Ganhador.com

Copa Libertadores

Palmeiras pode garantir, hoje, o primeiro lugar geral na Libertadores ou eliminar o Boca Juniors

Com Lucas Lima em má-fase, Guerra pode ser uma das novidades do Palmeiras no jogo de hoje pela Libertadores.

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Dono da melhor campanha na primeira fase da Libertadores e classificado com duas rodadas de antecedência, o Verdão precisa de uma vitória simples contra o Junior Barranquilla para garantir o primeiro lugar geral – e a vantagem de decidir em casa todos os jogos do mata-mata. Uma derrota, entretanto, desclassifica o sempre perigoso Boca Juniors.

À beira de uma inexplicável crise por conta de (mais uma) derrota para o Corinthians, o Palmeiras do técnico Roger Machado vai a campo hoje (21:45, com transmissão da Globo) dependendo de uma vitória simples para garantir-se no primeiro lugar geral da fase de grupos da Libertadores. Precisando dar uma resposta para a torcida – e vendo a óbvia queda de rendimento de alguns atletas importantes –, Machado deverá promover mudanças em relação ao time que que caiu no Itaquerão no último domingo. Mas com a principal organizada do clube pedindo (absurdamente) a saída do treinador, apenas uma vitória talvez não seja o bastante para abafar a crise que vem se instalando no Parque Antártica.

 

Vamos aos números

A matemática é implacável. Nos últimos sete jogos contra o Corinthians, o Palmeiras venceu apenas um: o jogo de ida das finais do Campeonato Paulista 2018, no Itaquerão. No mais, seis derrotas divididas entre Eduardo Baptista, Cuca, Alberto Valentim e Roger Machado. Quatro técnicos em um ano diz muito sobre os problemas do Palmeiras que gastou (mais uma vez) um caminhão de dinheiro comprando jogadores e começou o ano perdendo o primeiro título que disputou – e que ainda segue em disputa na Justiça Desportiva.

Mas isto não é o fim do mundo.

Pela Libertadores, o Palmeiras tem a melhor campanha geral – posição que lhe garante (apesar de ser melhor visitante do que mandante) o privilégio de decidir todos os jogos do mata-mata continental em casa. Como se isto fosse pouco, o Verdão está há apenas 2 pontos de distância dos líderes do Campeonato Brasileiro – que teve até aqui, apenas cinco rodadas. Pela Copa do Brasil, deixou sua vaga às quartas de final muito bem encaminhada ao vencer por 2 a 1 o América-MG (fora) na semana passada.

Além disso, apesar da derrota para o Corinthians, segue sendo o melhor visitante do Brasil, com um aproveitamento de 79,1% dos pontos disputados.

Na frieza dos números, apesar da derrota do último domingo – e do histórico recente no dérbi – o Palmeiras segue bem e ainda pode ser campeão Brasileiro, da Libertadores e da Copa do Brasil, mesmo que passe o ano em branco diante do Corinthians.

 

Sim, temos problemas

Os bons números na temporada, entretanto, não escondem os erros de Roger Machado e a queda de rendimento de alguns atletas do elenco palmeireinse.

Roger peca por ser incapaz de criar “fatos novos” ou mudar a disposição tática do time durante uma partida. O modo como montou a equipe contra o Corinthians nesta temporada se mostrou ineficaz e, mesmo assim, não sofreu alterações. Quando mexeu, foram mudanças óbvias: sai Borja e entra William, sai Lucas Lima e entra Moisés (ou Guerra). Dudu, um jogador comum que, assim como “El Mago” Valdivia, virou “craque” no inconsciente coletivo da torcida palmeirense, por razões inexplicáveis, segue intocável mesmo jogando muito menos do que pode.

Lucas Lima é outro que chegou cheio de moral ao Parque Antártica, fazendo boas partidas no início de temporada mas que foi caindo de produção semana após semana e não perdeu a titularidade (ainda) porque contou com grande ajuda da sorte – Guerra se contundiu quando se tornou uma ameaça à posição de Lima da mesma forma que Moisés também foi pro departamento médico no início de sua segunda partida como titular no lugar do ex-meia do Santos. Moisés segue fora, mas Guerra pode ser uma novidade hoje a noite.

Em resumo: os números são bons, mas o Palmeiras e, principalmente Roger Machado, precisa mostrar que tem sangue nas veias. Perder é do jogo, mas perder sem vibração é muito pior.

 

Senhor do destino argentino

Até aqui, o Palmeiras passeou na Libertadores. Dono, até o momento, da melhor campanha da fase de grupos, recebe o desesperado Junior Barranquilla. Já classificado com duas rodadas de antecedência, o Verdão precisa apenas de uma vitória simples para garantir-se em uma posição privilegiada nos mata-mata. Ao Barranquilla, apenas vitória interessa.

Mais do que definir seu caminho na Libertadores, o Palmeiras tem hoje o poder de decidir também o destino do sempre complicado Boca Juniors – que faz uma campanha muito aquém de sua tradição, mas que segue sendo um adversário que ninguém quer encarar nos mata-mata. Uma derrota Alviverde hoje no Allianz Parque elimina o time argentino que por força da sorte vê sua sobrevida na Libertadores ser depositada nas mãos de uma equipe brasileira que, no momento, não pode se dar ao luxo de perder. Tivesse vencido o dérbi, a história poderia ser outra e o Verdão, talvez, escalasse um time misto. Para alegria do Boca, as chances de isto acontecer hoje são mínimas.

 

Como chegam as equipes

Pelo momento vivido, é muito difícil prever a formação com que o Palmeiras irá para o jogo. O retorno de Felipe Melo é certo – o atleta se tornou essencial no esquema de jogo de Roger Machado. Lucas Lima deve atuar no meio do banco de reservas enquanto que Guerra irá a campo. William e Hyoran – que pedem passagem há algum tempo – podem ser surpresas no 11 inicial do Verdão.

O Junior Barranquilla não tem muita escolha: precisa vencer e para isso terá de ser ofensivo. A estratégia será de agredir a defesa Alviverde desde o início para conseguir o gol salvador e, depois, fechar-se atrás e “cozinhar o Porco” até o fim dos 90 minutos. Estratégia que dará aos donos da casa o contra-ataque nos pés do rápido Keno.

 

Possíveis escalações para Palmeiras e Junior Barranquilla

Palmeiras

Jailson; Marcos Rocha, Edu Dracena (Thiago Martins), Antonio Carlos e Diogo Barbosa (Victor Luis); Felipe Melo, Bruno Henrique e Guerra; Dudu (Hyoran), Keno e Borja (Willian)

Junior Barranquilla

Viera; Pérez, Gutiérrez, Arias e Piedrahita; González, Pico e Cantillo; T. Gutiérrez, Ruiz e Chará

 

Palpite para Palmeiras x Junior Barranquilla

Não será um passeio. Embora não tenha a menor intenção de “aliviar o pé” de olho na desclassificação do Boca, o Palmeiras terá trabalho para furar a defesa do Junior Barranquilla muito em função da pressão que a torcida colocou em cima do time nos últimos dias. Dudu e Lucas Lima – se forem para o jogo – serão muito cobrados a cada erro e Borja que depende demais de jogadores que o coloquem em condições de finalizar pode “sumir” na partida – como sumiu em toda a temporada 2017.

Apesar disso – e por saber que uma derrota deixará tudo ainda pior – o Palmeiras deve confirmar sua superioridade na fase de grupos e dormir com uma vitória apertada no bolso (1 a 0 ou 2 a 1, por exemplo).

 

Palpites para os jogos da semana na Copa Libertadores 2018

Quarta-feira, 16 de maio

  • 21:45 – Boca Juniors x Alianza Lima – palpite: Boca Juniors
  • 21:45 – Flamengo x Emelec – palpite: Flamengo
  • 21:45 – Palmeiras x Junior Barranquilla – palpite: Palmeiras

Quinta-feira, 17 de maio

  • 19:15 – Libertad x Atlético Tucuman – palpite: Libertad
  • 19:15 – Peñarol x The Strongest – palpite: Peñarol
  • 21:30 – Deportivo Lara x Corinthians – palpite: Corinthians
  • 21:30 – Millonarios x Independiente – palpite: Independiente

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar