LBF

Nove times disputam a Liga de Basquete Feminino de 2018

LBF
Foto: João Pires/LBF

Corinthians é a grande ausência da próxima edição do Campeonato Brasileiro

A Liga de Basquete Feminino cresceu. De seis participantes em 2015/16 e em 2016/17 pulou-se para nove em 2018. A grande ausência é o Corinthians que havia sustentado o projeto da prefeitura de Americana no último ano. O governo municipal já havia perdido os patrocinadores do elenco. Se o Timão se foi, outros receberam as boas-vindas. Confira abaixo as últimas notícias da LBF 2018.

 

Os inscritos

Cinco dos seis concorrentes ao título de 2016/17 continuam a apostar no basquete feminino. São eles, a pernambucana UNISSAU, atual vice-campeã nacional, Santo André, atual medalhista de bronze, Sampaio Corrêa, o único praticante de futebol que restou, Vasto Verde, de Blumenau, e Presidente Venceslau.

A primeira novidade é a equipe da FUNVIC, que manda suas partidas em Itu. O professor é Antonio Carlos Barbosa, que conquistou o terceiro lugar nos Jogos Olímpicos de 2000 com a seleção brasileira.

Outra debutante é o São Bernardo, cujo projeto começou em 2015 e já colheu um fruto: o título da segunda divisão de São Paulo.

Quem retorna ao esporte é a agremiação de Catanduva, que tem uma treinadora mulher: Fernanda Hartwig. Catanduva já foi campeã brasileira em 2009.

O último novato é o Campinas, que contratou parte das atletas que perderam o emprego quando Americana fechou as portas. Antonio Carlos Vendramini será o comandante e Karla será a estrela da companhia dentro de quadra.

Os velhos conhecidos são o Vasto Verde, atual campeão catarinense, Presidente Venceslau, Sampaio Corrêa, que terá a ídolo Iziane na comissão técnica, UNISSAU e Santo André, que repatriou a cubana Ariadna, que estava em Recife.

 

Os destaques individuais

O mercado promete ainda se movimentar bastante até 12 de dezembro, data do anúncio oficial da LBF 2018 junto à imprensa. Os planteis paulistas são favoritos, pois são os únicos que têm uma pré-temporada de alto nível, além de maior poderio financeiro. Basta ver que o Paulistão reúne seis dos novos participantes da LBF. Quem chegou à semifinal regional, tende a ir longe no Brasileiro.

Os destaques individuais do Catanduva são a armadora Tahissa, a pivô Tatti Motta, Gabriela Santos e Milena. No Santo André, a ala Jaqueline, a ala Ariadna, a ala/pivô Dominik e a ala/pivô Silvinha têm a obrigação de conduzir a representação do ABCD. No Presidente Venceslau, a ala Karen, as pivôs Izabela e Fabi, além de Barbara são as protagonistas. O outro semifinalista do Estadual foi o São José, que não conseguiu viabilizar sua entrada na LBF.

Outra craque da bola laranja é Gil Justino, que defende as cores da UNISSAU.

 

Decepção e Jogo das Estrelas

Após o título do Corinthians, a Liga de Basquete Feminino iniciou o planejamento para 2018. A entidade visitou e convidou 22 clubes a entrarem no certame, entre eles o Flamengo, que é uma potência do naipe masculino.

Depois, agendou uma reunião com todos os interessados em São Paulo. Este evento contou com a presença de 16 interessados.

Joinville, Maringá, Mixto, Mogi das Cruzes, Osasco, Ourinhos, Pindamonhangaba, Santos e Usiminas, além dos já mencionados Corinthians, Flamengo e São José decidiram não aderir ao basquete feminino.

O Jogo das Estrelas está confirmado para acontecer após o fim da temporada regular. Sua sede também está definida: será na cidade de Santo André.

 

Regulamento

Na primeira fase, os nove quadros se enfrentam em turno e returno, totalizando dezesseis compromissos para cada. Os oito melhores avançam para o mata-mata. As quartas de final serão disputadas numa melhor de três pelejas. A fórmula se repete nas semifinais. A final será emocionante, podendo ter até cinco capítulos.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar