Ganhador.com

Brasileirão Série A

São Paulo, Inter e Flamengo tropeçam na 22ª rodada do Brasileirão e veem Palmeiras e Grêmio entrarem de cabeça na luta pelo título

Entrou na briga

Invicto no Brasileirão desde a chegada de Felipão, o Palmeiras sobe de produção e entra na briga pelo título.

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

São Paulo, Internacional e Flamengo – os três primeiros colocados no Campeonato Brasileiro – não conseguiram vencer na 22ª rodada da competição. Líder e vice-líder não foram bem e empataram seus jogos enquanto que o Flamengo, terceiro colocado, perdeu no Maracanã para o Ceará – vice-lanterna do Brasileirão. Melhor para Grêmio e Palmeiras que venceram suas partidas e encurtaram a distância para os líderes – apenas seis pontos separam o Imortal e o Verdão do Tricolor Paulista, que tem apenas três pontos de vantagem sobre o Colorado.

À medida que avança rumo ao seu final, o Campeonato Brasileiro de 2018 vai ficando mais e mais divertido. Os vacilos de São Paulo, Internacional e Flamengo aliados aos triunfos de Palmeiras e Grêmio deixaram apenas 6 pontos de diferença entre o 5º colocado (Palmeiras, 40 pontos) para o líder São Paulo (46). O suficiente para garantir – em teoria – uma disputa acirrada até as últimas rodadas. É claro que não podemos esquecer que, diferente dos líderes, Flamengo (41 pontos), Grêmio e Palmeiras dividem suas atenções com outras competições e em algum momento precisarão definir qual é o campeonato mais importante. Até lá, porém, a disputa pelo topo da tabela deverá ser bem acirrada.

 

Se os líderes não vencem…

São Paulo 1 x 1 Fluminense

Não foi um grande jogo no Morumbi, mas em uma tarde pouco inspirada – e com um jogador a menos desde o primeiro tempo – o São Paulo manteve sua invencibilidade em casa e a liderança do Brasileirão.

No primeiro tempo, de pouca qualidade, o destaque foi a expulsão de Diego Souza à la Felipe Melo: o são paulino que havia passado todo o primeiro turno do Campeonato Brasileiro sem levar um único cartão, deixou o braço em disputa com Léo aos 33 minutos e ganhou o vermelho de imediato. Isso acabou com o pequeno domínio que os donos da casa exerciam sobre o Fluminense e o primeiro tempo arrastou-se até o final.

No segundo tempo, logo aos oito minutos, Anderson Martins foi o retrato da jornada do São Paulo: ao tentar desviar de cabeça um chutão de Sonorza, mandou a bola para o fundo do gol de Sidão que nada pôde fazer.

À frente no placar o Fluminense recuou e deu campo aos donos da casa que, mesmo com um jogador a menos, pressionaram os cariocas até que Tréllez saiu do banco de reservas para, no lugar de Shaylon, completar de cabeça o cruzamento de Regis e deixar tudo igual.

O Flu tentou pressionar no final com Matheus Alessandro e Luciano, mas era dia de 1 a 1 – muito justo pelo que foi o jogo.

Melhor para o São Paulo que na combinação de resultados pouco se prejudicou e pior para o Tricolor das Laranjeiras que foi ultrapassado por Santos e Atlético-PR nos critérios de desempate – estão todos com 27 pontos.

Cruzeiro 0 x 0 Internacional

Apesar da falta de gols, Cruzeiro e Internacional fizeram um duelo bem mais interessante que o chato duelo de tricolores em São Paulo. Com boas chances para os dois lados, a partida foi movimentada e Marcelo Lomba tornou-se um gigante diante do ataque cruzeirense e garantiu o “0” pelo lado da defesa colorada.

Jogando no contra-ataque, William Potker teve a melhor chance do Internacional, mas a bola parou no travessão de Fábio.

No segundo tempo, a Raposa voltou com mais vontade e pressionou a defesa do Inter que portou-se muito bem – e viu Marcelo Lomba se transformar numa verdadeira muralha impenetrável. Pouco a pouco o time de Odair Hellmann controlou a pressão mineira e equilibrou as oportunidades – Leandro Damião e Edenílson, livres, desperdiçaram boas chances dentro da área do Cruzeiro.

Ao final, um empate justo também pelo que foi o jogo e mais uma chance desperdiçada pelo Internacional para se aproximar do líder.

Flamengo 0 x 1 Ceará

No Maracanã lotado, a torcida do Flamengo perdeu de vez a paciência com o time que jogou muito mal (de novo) e foi surpreendido pelo Ceará, o vice-lanterna do Campeonato Brasileiro.

O Urubu começou dominando e tentando alguma pressão, mas bem fechado em sua defesa o Vozão soube aguentar a pressão e esperar por uma oportunidade. Pouco a pouco, o Flamengo caiu no sistema de jogo que tem caracterizado sua temporada sob o comando de Maurício Barbieri: muita posse de bola, muito cruzamento  e poucas ações mais contundentes em direção ao gol adversário.

Lucas Paquetá, até então xodó da torcida (e convocado para a Seleção Brasileira) fez outra exibição abaixo de sua qualidade com muita lentidão e erros bobos de passes. Foi presenteado, é claro, com as vaias da torcida que fez sua parte e encheu o Maracanã.

Como a bola pune, aos 45 minutos do segundo tempo, Leandro Carvalho “achou” o gol que deu a vitória aos cearenses e fechou de vez o caixão do Flamengo na rodada.

O resultado não só aumenta a distância do Urubu para o São Paulo, como também deixa os cariocas ameaçados em seu 3º lugar por Grêmio e Palmeiras que encurtaram a distância para apenas 1 ponto.

 

…quem vem atrás, encosta

Grêmio 4 x 0 Botafogo

Debaixo de muita chuva em Porto Alegre, o Grêmio encontrou formas para tocar a bola no pesado gramado da Arena e se aproveitando de uma jornada desastrosa da zaga botafoguense goleou o time carioca com grande atuação de Jael – que só não fez chover em campo (ou talvez a chuva tenha sido consequência de sua atuação).

Logo aos oito minutos, Carli cometeu pênalti ao tentar consertar uma bobagem cometida por Yago, seu companheiro de zaga. Jael cobrou e marcou. Três minutos depois, Cícero cruzou, Jael ganhou de Carli e fez o segundo. A partir daí, o Botafogo que não se entendia em campo, foi completamente dominado e não chutou uma única vez com perigo ao gol de Paulo Victor.

No segundo tempo, com o campo muito pesado e a chuva caindo forte, o Botafogo nada pôde fazer para reagir e ainda viu os donos da casa aumentarem com Alisson e André – este em cobrança de mais um pênalti de Carli.

Resultado excelente para o Grêmio que diminui a distância para o líder, assume o quarto lugar e pressiona o Flamengo; e muito ruim para o Botafogo que somou apenas 4 pontos nos últimos 15 possíveis e está perigosamente próximo do Z-4

Chapecoense 1 x 2 Palmeiras

Ainda vivo na Libertadores e na Copa do Brasil, o Palmeiras levou um time misto para o jogo contra a Chapecoense e voltou para casa com sua primeira vitória na Arena Condá e mais próximo do São Paulo, o líder do Brasileirão.

Com um meio-campo forte fisicamente, o Palmeiras precisou de menos de 15 minutos para abrir o placar com Hyoran aproveitando cruzamento de Felipe Melo – o mesmo Felipe Melo que momentos antes mandou uma bola na trave de Jandrei. Atrás no placar, a Chape acordou e tentou equilibrar o jogo mas sua melhor chance veio mesmo em um lance de bola parada no final do primeiro tempo com Leandro Pereira mandando de cabeça na trave após boa cobrança de escanteio.

No segundo tempo, quando a Chape ensaiava um “abafa”, Borja marcou o segundo. Os donos da casa não se entregaram e Rafael Thyere diminuiu de cabeça aos 15. Mas, apesar da luta, o Palmeiras soube segurar o time de Guto Ferreira e voltar para São Paulo com mais uma vitória sob o comando de Felipão.

 

Fechando a rodada

Corinthians 1 x 1 Atlético-MG

No dia do seu 108º aniversário o Corinthians, recheado de reservas, fez (mais) um jogo medonho com o Atlético-MG (outro time que há tempos não joga bem) e como a derrota para os dois lados é impossível, o empate em 1 a 1 foi muito além do que as equipes mereceram. Sem nenhuma criatividade no meio-campo, o Timão abriu o placar com Pedrinho em chute de longe que bateu na trave, nas costas de Victor e foi para o fundo do gol. Mas Gabriel, o estabanado – e imagem viva do “cobertor curto” que Osmar Loss tem no meio campo do Corinthians – cometeu pênalti que Fábio Santos aproveitou. Tudo isso no primeiro tempo. O segundo conseguiu ser ainda pior. Mais até do que o resultado que deixa corintianos e atleticanos muito longe da briga pelo G-4 – porque a luta pelo título eles perderam há muito tempo.

Vasco 0 x 3 Santos

A irritação de Cuca com a diretoria do Santos, aparentemente fez bem para o time – ou pelo menos para Gabigol. O Peixe foi à São Januário enfrentar o Vasco em seu primeiro jogo após a bagunça da eliminação na Libertadores e sem sofrer nenhum tipo de “ameaça real” dos donos da casa venceu o duelo por 3 a 0 e viu o Menino da Vila, Gabriel, se tornar o artilheiro do Brasileirão ao lado de Pedro do Fluminense.

Gabigol foi o nome do jogo – abriu o placar no primeiro tempo e se aproveitou do desespero vascaíno no segundo para fazer os outros dois. Com a defesa bem compactada e encarando um adversário cheio de problemas, o Peixe abriu uma boa distância para o Z-4 e começa a sonhar com o G-6 e uma vaga na Libertadores do ano que vem.

O Vasco, por sua vez, volta à sua sina: lutar contra o rebaixamento.

Atlético-PR 2 x 0 Bahia

O Furacão dominou o Bahia durante toda a partida e não fosse o paredão Douglas Friedrich no gol dos visitantes, o duelo poderia ter se encerrado com uma goleada histórica. Incapaz de “achar” a marcação do meio campo do Atlético-PR com Nikão, Marcinho e Raphael Veiga se movimentando muito, o Bahia apenas se defendia. No segundo tempo o goleiro Douglas, machucado, foi substituído. Aos 22 minutos, Pablo abriu o placar e aos 32 o estreante Rony marcou o segundo e fechou a fatura. Com 13 pontos conquistados nos últimos 15 possíveis, o Furacão subiu na tabela e agora ocupa a 9ª colocação, 3 pontos atrás do Corinthians, o 8º. O Bahia caiu para 14º e está, assim como Vitória, Botafogo e Vasco, muito perto do Z-4.

Vitória 1 x 0 América-MG

Em sua luta contra o rebaixamento, o Vitória contou com uma ajuda inesperada. Ao melhor estilo Felipe Melo, o atacante do América-MG, Rafael Moura, acertou uma cotovelada em Erick aos 15 minutos do primeiro tempo e foi expulso de campo. Com um à menos, o Coelho tentou garantir pelo menos o empate fora de casa, mas não conseguiu. Aos 11 do segundo tempo, Léo Ceará – que já havia marcado o gol da vitória contra o Atlético-MG na rodada anterior – marcou de novo e garantiu mais 3 pontos para os donos da casa que ainda têm a pior defesa da competição, mas não foram vazados nos últimos dois jogos.

Sport 1 x 0 Paraná

Vindo de uma série de 11 jogos sem vitórias, o Sport era a imagem do nervosismo dentro e fora de campo – a torcida, nas arquibancadas não relaxou antes do fim do jogo. O Paraná, lanterna do Campeonato Brasileiro, tentava se aproveitar a tensão do adversário, mas sem sucesso. Após uma pressão inicial, o time paranaense viu o Leão acordar e abrir o placar com Gabriel. Aos 23 minutos o lance de sorte que definiu o jogo: Grampola cabeceou para o fundo do gol de Magrão, mas o árbitro, equivocadamente, anulou. O Paraná voltou para o segundo tempo buscando o empate e aos seis minutos, Grampola (novamente ele) mandou a bola no travessão, Júnior aproveitou o rebote e marcou mas o gol foi anulado (desta vez corretamente) por impedimento. O Paraná seguia em cima dos donos da casa, mas com boas defesas, Magrão garantiu o bicho e alguma tranquilidade para o técnico Eduardo Baptista.

 

CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO 2018

  1. São Paulo, 46 – Libertadores
  2. Internacional, 43 – Libertadores
  3. Flamengo, 41 – Libertadores
  4. Grêmio, 40 – Libertadores
  5. Palmeiras, 40 – Pré-Libertadores
  6. Atlético-MG, 35 – Pré-Libertadores
  7. Cruzeiro, 31 – Copa Sul-Americana
  8. Corinthians, 30 – Copa Sul-Americana
  9. Atlético-PR,, 27 – Copa Sul-Americana
  10. Santos, 27 – Copa Sul-Americana
  11. Fluminense, 27 – Copa Sul-Americana
  12. América-MG, 26 – Copa Sul-Americana
  13. Vitória, 25
  14. Bahia, 25
  15. Botafogo, 25
  16. Vasco, 24
  17. Sport, 23 – Série B
  18. Chapecoense, 21 – Série B
  19. Ceará, 20 – Série B
  20. Paraná Clube, 15 – Série B

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar