Ganhador.com

Dicas de Apostas

Eu acredito: Croácia pronta para ser a nona seleção campeã mundial

Seleção Croata
Foto: PATRICK HERTZOG/AFP/Getty Images

Para tal, basta vencer a França neste domingo, às 12h00 (de Brasília)

Apenas Brasil, Alemanha, Itália, Argentina, Uruguai, Espanha, França e Inglaterra conquistaram a Copa do Mundo até hoje. A Croácia está a uma partida de entrar para este seleto rol de campeões. Caso fique com o caneco, ela terá deixado para trás diversos países que têm tradição no futebol, como Holanda, Suécia, México, Hungria e República Checa. Apesar do otimismo quanto às virtudes deste time, ainda resta uma última missão, que também deve ser a mais difícil delas: derrubar a França. Confira abaixo o prognóstico da grande final.

 

A campanha da Croácia nas eliminatórias

Os empates em casa contra Turquia e Finlândia e as derrotas na estrada diante de Islândia e Turquia colocaram uma pulga atrás da orelha do torcedor. Será que a Croácia vai longe na Rússia 2018? Se esta pergunta fosse feita em outubro passado, a resposta seria um sonoro “não”. A representação eslava precisou prevalecer sobre a Grécia na repescagem da UEFA e chegou à fase final com sete vitórias, três empates e dois revezes.

  • Croácia 1×1 Turquia, em Zagreb.
  • Kosovo 0x6 Croácia, em Shkodër (Albânia).
  • Finlândia 0x1 Croácia, em Tampere.
  • Croácia 2×0 Islândia, em Zagreb.
  • Croácia 1×0 Ucrânia, em Zagreb.
  • Islândia 1×0 Croácia, em Reykjavik.
  • Croácia 1×0 Kosovo, em Zagreb.
  • Turquia 1×0 Croácia, em Eskisehir.
  • Croácia 1×1 Finlândia, em Rijeka.
  • Ucrânia 0x2 Croácia, em Kiev.
  • Croácia 4×1 Grécia, em Zagreb.
  • Grécia 0x0 Croácia, em Pireu.

 

Melhor que 1998

Este quadro croata já obteve o melhor resultado do país na história dos Mundiais. O país ficou independente em 1991 e sete anos depois conquistou a medalha de bronze na Copa do Mundo da França. Estes craques que honraram a camisa quadriculada devem acabar sendo esquecidos pelas novas gerações. Estou falando de Robert Prosinecki (do Croácia Zagreb), Zvonimir Boban (do Milan), Mario Stanic (do Parma), Goran Vlaovic (do Valencia), Dario Simic (do Croácia Zagreb) e Davor Suker (do Real Madrid), entre outros.

Vinte anos atrás, a Croácia atravessou as eliminatórias encarando Bósnia & Herzegovina, Dinamarca, Eslovênia, Grécia e Ucrânia. Na fase final, ganharam de Jamaica, Japão, Romênia, Alemanha e Holanda e só perderam para Argentina e França.

 

Como chega a Croácia para a final?

Cansada. É o que muitos responderiam. Também pudera. A esquadra balcânica jogou três prorrogação seguidas. Em duas delas não conseguiu desempatar e precisou passar pela temida disputa de pênaltis. Dá para se notar que as pernas já pesam. E não é somente por causa da Copa do Mundo. Os atletas vêm de uma extensa maratona por seus clubes. A Croácia foi superior à Dinamarca, à Rússia e à Inglaterra, mas não conseguiu definir a parada no tempo regulamentar.

Danijel Subasic segue sendo um paredão no goleiro. Até machucado ele segue em campo e defende pênaltis, quando necessário. Ele é um forte concorrente à Luva de Ouro, junto com o belga Thibaut Courtois.

No sistema defensivo, destaca-se o lateral Ivan Rakitic, que faz muito bem a transição defesa – ataque. No meio, Luka Modric tem tudo para ser o bola de ouro se os croatas ficarem com a taça. Ele é o motor deste quadro e esbanje excelente preparo físico. Ele é acompanhado por Ivan Perisic e Ante Rebic. Na frente, Mario Mandzukic tem a responsabilidade de marcar os gols.

O time joga no 4-5-1, mas enquanto conseguem, todos atacam e todos defendem. Penso que a Croácia vence porque a equipe não é boa somente do meio-campo para frente. Ela conta com peças de excelente talento e qualidade do meio para trás. Sobre a fadiga muscular, nem me preocupo. Estes onze homens darão tudo de si – coração na chuteira mesmo – para entrarem par a história de sua nação.

 

Time-base da Croácia

Croácia: Danijel Subasic; Sime Vrsaliko, Dejan Lovren, Domagoj Vida, Ivan Strinic e Ivan Rakitic; Luka Modric, Ante Rebic e Andrej Kramaric e Ivan Perisic; Mario Mandzukic. Técnico: Zlatko Dalic.

 

Jogos da Croácia

A Croácia estreou derrotando a Nigéria por 2 a 0 sem chamar muito a atenção da mídia. No compromisso seguinte arrasou a Argentina por 3 a 0 levando Messi e companhia literalmente à lona. Contra a Islândia, ela voltou a fazer apenas o suficiente para ganhar por 2 a 1.

No mata-mata, sofreu um gol relâmpago da Dinamarca, empatou logo depois e dominou as ações, apesar de não conseguir balançar as redes. Nos pênaltis, foi mais competente.

Contra a Rússia foi mais dramático, pois as Águias Douradas estavam em casa e contaram com o apoio do seu torcedor. Mais técnica, os da antiga Iugoslávia sofreram diante da paixão e raça do Exército Vermelho até as penalidades máximas.

Frente à Inglaterra, o English Team começou em cima e os croatas acusaram o golpe no primeiro tempo. No segundo, os eslavos mudaram da água para o vinho, encurralaram os Súditos da Rainha e empataram. O nó tático só se confirmou no tempo extra quando os croatas conseguiram desempatar e se classificar.

1ª fase:

  • 16 de junho: Croácia 2×0 Nigéria (R$ 1,65)
  • 21 de junho: Argentina 0x3 Croácia (R$ 4,00)
  • 26 de junho: Islândia 1×2 Croácia (R$ 1,75)

Oitavas de final:

  • 01 de julho: Croácia 1×1 Dinamarca (0x0 na prorrogação e 3×2 nos pênaltis) (R$ 3,40)

Quartas de final:

  • 07 de julho: Rússia 1×1 Croácia (1×1 na prorrogação e 4×3 nos pênaltis) (R$ 3,11)

Semifinal:

  • 11 de julho: Croácia 1×1 Inglaterra (Croácia 1×0 na prorrogação) (R$ 3,20)

Final:

  • 15 de julho: (R$ 1,96) França x Croácia (R$ 4,58) (Empate R$ 3,25)

 

ATUALIZAÇÃO ANTERIOR: 11/07/2018

Chegou a hora da Croácia mostrar que é time grande e derrotar a Inglaterra

Croatas chegam pela segunda vez na história numa semifinal de Copa do Mundo

Futebol tem hierarquia. Existem seleções que conquistaram a Copa do Mundo e existem as que não a venceram. Tudo bem que de vez em quando surgem bons selecionados em Portugal, Bélgica, Dinamarca, México, Polônia, Hungria, Holanda,… mas ser o número um é muito difícil. Tanto Croácia, quanto a Bélgica, têm uma oportunidade de ouro de quebrar seus tabus e de dar mais peso aos seus mantos sagrados para as futuras gerações. Para isso, ainda é preciso provar seus valores diante de Inglaterra e França respectivamente. Este artigo é sobre a Croácia? Vamos analisa-la?

 

A campanha da Croácia nas eliminatórias

Para uma semifinalista de Mundial, a campanha da Croácia nas eliminatórias foi no mínimo decepcionante. Tudo bem que a chave era equilibrada e poderia contar com várias equipes numa fase final de Copa do Mundo se tantas vagas não fossem obrigatoriamente entregues para equipes de outros continente sem tanta expressão futebolística.

Mesmo assim, a representação eslava não venceu a Turquia em nenhum dos dois encontros, tropeçou na fraca Finlândia em seus domínios e terminou a primeira fase dois pontos atrás da Islândia.

No sorteio da segunda fase, os de camisas quadriculadas foram emparelhados com a Grécia. Após uma goleada diante de sua torcida por 4 a 1, os croatas seguraram o 0 a 0 fora de casa.

  • Croácia 1×1 Turquia, em Zagreb.
  • Kosovo 0x6 Croácia, em Shkodër (Albânia).
  • Finlândia 0x1 Croácia, em Tampere.
  • Croácia 2×0 Islândia, em Zagreb.
  • Croácia 1×0 Ucrânia, em Zagreb.
  • Islândia 1×0 Croácia, em Reykjavik.
  • Croácia 1×0 Kosovo, em Zagreb.
  • Turquia 1×0 Croácia, em Eskisehir.
  • Croácia 1×1 Finlândia, em Rijeka.
  • Ucrânia 0x2 Croácia, em Kiev.
  • Croácia 4×1 Grécia, em Zagreb.
  • Grécia 0x0 Croácia, em Pireu.

 

Talento de sobra

Vamos começar pelo gol. Dos quatro arqueiros titulares que sobraram neste Mundial – para mim – Danijel Subasic é o melhor deles. Além de grande pegador de pênaltis, ele jogou contundido contra a Rússia e deu conta do recado. Ele defende as cores do Mônaco e antes passou apenas por Zadar e Hajduk Split.

Na defesa, Vedran Corluka (do Lokomotiv de Moscou) e Domagoj Vida (do Besiktas) se destacaram mais nesta Copa do Mundo que seus colegas de Milan, Liverpool e Atlético de Madrid.

Do meio para frente é que os eslavos encantam. Luka Modric (do Real Madrid) tem sido o motor deste time. Ele joga ao lado dos igualmente talentosos Ivan Perisic (da Internazionale) e Ivan Rakitic (do Barcelona).

Já o ataque é comandado pelo artilheiro Mario Mandzukic (da Juventus). Quem tem aparecido muito bem na Rússia 2018 é seu companheiro Ante Rebic (do Eintracht Frankfurt).

 

Como foi a campanha histórica de 1998?

Nas eliminatórias de 1998, a Croácia terminou o Grupo 1 atrás da Dinamarca e eliminou Grécia, Bósnia & Herzegovina e Eslovênia. No mata-mata, nocauteou a Ucrânia.

Na primeira fase final da história a contar com 32 participantes, os croatas ganharam da Jamaica (3 a 1) e do Japão (1 a 0) antes de perderem para a Argentina (1 a 0).

Nas oitavas de final, bateram a Romênia por 1 a 0.

Nas quartas de final, chocaram o planeta ao trucidarem a Alemanha por 3 a 0.

Na semifinal, saíram na frente da França, mas tomaram a virada de 2 a 1.

Na disputa pela medalha de bronze, derrotaram a forte Holanda por 2 a 1.

Fizeram parte desta esquadra nomes como os de Robert Prosinecki (do Croácia Zagreb), Zvonimir Boban (do Milan), Mario Stanic (do Parma), Goran Vlaovic (do Valencia), Dario Simic (do Croácia Zagreb) e Davor Suker (do Real Madrid), entre outros.

 

Jogos da Croácia

Dos quatro sobreviventes, a Croácia ainda é o patinho feio, avaliada em R$ 5,00 / um para subir no lugar mais alto do pódio segundo as casas de apostas.

Sua campanha começou com uma boa vitória sobre a Nigéria por 2 a 0. Foi logo na estreia que ela começou a dar ares que poderia ir longe. Os tentos foram anotados por Peter Etebo (contra) e Luka Modric.

Contra a Albiceleste, ela deu espetáculo. Ante Rebic, Luka Modric e Ivan Rakitic balançaram as redes no segundo tempo, levando a Argentina à lona: 3 a 0.

Milan Badelj e Ivan Perisic mantiveram o país com cem por cento de aproveitamento ao conseguir a revanche das eliminatórias no 2 a 1 contra a Islândia.

Nas oitavas de final, o adversário foi a Dinamarca. Mario Mandzukic fez o único gol croata da peleja. Na prorrogação, Luka Modric teve a chance de dar a vitória à representação eslava, mas ele perdeu um pênalti. Danijel Subasic brilhou e pegou três penalidades dos escandinavos.

Contra a Rússia, a Croácia foi bem superior o tempo todo. Andrej Kramaric marcou o único gol do quadro durante os noventa minutos e Domagoj Vida balançou as redes na prorrogação. A raça das Águias Douradas forçou mais uma disputa de penalidades máximas. Danijel Subasic voltou a defender um chute e os croatas fizeram a festa.

Abaixo, seguem os placares de todos os jogos da Croácia e os prêmios pagos pelas casas de apostas:

1ª fase:

  • 16 de junho: Croácia 2×0 Nigéria (R$ 1,65)
  • 21 de junho: Argentina 0x3 Croácia (R$ 4,00)
  • 26 de junho: Islândia 1×2 Croácia (R$ 1,75)

Oitavas de final:

  • 01 de julho: Croácia 1×1 Dinamarca (0x0 na prorrogação e 3×2 nos pênaltis) (R$ 3,40)

Quartas de final:

  • 07 de julho: Rússia 1×1 Croácia (1×1 na prorrogação e 4×3 nos pênaltis) (R$ 3,11)

Semifinal:

  • 11 de julho: (R$ 2,37) Croácia x Inglaterra (R$ 2,37) (Empate R$ 3,20)

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar