Ganhador.com

Brasileirão Feminino

Raio-X do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino 2017

Foto: DANIEL VORLEY/ALLSPORTS

Flamengo defende o título conquistado em 2016 contra quinze adversários. Corinthians e Iranduba jogam hoje, valendo a invencibilidade.

O Campeonato Brasileiro ganhou importância com a nova regra da CONMEBOL, que exige que para participar da Taça Libertadores da América masculina de 2019, é obrigatório que o clube tenha um time feminino.

 

Mais clubes tradicionais no feminino

O sucesso de Marta, agora do Orlando Pride (da americana National Women´s Soccer League), a Seleção Brasileira e a forte Liga dos Campeões europeia não foram suficientes para sensibilizar os dirigentes brasileiros a investirem no futebol feminino. Foi preciso que a CONMEBOL baixasse uma norma obrigando que todas as agremiações participantes da Libertadores tenham equipes femininas. O prazo para se adequar a esta regra é de dois anos.

Quem não tem dinheiro para investir num departamento próprio para a modalidade, que seja criativo. É o caso do Flamengo, que arrendou o time da Marinha. Antes de fechar com o rubro-negro, as atletas que trabalham para a União já vestiram as camisas de Vasco e Botafogo. Outro negócio fechado foi o do Coritiba que passou a patrocinar o Foz Cataratas.

 

Flamengo é o atual campeão

O formato do Campeonato Brasileiro mudou este ano. Em vez dos 20 clubes serem divididos em quatro chaves de cinco e se enfrentarem em turno único, agora temos apenas duas chaves de oito e turno e returno. Ou seja, as jogadoras ganharam um calendário de no mínimo 14 datas.

Na fase inicial, apenas os quatro melhores de cada octogonal avançarão para o mata-mata. A partir daí teremos jogos de ida e volta até conhecermos o campeão. Um detalhe: o último colocado de cada chave cairá para a segundona.

Quem erguer o troféu terá vaga assegurada na Taça Libertadores da América feminina de 2018.

O calendário da CBF prevê a Copa do Brasil no segundo semestre, que também garante ao seu vencedor presença na competição sul-americana.

 

Quem é quem no Brasileirão Feminino de 2017?

Os planteis que devem brigar pelo título são as do Flamengo, detentor da taça; Audax, atual campeão da Copa do Brasil; Rio Preto e Santos, respectivamente atual campeão e vice do Campeonato Paulista, que é o Estadual mais forte do país.

Além destes, o Corinthians, que chegou às semifinais do Paulistão, e os tradicionais Iranduba, Kindermann, Ferroviária e Foz Cataratas, que investem na formação de atletas e mantém elencos adultos há muitos anos podem surpreender.

Os demais quadros são incógnitas, principalmente os que até bem pouco tempo só investiam no naipe masculino: Sport, Grêmio, Ponte Preta e Vitória-BA. Finalmente, São Francisco, São José e Vitória-PE estão no ramo há muito tempo mas não têm conseguido bons resultados nos últimos certames.

 

As artistas do espetáculo

A seleção brasileira feminina repete a fórmula da masculina. Os principais nomes do país atuam no exterior. Nossas futebolistas ganham a vida na China, Coréia do Sul, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Noruega e Suécia. Algumas exceções permanecem no Brasil e é possível vê-las em torneios nacionais.

O Corinthians teve três nomes na lista da última convocação: as laterais Fabiana e Jucinara, além da atacante Gabi Nunes.

O Santos cedeu as meias Brena e Maurine. Darlene, do Rio Preto, estava no grupo que goleou a Bolívia por 6 a 0. A única lembrada que não atua em São Paulo foi a goleira Bárbara, do Kindermann.

É curioso saber que o Flamengo, treinado por Ricardo Júnior, não tem ninguém defendendo as cores do Brasil.

 

Situação de momento

A Série A-1 2017 já teve seis rodadas disputadas. Iranduba e Corinthians são os últimos invictos e mantêm os 100% de aproveitamento. Eles se enfrentam no Estádio da Colina, no interior do Amazonas, logo mais. Pela chave 1, Audax e Kindermann completam o G-4, enquanto que o Vitória de Santo Antão é o lanterna.

No grupo 2, Rio Preto, Santos, Flamengo e Ferroviária ocupam as quatro primeiras posições. A vaga na divisão de prata do ano que vem seria do Vitória-BA se a liga tivesse terminado.

 

Primeira edição da 2ª divisão

A CBF criou a Série A2 do futebol feminino. Serão outros 16 clubes divididos em duas chaves. Após turno e returno dentro delas, os dois melhores de cada jogarão as semifinais em ida e volta. Os finalistas terão garantido seus acessos à elite de 2018.

Os participantes são: Aliança (GO), América (MG), Botafogo (PB), Caucaia (CE), Centro Olímpico (SP), Desportiva Alagoana (AL), Duque de Caxias (RJ), Lideral (MA), Mixto (MT), Náutico (PE), Pinheirense (PA), PMDF (DF), Portuguesa (SP), Tiradentes (PI), Tuna Luso (PA) e Viana (MA).

Os favoritos à promoção são os paulistas Centro Olímpico e Portuguesa, que já formam atletas em casa há bastante tempo.

» Veja também: Regulamento do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino 2017

 

Classificação no Brasileirão Feminino 2017 (após 6 rodadas):

Grupo 1:

  1. Iranduba (AM) – 18
  2. Corinthians (SP) – 18
  3. Audax (SP) – 10
  4. Kindermann (SC) – 7
  5. Sport (PE) – 6
  6. São Francisco (BA) – 4
  7. Grêmio (RS) – 4
  8. Vitória (PE) – 1

Grupo 2:

  1. Rio Preto (SP) – 15
  2. Santos (SP) – 15
  3. Flamengo (RJ) – 12
  4. Ferroviária (SP) – 10
  5. Foz Cataratas (PR) – 9
  6. São José (SP) – 4
  7. Ponte Preta (SP) – 4
  8. Vitória (BA) – 1

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar