Ganhador.com

Fórmula 1

Com apenas quatro pontos separando Hamilton e Vettel, Fórmula 1 chega à Europa para o GP da Espanha

Hamilton F1
Foto: Clive Mason/Getty Images

Piloto da Mercedes foi o mais rápido em Baku, e assumiu a liderança do campeonato

O Grande Prêmio do Azerbaijão enfim deu ao tetracampeão Lewis Hamilton a sua primeira vitória na temporada 2018. O inglês, por conseguinte, tornou-se líder isolado do campeonato de pilotos, e espera voltar ao lugar mais alto do pódio neste domingo (13), quando o circo da Fórmula 1 desembarca no Velho Continente para o GP da Espanha.

 

F1 inicia sua fase europeia

Apesar de ter uma pista larga e um traçado aparentemente simples, o circuito da Catalunha é extremamente exigente tanto para os pilotos quanto para os equipamentos. Suas muitas curvas de baixa velocidade são um teste para a perícia dos condutores, os fortes ventos favorecem os carros de melhor aerodinâmica e a alta tempertura do asfalto costuma ser impiedosa com os pneus. As ultrapassagens são raras, e a estratégia habitual das equipes é de duas paradas, embora sempre haja exceções.

A prova marcará a chegada do campeonato mundial ao continente europeu, o que costuma ser um divisor de águas na temporada.

“A fase europeia é quando as equipes introduzem grandes melhorias nos seus carros. O primeiro passo em uma corrida de desenvolvimento que pode ir até mesmo para o fim da temporada. Vai ser muito interessante a performance que as equipes podem tirar com suas melhorias e o impacto que isso vai ter em suas posições, tanto à frente quanto no pelotão intermediário.Ultrapassar é difícil em Barcelona e ainda mais em Mônaco, o que sugere que a posição na pista seja a chave para um grade resultado.”, garante Toto Wolff, chefe da equipe Mercedes.

 

Hamilton vence a primeira e lidera o campeonato

E por falar na Mercedes, a equipe alemã comemora a retomada do protagonismo após o Grande Prêmio do Azerbaijão. A liderança do Mundial de Construtores ainda é da Ferrari, por uma diferença de quatro pontos, mas a improvável vitória de Hamilton no circuito de Baku serviu como uma injeção de ânimo.O tetracampeão mundial contou com a sorte, e foi beneficiado pelo acidente envolvendo os dois pilotos da Red Bull, além de um problema nos pneus de Bottas.

Para a prova da Catulunha, as expectativas do inglês são as melhores possíveis. Ele tem um bom retrospecto na pista, onde venceu em 2014 e no ano passado, além de ter subido ao pódio em 2008, 2011 e 2015. Nas últimas quatro temporadas, três pilotos da Mercedes foram os mais rápidos, e a equipe emplacou duas dobradinhas, com Hamilton e Rosberg, em 2014 e 2015.

Com um segundo lugar na Austrália, terceiro no Barein, quarto na China, além da vitória do Azerbaijão, Hamilton soma 70 pontos e é o líder do campeonato.

 

Vettel não é o mais rápido na Espanha desde 2011

O alemão Sebastian Vettel largou na pole position em três das quatros corridas disputadas até aqui, e manteve-se na frente durante boa parte do tempo em todas elas, o que atesta a competitividade dos carros da Ferrari. No entanto, cometeu erros pontuais que custaram as vitórias na China e no Azerbaijão, e podem comprometer sua caminhada em busca do quinto título mundial. Com a quarta colocação em Baku, o ferrarista perdeu a liderança do campeonato, chegando aos 66 pontos.

O circuito da Catalunha não parece estar entre os preferidos do tetracampeão. Ele venceu apenas uma vez por lá, em 2011, quando ainda era piloto da RBR. Em 2010, foi o terceiro colocado, mesma posição obtida em 2015 e 2016, quando já conduzia o carro vermelho. No ano passado, chegou a liderar a prova, mas permitiu a ultrapassagem de Hamilton, e terminou em segundo.

 

Red Bull tenta voltar à briga

Depois que Daniel Ricciardo venceu o GP da China, criou-se uma grande expectativa não apenas em relação ao desempenho do piloto, mas também ao crescimento da equipe na briga pelo mundial de construtores. O carro, efetivamente, mostrava-se quase tão competitivo quanto Mercedes e Ferrari, e tinha chances reais de voltar a vencer no Azerbaijão.

Quando ocupavam, respectivamente, a terceira e a quarta posições, Verstappen e Ricciardo se tocaram em uma tentativa de ultrapassagem, o que ocasionou a saída de ambos os pilotos da corrida. O acidente foi uma ducha de água fria para a escuderia austríaca, que não somou um ponto sequer no final de semana.

No passado, a RBR já viveu momentos de glória em terras espanholas. A equipe venceu a prova em 2010, com Mark Weber, 2011, com Vettel, e 2016, com Verstappen, que se conseguir repetir a dose poderá melhorar sua imagem após tantos erros cometidos nas quatro primeiras corridas de 2018.

 

Programação do GP da Espanha 2018

  • Sexta-Feira, 11/05 – 06:00 – 1º Treino Livre
  • Sexta-Feira, 11/05 – 10:00 – 2º Treino Livre
  • Sábado, 12/05 – 07:00 – 3º Treino Livre
  • Sábado, 12/05 – 10:00 – Treino Classificatório
  • Domingo, 13/05 – 10:10 – Corrida

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar