Tênis

Após 11º título e recorde de Rafael Nadal em Monte Carlo, alguém será capaz de parar o espanhol no saibro?

Foto: Philip Rock/Anadolu Agency/Getty Images

Espanhol inicia a defesa pela liderança do ranking da ATP de forma brilhante, ganhando todas as partidas no Principado e sem ceder nenhum set

De forma muito mais tranquila do que muitos esperavam, Rafael Nadal voltou a pulverizar mais um recorde ao abrir a gira europeia no saibro com o 11º título de Monte Carlo e segurar a liderança do ranking da ATP por mais uma semana. Ao bater o japonês Kei Nishikori na final realizada no Principado de Mônaco, o espanhol de Mallorca alcançou o seu Masters de número 31, isolando-se como o maior vencedor da série, e ainda se manteve 100 pontos à frente de Roger Federer na briga pelo posto de melhor tenista do mundo. Com a obrigação de continuar 100% em seu piso predileto e a possibilidade real de ampliar a incrível marca de 36 sets consecutivos vencidos na terra batida, o Touro Miúra foca suas atenções para o ATP 500 de Barcelona. Mas a pergunta que fica é a seguinte: alguém será capaz de parar o multicampeão do saibro? Confira tudo sobre os possíveis carrascos de Nadal!

 

Novak Djokovic

A primeira ameaça ao reinado de Rafael Nadal vale muito mais pelos feitos no passado do que no presente. Estamos falando de Novak Djokovic, que ainda tenta aprimorar o ritmo de jogo e buscar confiança para voltar a vencer um torneio. Totalmente recuperado de uma lesão no cotovelo direito que o incomodou por longos meses, o sérvio é um importante candidato a interromper a sequência perfeita do espanhol no saibro.

Isso porque se levarmos em consideração o confronto 1×1, Djoko leva a melhor sobre Nadal, tendo vencido em 26 oportunidades. Apesar de ter sido derrotado na última vez que se enfrentaram, no Masters 1.000 de Madrid do ano passado, o ex-número 1 acumulava até então uma sequência avassaladora sobre o rival, com sete vitórias consecutivas, incluindo triunfos na terra batida, como os Masters de Roma (2016), Monte Carlo (2015) e o Grand Slam de Roland Garros (2015).

Djoko também surge como uma possível pedra no sapato do atual número 1 pelo fato de ter mostrado evolução na última semana, no torneio monegasco. O sérvio fez jogo duro contra o austríaco Dominic Thiem, número 7, e único tenista que superou Nadal na temporada passada. O revés só aconteceu no terceiro set, mas a partida trouxe importantes mensagens do jogo do 30 vezes campeão de Masters 1000, que está recuperando a velha forma.

De volta ao ATP 500 de Barcelona após 12 anos, Novak Djokovic pode reviver um dos épicos duelos com Rafael Nadal já nas quartas de final. Até lá, ele poderá ter pela frente o argentino Federico Delbonis e o espanhol Feliciano López.

 

Dominic Thiem

Como já abordamos, Dominic Thiem foi o único tenista capaz de parar Nadal no ano passado, quando superou o espanhol nas quartas de final de Roma, e gerou a única derrota do atual líder do ranking da ATP na terra batida. Será que a história irá se repetir?

Ela pode sim voltar a acontecer, mas o austríaco ainda precisará encontrar respostas para o duro revés na semana passada. Depois de fazer uma partida de alta intensidade contra Novak Djokovic, vencendo o sérvio de virada por 2 sets a 1, Thiem foi atropelado pelo Touro Miúra no embate seguinte. Ele só ganhou dois games em todo jogo. Se quiser triunfar sobre o espanhol, ele terá que superar os próprios limites.

 

Alexander Zverev

Alexander Zverev acaba de atingir sua melhor colocação no ranking da ATP, subindo para a terceira posição na corrida pela liderança. Apesar da diferença para Nadal ser enorme, superior a três mil pontos, o alemão pode ser uma ameaça em quadra. Campeão do Masters 1000 de Roma de 2017, Zverev é conhecido por ter um jogo bastante consistente com as condições do saibro. E, melhor, ele tem evoluído ao longo da temporada.

Depois de cair na segunda rodada de Indian Wells, o vencedor de dois Masters na carreira chegou à final em Miami e a semi de Monte Carlo, caindo para Kei Nishikori. Ele está 17-7 em 2018 e é apontado com um dos grandes potencias na terra batida.

 

Kei Nishikori

Quem também pode aparecer com um dos candidatos a arrancar o trono de Nadal logo mais é Kei Nishikori. Depois de conviver com uma séria lesão no punho e até apostar em torneios Challengers para recuperar a forma física, o japonês deu grande salto na semana passada ao atingir a final no Principado. A derrota foi o de menos, já que ele voltou a competir em alto nível. O vice-campeonato rendeu ao tenista de 28 anos 14 posições no ranking, o que o fará subir para a 22ª posição.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.