Futebol Europeu

PSG não deixou que o conto de fadas do Les Herbiers tivesse final feliz na França e Juventus faturou o tetra da Copa da Itália

Paris Saint-Germain Coupe de France
Foto: Catherine Steenkeste/Getty Images

Outros sete campeões de copas nacionais foram conhecidos neste meio de semana

Pintaram novos campeões de copas nacionais da Europa esta semana. Na verdade, nem todos foram novos. Paris Saint-Germain e Juventus deram a quarta volta olímpica consecutiva em suas competições mata-mata, enquanto que o Shakhtar Donetsk subiu no lugar mais alto do pódio pelo terceiro ano seguido na Ucrânia. Mas também tivemos debutantes, como o Tosno, que faturou o título no ano que seu país sedia o Mundial da FIFA. Confira como foi abaixo:

 

Paris Saint-Germain tetracampeão da Coupe de France

Diante de 74 mil pessoas, o Paris Saint-Germain venceu o Les Herbiers por 2 a 0 e conquistou a Copa da França. A agremiação da terceira divisão ofereceu bastante resistência e só permitiu um gol em cada tempo, marcados por Giovani Lo Celso e Edinson Cavani. Com este resultado, o PSG quebra o recorde de títulos seguidos do torneio. A marca anterior pertencia ao Red Star (dominante entre 1920/21 e 1922/23) e ao Lille (campeão entre 1945/46 e 1947/48). Este certame é o que conta com mais participantes em todo o mundo. A edição desta temporada teve 8.506 times.

 

Juventus tetracampeã da Coppa Itália

Em 21 de janeiro de 2014, a Roma ganhou da Juventus por 1 a 0 pelas quartas de final da Coppa Itália. Esta foi a última competição que a Vecchia Signora não conquistou em seu país, considerando todas as edições da Série A e da copa desde então. Muito próxima do heptacampeonato da primeira divisão, a Juve colocou no bolso a Coppa Itália ao tornar o sonho do Milan em pesadelo: 4 a 0. Os gols do carnaval fora de época em Turim tiveram como autores Medhi Benatia (dois), Douglas Costa e Nikola Kalinic (contra). Os rossoneri devem repensar sua política de investimentos. Gastou-se muito dinheiro em julho e o ano passou em branco.

 

Tosno campeão da Copa da Rússia

Fundado em 2013, o Tosno chegou à elite russa ao final de 2016/17. Em seu primeiro ano na Premier League, os alvinegros passaram por muitos apuros e, mesmo ameaçadíssimos de descenso, contaram com os tropeços dos grandes e tiraram o Spartak de Moscou para chegarem à final, que foi contra outra surpresa: o Avangard Kursk, da segundona. O placar foi apertado: 2 a 1.

 

Shakhtar Donetsk tricampeão da Copa da Ucrânia

Empatados com onze canecos, Dínamo de Kiev e Shakhtar Donetsk fizeram mais que uma final de Copa da Ucrânia. Estava em jogo a hegemonia histórica. O 2 a 0 deu aos “Mineiros” seu décimo-segundo título. Vale lembrar que os de laranja e preto são quase que uma filial brasileira na ex-república Soviética. Estão por lá: Taison, Fred, Dentinho, Bernard, Marlos, Wellington Nem, Alan Patrick, Ismaily e Dodô.

 

Sturm Graz campeão da Copa da Áustria

No domingo, o Sturm Graz havia dado adeus ao título da Bundesliga ao ser goleado pelo Red Bull Salzburgo por 4 a 1. A providência colocou os dois rivais novamente frente à frente, desta vez em terreno neutro, em Klagenfurt. O tempo regulamentar não teve abertura de contagem. Stefan Hierlaender se tornou herói municipal ao balançar as redes aos 06′ do segundo tempo da prorrogação.

 

Estrela de Sófia campeão da Copa da Bulgária

O Estrela de Sófia acabou com a seca de títulos. A Avalanche Branca não comemorava nada importante desde que fez a dobradinha em 1995/96. Os de branco não tiveram moleza e precisaram desclassificar Lokomotiv Plovdiv, Botev Plovdiv e Levski Sófia, entre outros, ao longo da caminhada. Aliás, o champanhe só pôde ser estourado após um emocionante desempate por tiros livres da marca de cal.

 

Os funis de várias copas chegaram ao fim

Em Israel, o Hapoel Haifa precisou da prorrogação para superar o Beitar Jerusalém por 2 a 0, após o 1 a 1 do tempo regulamentar. Os Tubarões, que asseguraram uma vaga na Liga Europa, não recebiam a medalha de ouro desde 1997/98.

O Zeljeznicar Sarajevo não tomou conhecimento do Krupa e conquistou a Copa da Bósnia & Herzegovina com o escore agregado de 6 a 0. Se o certame ligueiro ficou com um representante da Herzegovina, na copa o troféu ficou com uma associação bósnia.

Na República Checa, o Estrela de Praga superou o Jablonec por 3 a 1 e voltará à Liga Europa a partir de julho.

É digno de registro que no último dia 02, o Vaduz se tornou hexacampeão da Copa de Liechtenstein, a menor nação do mundo depois do Vaticano. Vale lembrar que o principado não tem uma liga nacional e seus clubes desfilam na vizinha Suíça.

 

Comentários

2 Comentários
Voltar