no Chile, 16.
  • 1966 na Inglaterra, 16.
  • 1970 no México, 16.
  • 1974 na Alemanha Ocidental, 16.
  • 1978 na Argentina, 16.
  • 1982 na Espanha, 24.
  • 1986 no México, 24.
  • 1990 na Itália, 24.
  • 1994 nos Estados Unidos, 24.
  • 1998 na França, 32.
  • 2002 na Coreia do Sul/Japão, 32.
  • 2006 na Alemanha, 32.
  • 2010 na África do Sul, 32.
  • 2014 no Brasil, 32.
  • 2018 na Rússia, 32.
  • 2022 no Qatar, ??
  • 2026 no Canadá/Estados Unidos/México, 48.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar