UFC

Demian Maia resiste, mas é superado por promessa nigeriana no UFC Chile

FOTO: Divulgação / UFC

A missão de Demian Maia na luta principal do UFC Fight Night, ocorrido no Chile, neste sábado, era indigesta. Convocado a substituir Santiago Ponzinibbio, o paulista aceitou o duelo contra Kamaru Usman com apenas três semanas de antecedência. E apesar de ter demonstrado muita garra, o brasileiro não conseguiu superar o rival e acabou dominado e derrotado na decisão dos juizes após cinco rounds de combate.

Demian emplacou a terceira derrota consecutiva no octógono. O brasileiro esta a apenas um triunfo de igualar o recorde de 20 vitórias dentro do octógono, atualmente em posse de Michael Bisping e Georges St-Pierre. Aos 40, Demian é o quinto colocado no ranking oficial dos meio-médios, mas deve despencar aptos o novo revés. Antes de Kamaru Usman, Colby Covington e Tyron Woodley também superaram Maia na decisão dos juízes. A fase ruim vem depois de Demian conquistar o feito de emplacar sete vitórias consecutivas na divisão . Com um cartel de 25 vitórias e nove derrotas, Maia atua pelo UFC desde outubro de 2007, há mais de dez anos. Antes de encarar Usman, ele sinalizou uma possível aposentadoria em 2019. Mas ainda assim ele tem condições de bater o recorde de vitórias na organização.

Usman foi melhor o combate inteiro. Apenas no primeiro assalto Demian pareceu ligeiramente melhor. O nigeriano chegou a declarar logo após a luta que havia quebrado as duas (!) mãos de tanta acertar a cabeça de Demian com socos. O jogo de wrestling do “pesadelo nigeriano” fez a diferença e foi capaz de neutralizar as tentativas de quedas do brasileiro, que teve de encontrar seus melhores momentos na trocacao , de pé. Demian lutou até o fim, fez uma apresentação digna, diante de suas condições, mas Usman é uma realidade na categoria e sua vitória dominante comprova isso.

Kamaru agora soma um cartel de 13 vitórias e uma derrota na carreira. No UFC, são oito triunfos consecutivas – ao todo, na carreira, são doze. Ele deveria ter pedido uma chance ao título, desafiado algum rival ou dito qualquer outra coisa que valorizasse seu resultado no octógono, mas preferiu dizer que está cansado de não receber as lutas que pede. É uma opção que ele tem direito, mas nos tempos atuais não é muito inteligente. Seu retrospecto dentro do octógono, mesmo que impressionante, não fala por si só. Ele pode fazer mais barulho e facilitar seu caminho rumo ao topo.

Vale lembrar que Usman, que era o sétimo colocado no ranking oficial, deve subir algumas posições na divisão dos meio-médios, uma das mais disputadas do UFC. A categoria tem Tyron Woodley como atual campeão, e terá um novo campeão interino a partir do dia 9 de junho, quando Rafael dos Anjos e Colby Covington se enfrentam pelo título, no UFC 225.

Aos 31, Kamaru Usman tem um futuro promissor na divisão. Ele já provou que sabe lutar em alto nível e é páreo duro para a maior parte da divisão. Resta saber se diante de uma categoria tão recheada de lutadores talentosos, seu trabalho consegue ser reconhecido a tempo..

Confira os resultados do UFC Chile

Kamaru Usman venceu Demian Maia na decisão dos juízes
Tatiana Suarez finalizou Alexa Grasso no primeiro round
Dominick Reyes nocauteou Jared Cannonier no primeiro round
Guido Cannetti venceu Diego Rivas na decisão dos juízes
Andrea Lee venceu Veronica Macedo na decisão dos juízes
Vicente Luque nocauteou Chad Laprise no primeiro round
Card preliminar
Michel Trator venceu Zak Cummings na decisão dos juízes
Alexandre Pantoja venceu Brandon Moreno na decisão dos juízes
Poliana Botelho nocauteou Syuri Kondo no primeiro round
Gabriel Benítez nocauteou Humberto Bandenay no primeiro round
Enrique Barzola venceu Brandon Davis na decisão dos juízes
Frankie Saenz venceu Henry Briones na decisão dos juízes
Claudio Puelles finalizou Felipe Silva no terceiro round

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar