UFC

Rafael Dos Anjos atropela rival no primeiro round e se aproxima de cinturão do UFC

Foto: Divulgação/UFC

Rafael dos Anjos está voando! Não há melhor definição para sua fase dentro do octógono mais famoso do mundo. Depois de estrear com vitória na categoria dos meio-médios, o brasileiro aniquilou Neil Magny com uma rápida finalização aos 3m43seg do primeiro round da co-luta principal do UFC 215, ocorrido neste sábado, em Edmonton, Canadá. O novo triunfo coloca Rafael ainda mais perto de uma sonhada chance pelo título da categoria dos meio-médios do UFC.

É bom lembrar que logo após a primeira apresentação de Rafael nos meio-médios, quando o carioca bateu Tarec Saffiedine na decisão dos juízes, em junho, o brasileiro chegou a ser cogitado para uma disputa de cinturão na divisão contra Tyron Woodley caso Demian Maia não atendesse ao seu chamado. Agora, com uma vitória arrasadora contra Magny, sexto colocado no ranking, Dos Anjos garante mais um grande argumento para se colocar na discussão sobre o próximo desafiante ao cinturão.

Magny é um atleta conceituado na divisão. Alto e de braços longos, o lutador que já somou sete triunfos consecutivos nos meio-médios não foi páreo para a técnica de Rafael, que conseguiu colocá-lo no chão com uma legítima “rasteira” bem encaixada. No chão, o brasileiro colocou em prática seu jogo afiado de jiu-jitsu e teve paciência para trabalhar as posições até encaixar o katagatame que lhe rendeu a vitória.

Embora mais uma vitória na divisão o coloque em alta, Rafael pode fazer uma luta contra um top 5 para chegar melhor preparado na disputa pelo título. Até porque o campeão Tyron Woodley deve encarar uma cirurgia e deve voltar a lutar apenas em 2018. Nesse tempo, Dos Anjos pode enfrentar nomes como Robbie Lawler ou até Carlos Condit (se o americano decidir voltar a lutar em breve). Tais desafios o deixariam ainda mais preparados para uma possível chance pelo título dos meio-médios.

Fato é que diante de uma temporada onde o Brasil perdeu o título dos penas (que era de José Aldo) e somou o cinturão peso pena feminino (com Cris Cyborg), mantendo assim o número de dois títulos em posse, já que outras chances pelo cinturão foram desperdiçadas, ver Rafael Dos Anjos se aproximando do topo de uma nova categoria é um sopro de esperança. Consciente, renovado, técnico e poderoso, o brasileiro tem tudo para chegar com boas chances a uma chance pelo cinturão da categoria em 2018.

Comentários

2 Comentários
Voltar