UFC

UFC 213: Whittaker bate Romero, se torna campeão interino dos médios e uma ameaça enorme a Michael Bisping

Foto: Reprodução/UFC

O fã de lutas mais desavisado tomou um susto quando descobriu neste sábado que a luta principal do UFC 213, Amanda Nunes Vs Valentina Shevchenko, tinha caído. A brasileira passou mal, foi hospitalizada, chegou a ser liberada para lutar pelos médicos, mas por conta de um mal estar o confronto acabou adiado. Com isso, coube a Robert Whittaker e Yoel Romero as honras da luta principal do show, que foram muito bem atendidas. Em um duelo emocionante de cinco rounds, Whittaker se tornou o novo campeão interino dos médios do UFC e, de quebra, ainda ficou frente a frente com Michael Bisping no octógono – o inglês subiu ao cage para provocar o australiano.

Whittaker conquistou uma apresentação incrível contra Romero. Com uma defesa de quedas afiada, o australiano teve um bom volume de golpes e confundiu o rival alternando ataques com braços e pernas na cabeça e no corpo. Romero, de 40 anos, cansou a partir do terceiro round, enquanto Robert esbanjou preparo físico e técnica para vencer na decisão unânime dos juízes.

Após a luta, antes mesmo do anúncio do vencedor, Bisping entrou no octógono com a missão de ficar frente a frente com o novo campeão e assim promover um combate que está longe de ter data para acontecer. É bom lembrar que ainda é do interesse de Bisping – não necessariamente é mais um desejo do UFC – que superluta com Georges Saint Pierre aconteça. Fato é que sua participação no UFC 213 rendeu o esperado: provocação. O campeão absoluto dos médios disse que se sentia “enojado” em ver Whittaker com um “cinturão falso” e o desafiou para uma luta.

A questão é que por um lado Bisping deve estar aliviado de não enfrentar Romero, que é um atleta mais forte e com wrestling de nível olímpico, mas por outro ele tem de entender que Whittaker é talvez uma parada ainda mais indigesta. Apesar de ter um jogo de trocação que favorece as qualidades de Bisping, Robert bate forte, é jovem e tem muita técnica em suas performances.

Sabe se lá quando essa luta entre Robert Whittaker e Michael Bisping vai acontecer e unificar os cinturões dos médios. Mas uma coisa é certa. O dono do cinturão absoluto estará em apuros contra o jovem australiano. Assim como Yoel Romero seria, Whittaker é uma ameaça enorme ao seu reinado.

Só fico curioso para saber o que o UFC vai fazer, já que com um campeão interino nos médios, faz ainda menos sentido promover uma superluta entre Bisping e St-Pierre pelo título da categoria.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar