Brasileirão Série C

Final da Série C do Brasileirão 2018: tudo o que você precisa saber sobre Cuiabá x Operário-PR

Jogador do Cuiabá
Foto: Divulgação/Site Oficial Cuiabá Esporte Clube

Primeiro jogo da decisão, disputado no Paraná, terminou com empate em 3 a 3, mas contou com uma lamentável briga entre os dois times

Como não poderia se esperar o contrário, a temperatura da decisão da Série C do Campeonato Brasileiro de 2018 está nas alturas. Pena que não é somente pela vontade de faturar o título e a empolgação dos atletas. No jogo de ida da final, disputado no domingo passado (16), em Ponta Grossa, e que terminou com o placar em 3 a 3, os jogadores protagonizaram uma briga generalizada próxima às arquibancadas. Foi preciso a intervenção da Polícia Militar para acalmar os ânimos. Porém, o clima não será nada amistoso para os últimos 90 minutos da Terceirona deste ano, neste sábado (22), às 19h (horário de Brasília), na Arena Pantanal.

Final da Série C do Campeonato Brasileiro 2018: Cuiabá x Operário-PR

Não tivessem as duas equipes protagonizado o papelão depois do apito afinal, as lembranças seriam as melhores. Foi um duelo eletrizante, que começou com o Fantasma abrindo 2 a 0 no primeiro tempo. Na volta do intervalo, porém, o Dourado mudou completamente os rumos da decisão e virou para 3 a 2. Mas aos 45 minutos, os donos da casa conseguiram deixar tudo igual.

Para o último ato da Série C, a torcida do Cuiabá promete uma grande festa para empurrar o time rumo ao título inédito. Os 41.153 ingressos disponibilizados para a partida se esgotaram no meio da tarde de ontem (20). Com isso, a Arena Pantanal deve atingir sua capacidade máxima.

Caminho rumo ao título

As duas equipes cumpriram o principal objetivo na competição ao passaram para as semifinais. Com isso, garantiram-se na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro do ano que vem. Porém, trata-se de uma conquista inédita para ambos os lados, além da premiação em dinheiro. Com o empate em Ponta Grossa, quem vencer em Cuiabá será o novo campeão da Terceirona. Em caso de nova igualdade no marcador, teremos disputa de pênaltis.

Na noite de quarta (19), com direito a festa que contou com sinalizadores, rojões e bateria, a torcida do Operário abraçou a delegação que partiu para Curitiba, de onde o grupo seguiu para a capital do Mato Grosso. O apoio aos jogadores se fez por meio dos famosos gritos de guerra. O mesmo aconteceu nas quartas de final, antes do primeiro jogo contra o Santa Cruz.

Preparação de Cuiabá e Operário-PR para a grande final da Série C 2018

Já em Cuiabá, o técnico Gerson Gusmão comandou um treinamento com vistas à decisão, quando ajustou os últimos detalhes para tentar surpreender o Dourado em seus domínios. O treinador terá o retorno do lateral-direito Léo, que volta ao time depois de cumprir suspensão. Por outro lado, o atacante Schumacher, reserva no jogo de ida, está fora por ter sido expulso pela confusão após o apito final.

Já o técnico Itamar Schulle optou pelo mistério sobre o time que entra em campo contra o Fantasma. Com a ausência certa de Bruno Sávio, por lesão, a maior dúvida é na linha de frente. A boa notícia diz respeito ao meia Hiltinho, que retorna de suspensão e tem tudo para ganhar uma vaga entre os titulares. João Carlos, que vem recebendo muitas críticas da torcida, é o mais indicado para ficar como opção no banco de reservas. No jogo de ida da final, ele deixou o time no intervalo.

Coincidência ou não, a equipe cresceu substancialmente de rendimento, o que permitiu a incrível virada no placar de 2 a 0 para 3 a 2. Sem nenhum atleta suspenso, Schulle tem mais opções para a vaga no ataque. Doda, que entrou no lugar de João Carlos, corre por fora e pode ser a surpresa na escalação no que pode ser o jogo do título.

Prováveis escalações

Cuiabá: Victor Souza; Jean, Ednei, Edson Borges e Danilo; Alê, Marino, Eduardo Ramos e Hiltinho (Doda); Adriano Pardal e Jenison – Técnico: Itamar Schulle.

Operário-PR: Simão; Léo, Alisson, Sosa e Peixoto; Chicão, Dione, Erick e Robinho; Cleyton e Bruno Batata – Técnico: Gerson Gusmão

Palpite

A maior preocupação é que os jogadores coloquem a cabeça no lugar e não deixem o futebol de lado em prol da violência. No campo, o Cuiabá é merecedor da taça e vai com tudo em busca da volta olímpica. O fato de quase ter vencido fora, em uma reação espetacular, dá uma boa dimensão da força do elenco do Dourado, com opções interessantes para mudar o panorama do jogo se for preciso. E não teremos pênaltis, pois os donos da casa resolverão a parada no tempo normal.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar