Ganhador.com

Fórmula 1

Mais rápido nos treinos, Hamilton desponta como favorito para vencer o GP da Austrália

Foto: Chris Putnam / Barcroft Media via Getty Images

Principais concorrentes do inglês começam a temporada com problemas

Na madrugada de sábado para domingo (25), às 02:10 (horário de Brasília), o circo da Fórmula 1 volta à cena para a mais longa temporada de todos os tempos. Como já virou tradição, a primeira bandeirada acontece no circuito de  Albert Park, em Melbourne, na Austrália.

Entre os pilotos,  a pista tem fama de ser complicada para as ultrapassagens, mas uma medida da FIA promete amenizar o problema. A entidade liberou uma terceira área de acionamento do DRS, a asa móvel traseira, o que permitirá um aumento da velocidade e, consequentemente, do número de ultrapassagens nestes trechos.

Em outras palavras, aperte os cintos, porque vem muita emoção por aí.

 

Mercedes mais rápidas nos primeiros treinos-livres

Na temporada passada, quem levou a melhor em Melbourne foi Sebastian Vettel, da Ferrari, mas foram os carros da Mercedes que apresentaram o melhor rendimento dos primeiros treinos livres de 2018, relizados na noite da última quinta-feira. O atual campeão, Lewis Hamilton, fez a volta mais rápida, seguido não muito de perto por seu companheiro, Valtteri Bottas, que fez uma volta cinco décimos mais lenta.

No entanto, é preciso ressaltar que a equipe alemã utilizou pneus mais macios que os das concorrentes. Somente após o sinal verde em Albert Park, e o ínício da disputa de fato, será possível fazer uma análise mais avalizada sobre as possibilidades de cada piloto, mas o que parece ser um ponto pacífico é que Ferrari e Mercedes devem dominar o circuito, com a RBR correndo por fora. Nada muito diferente do que ocorreu em 2017.

“Temos todos os motivos para estarmos confiantes na competitividade de nosso carro. Mas não conhecemos o potencial dos adversários. Tomando por base os treinos da pré-temporada podemos avaliá-los, verdade, mas é preciso ser cauteloso nesse exame. Precisaremos de um tempo para entender, com precisão, a força de cada um.”, avaliou Vettel.

 

Hamilton não tem levado sorte na pista australiana

O bom desempenho de Lewis Hamilton nos primeiros treinos na Austrália não chega a ser uma novidade. O Inglês tem um histórico de sucesso nesta fase de preparação, o que não necessariamente se reflete em resultados expressivos nas corridas.

Nas últimas sete temporadas, o piloto da Mercedes fez nada menos do que cinco pole positions, porém, venceu apenas uma vez, em 2015. Ao todo, o tetracampeão subiu ao pódio cinco vezes no período, com três segundos lugares e um terceiro.

Independentemente do que se passou em temporadas anteriores, porém, Hamilton desponta como favorito absoluto para vencer a primeira corrida do ano.

 

Bottas deve ganhar espaço

A participação do finlandês Valtteri Bottas na temporada 2018 vem gerando enorme expectativa. O companheiro de Hamilton teve um início claudicante no ano passado, mas foi evoluindo no decorrer das corridas, a ponto de se permitir sonhar com o título quase até o fim.

Mais adaptado à difícil convivência interna na Mercedes, e esbanjando confiança pelos resultados obtidos a partir da metade de 2017, o piloto espera por um tratamento mais igualitário para lutar pelo título, e vencer na Austrália pode ser um bom começo.

O feito seria inédito, já que em cinco participações em Melbourne, o piloto subiu apenas uma vez ao pódio, com a teceira colocação obtida no ano passado.

 

Vettel não demonstra otimismo para a estreia

Não se sabe se o tetracampeão Sebastian Vettel ficou impressionado com o desempenho da Mercedes nos primeiros treinos ou detectou algum problema ainda não revelado em sua Ferrari, mas o fato é que o piloto não se mostrou muito entusiasmado quanto às suas possibilidades na primeira corrida do ano.

“O GP da Austrália é apenas a primeira corrida e o que conta é o balanço final. É justo considerar Lewis e a Mercedes os favoritos , mas a temporada será longa.”, declarou o alemão, de forma lacônica.

O desempenho pregresso de Vettel no Albert Park, contudo, não condiz com esta postura. O piloto já venceu duas vezes a prova, em 2011 e 2017, quando foi o mais rápido também nos treinos classificatórios.

No ano passado, o carro da  Ferrari dominou as primeiras corridas, mas aos poucos foi sendo alcançado pela escuderia alemã. Muitos analistas avaliam que a situação deve se inverter em 2018, e os adversários precisarão correr atrás das Mercedes.

 

McLaren decepciona

Um problema recorrente dos carros da McLaren durante a pré-temporada aparentemente não foi resolvido a tempo para a primeira corrida do ano. Mais uma vez, Fernando Alonso e Stoffel Vandoorne tiveram seus desempenhos prejudicados por falhas no sistema de exaustão do MCL33.

Os mecânicos da equipe britânica tentaram contornar a situação fazendo buracos improvisados na carenagem, mas o esforço foi em vão, já que a dupla sequer conseguiu levar os carros até o fim do treino.

O bicampeão Fernando Alonso demonstrou bastante  clareza quanto às chances de sua equipe:  “O time vai estar no mais baixo nível. Acredito que durante o ano vamos avançar bastante. Deveremos ser a escuderia que mais vai crescer quando comparada às outras.”, observou, com espantosa sinceridade. O espanhol não vence uma corrida há cinco anos.

 

Palpite

As próprias declarações dos adversários dão conta de que será muito difícil superar as Mercedes na Austrália. Não se sabe o quanto existe de sinceridade e o que é apenas jogo de cena, mas o fato é que a equipe alemã foi a que se mostrou mais consistente até o momento.

Acredito em uma dobradinha de Hamilton e Bottas, com Vettel completando o pódio.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar