Ganhador.com

Futebol: Podcast

LÍDERES! Chapecoense e Corinthians se mantêm no topo da tabela do Brasileirão 2017

Apesar de ainda ser muito cedo para “cravar verdades em pedra”, a quarta rodada do Campeonato Brasileiro trouxe algumas situações interessantes.

Em primeiro lugar, a inesperada liderança da Chapecoense que, após a vitória/revanche contra o Cruzeiro ontem, assumiu a ponta da tabela ao lado do Corinthians que, derrotou o Santos na Arena Itaquera no Sábado, chegou aos mesmos 10 pontos e ajudou na demissão do técnico Dorival Júnior.

Em segundo lugar – e mantendo o gancho do líderes – Chape e Corinthians, ao lado do Flamengo que empatou mais uma vez, são os únicos times invictos na quarta rodada do Brasileirão. A diferença é que enquanto os líderes, com um aproveitamento de 83,3%, ganharam 10 dos 12 pontos disputados – e, curiosamente o “1” ponto veio do empate entre ambos na rodada de abertura –, o Mengão faturou apenas 6 dos 12 pontos disputados (aproveitamento de 50%). Uma invencibilidade que deixa o time da Gávea a 4 pontos dos líderes, o que é muito para um time que, acreditava-se no início do campeonato, disputaria o título.

Muito mas não tanto quanto a nossa terceira situação de interesse: Palmeiras e Atlético-MG. Dois times apontados como os melhores elencos, grandes estruturas, favoritos ao título, mas que não embalam no Brasileirão. O empate em 0 a 0 entre ambos no último domingo foi ruim para as duas equipes que agora precisam correr atrás de uma diferença de 7 (Atlético-MG) e 6 pontos (Palmeiras) para os líderes. Pouco, sim, mas, no confronto direto o Palmeiras, por exemplo, perdeu a chance de tomar pontos da Chapecoense. E no que diz respeito ao futebol apresentado, os dois times estão jogando muito abaixo do que podem (o Galo, pelo menos, está jogando melhor na Libertadores e na Copa do Brasil – o Palmeiras, nem isso).

Vale prestar atenção também ao fato de que Grêmio, Coritiba e Fluminense não são líderes com 100% de aproveitamento por conta de pequenos deslizes: o Grêmio, num risco calculado, escalou um time de reservas na terceira rodada e perdeu para o Sport num jogão de 7 gols; o Coritiba desperdiçou um caminhão de gols contra o Santos na segunda rodada e perdeu o jogo por 1 a 0 e o Fluminense foi surpreendido pelo Vasco na terceira rodada e tomou um inesperado 3 a 2 em São Januário.

Em seguida temos ali Ponte Preta, Botafogo e Cruzeiro no “bloco dos 7 pontos” (todos com 2 vitórias, 1 empate e 1 derrota), seguidos pelo “bloco dos 50%” que tem o São Paulo – que de novo fez um partida medonha no final de semana – na liderança. Vasco e Flamengo vêm logo atrás nos critérios de desempate.

Abaixo deles, temos o “bloco dos 4 pontos” onde o Palmeiras vem escoltado pelo Avaí e pelo Sport – que, diga-se, perdeu para os catarinenses no final de semana.

Daí pra baixo começa o desespero, nesta ordem: Bahia (que ainda joga hoje contra o Atlético-GO), Santos, o favorito Atlético-MG, Vitória, Atlético-PR e Atlético-GO. Se o campeonato terminasse hoje, não teríamos nenhum “atlético” em 2018: estariam os três rebaixados ao lado do Vitória.

É claro que é muito cedo para se dizer qualquer coisa. É apenas a quarta rodada e, só para citar um exemplo, ano passado o Internacional estava no alto do tabela a esta altura do Brasileirão e terminou como terminou.

 

Palpites

Posições na tabela à parte, meu score pessoal de palpites melhorou muito e, faltando apenas o jogo entre Bahia e Atlético-GO (hoje as 20h), posso afirmar que fui muito bem:

• Acertei o time vencedor (ou empate) em seis jogos: Coritiba x Atlético-PR, Fluminense x Vitória, Corinthians x Santos, Flamengo x Botafogo, Grêmio x Vasco (acerto do placar também) e Ponte Preta x São Paulo – se o Bahia ganhar a partida de hoje, terei um score de sete acertos em dez possíveis.

• Errei com Cruzeiro x Chapecoense (mas este eu até gostei de ter errado, a Chape merecia a vitória desde a última quinta-feira pela Copa do Brasil), Avaí x Sport e Palmeiras x Atlético-MG.

Acompanhe agora o resumo das partidas deste final de semana pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

 

Palmeiras 0 x 0 Atlético-MG

O duelo dos grandes favoritos ao título não saiu do 0 a 0. O jogo em si foi movimentado com o Palmeiras dominando as ações em cima de um desorganizado Atlético-MG que só foi melhorar mesmo no segundo tempo, após as entradas de Valdívia e Maicossuel. Mesmo assim não foi o bastante para passar pelo goleiro Fernando Prass que, ao lado de Edu Dracena, fez uma partida sem sustos.

Do lado palmeirense, muita disposição, alguma organização, Felipe Melo no banco de reservas e um pênalti cobrado por William e defendido por Vitor ainda no primeiro tempo.

O empate foi ruim para os dois times. Pior para o Galo que entrou no Z-4, mas nada bom para o Palmeiras que há 25 jogos não perde em casa – mas também não ganha como antigamente.

Se querem mesmo ganhar o Brasileirão, precisam melhorar muito – enquanto é tempo.

 

Cruzeiro 0 x 2 Chapecoense

O jogo que valeu a liderança do Campeonato Brasileiro!

Em uma partida tranquila, depois dos incidentes da última quinta-feira, o Cruzeiro teve a posse de bola mas não a criatividade para romper a boa defesa da Chapecoense e ameaçar a meta do goleiro Jandrei (mais uma boa surpresa do campeonato). A Chape que não tem nada a ver com os problemas de criatividade da Raposa foi lá e marcou com os ex-cruzeirenses Wellington Paulista (ainda no primeiro tempo) e Douglas Grolli, garantindo assim a liderança do campeonato por mais uma rodada (faltam outras 34).

A equipe de Mano Menezes bem que voltou para o segundo tempo buscando o empate, com Lennon e Ábila nos lugares de Hudson e Rafinha. Mas logo nos primeiros minutos, em uma cobrança de escanteio o zagueiro Douglas Grolli deu os números finais à partida. Na base do desespero e cruzando bolas na área sem nenhum perigo, o Cruzeiro tentou o empate, mas tudo o que conseguiu foi arrancar vaias da sua torcida – que já há algum tempo vem reclamando do trabalho pragmático de Mano Menezes.

Na próxima rodada, a Chape defenderá a liderança contra o Grêmio, na Arena Condá – parada duríssima, mas que pode “definir” a Chapecoense para o resto do Brasileirão. Já o Cruzeiro vai até a Fonte Nova buscar a recuperação contra o Bahia do técnico Jorginho.

 

Corinthians 2 x 0 Santos

Depois de um primeiro tempo equilibrado – com o Santos tendo um pouco mais de posse de bola, como era de se esperar –, o Corinthians mudou completamente sua postura no segundo tempo, foi pra cima, fez dois gols e ainda teve outros dois anulados por impedimento. Um baile pra cima do Peixe em Itaquera que deixou como saldo, além do flerte com a zona do rebaixamento, a demissão do técnico Dorival Júnior.

O capitão da vez no rodízio da braçadeira corintiana foi o “Mister Clássicos” Jô, que em seu sexto clássico paulista no ano, fez seu sexto gol e ainda deu assistência para o primeiro, de Romero – o artilheiro do Corinthians em Itaquera. Se não tem se mostrado um “artilheiro nato” em seu retorno ao Parque São Jorge, o centro-avante tem sido decisivo em quase todos os jogos do alvinegro, seja pelo desempenho tático ou por suas assistências. Sem dúvida, um resultado que poucos apostariam ser possível quando da contratação dele no final do ano passado.

O Timão defenderá a sua liderança na próxima quarta-feira contra o Vasco – que se mostrou muito forte em seus domínios –, em São Januário; enquanto que o Santos (muito provavelmente sob o comando de Elano) recebe o Botafogo na Vila Belmiro.

 

Coritiba 1 x 0 Atlético-PR

Deu a lógica no clássico paranaense: o Coritiba – muito mais “pronto” que o rival – levou a melhor sobre o Atlético-PR com um gol do zagueiro Marcio após cobrança de falta de Thiago Real, em um jogo bastante movimentado.

Com o resultado, o Coxa segue colado no topo da tabela enquanto que o rubro-negro, ao lado dos outros dois “atléticos” do Brasileirão, afunda no Z-4. A boa notícia é que o trabalho de Eduardo Baptista começa a aparecer e, mesmo com a derrota, é possível notar algumas mudanças positivas no Atlético-PR. Ainda dá tempo de reagir e ficar longe do Z-4.

 

Fluminense 2 x 1 Vitória

O Fluminense precisava se recuperar depois da eliminação na Copa do Brasil no meio de semana e da derrota para o Vasco na terceira rodada do Brasileirão. Tinha pela frente um adversário que ainda não havia conseguido vencer na competição. Favas contadas: o Flu, muito melhor estruturado que o rubro-negro, aproveitou-se de duas falhas da zaga baiana e, de modo cirúrgico, fez dois com Richarlison e Henrique Dourado e garantiu os 3 pontos.

O Vitória bem que tentou uma reação. O técnico Petkovic colocou Neílton no lugar de Paulinho e seu time conseguiu diminuir com Keiza. Mas foi só. O Fluminense, mesmo sem apresentar um futebol brilhante, fez o suficiente para controlar o jogo e garantir o triunfo em casa.

Com o resultado, o Flu mantém-se colado nos líderes e recebe o Atlético-PR, amanhã, no Maracanã, podendo assumir a liderança provisória do campeonato. Já o Vitória encara o São Paulo no Morumbi com os dois times precisando vencer. Jogo duríssimo.

 

Flamengo 0 x 0 Botafogo

Como era de se esperar, Flamengo e Botafogo fizeram uma matinê de chorar. Erros e mais erros de passe, de criação e de conclusão resumem bem o que foi o jogo – os dois times perderam gols cara a cara com os goleiros . Quem acordou cedo no domingo para ver isso se arrependeu amargamente. O empate fez as duas equipes se distanciarem mais um pouco dos líderes. Para o Flamengo foi pior, já que a equipe tem apenas uma vitória e três empates.

Os dois cariocas buscam a melhora na competição nesta quarta-feira. O Flamengo enfrenta o Sport de Vanderlei Luxemburgo na Ilha do Retiro e o Botafogo pega o turbulento Santos na Vila Belmiro.

 

Avaí 1 x 0 Sport

E o “pofexô” Vanderlei Luxemburgo não começou bem sua passagem no comando do Sport. Depois do empate contra o Botafogo pela Copa do Brasil, a equipe pernambucana foi até a Ressacada e, ainda no primeiro tempo, levou um gol de Rômulo que garantiu a vitória para o Avaí, que chega aos 4 pontos e foge um pouquinho da zona do rebaixamento.

Com uma proposta de posse de bola e articulação, o Sport não teve forças para superar a boa retranca montada pelo técnico Claudinei Oliveira que comemorou muito a primeira vitória no Brasileirão e a boa estreia do veterano Juan – lateral-eaquerdo recém-chegado ao clube que jogou como meia.

O Sport tenta se recuperar sobre o Flamengo, jogando na Ilha do Retiro na quarta-feira, enquanto que o Avaí vai a Minas medir forças com o Atlético-MG.

 

Grêmio 2 x 0 Vasco

Não foi um jogo fácil como o placar possa fazer parecer. O Grêmio precisou suar muito para superar a defesa do Vasco que veio armado para jogar no contra-ataque. Sem criatividade no meio, o tricolor achou o primeiro gol depois do pênalti de Wellington em Pedro Geromel cobrado por Lucas Barrios. Somente nos acréscimos do segundo tempo, os donos da casa encontraram uma brecha na retranca vascaína e Luan marcou o segundo.

Somando 9 pontos, o Grêmio segue grudado nos líderes e pode assumir a ponta da tabela se superar a líder Chapecoense nesta quarta-feira na Arena Condá. Com seus 6 pontos, o Vasco recebe o Corinthians, no mesmo dia, e tem a chance de se aproximar dos líderes.

 

Ponte Preta 1 x 0 São Paulo

E o jogo no estádio Moisés Lucarelli até que começou bem. Os dois times buscaram o gol em dois lançes perigosos no primeiro tempo e… foi só. Com defesas bem postadas, o duelo se tornou um perde-e-ganha sem fim no meio de campo oferecendo pouco perigo para os goleiros Aranha e Renan Ribeiro.

No segundo tempo o técnico Gilson Kleina desfez uma “invenção” da escalação inicial e colocou o veterano atacante Émerson Sheik no lugar do lateral-direito Jeferson – trazendo de volta, assim, o lateral Nino Paraíba à sua posição de origem e deixando o experiente atacante na ponta-direita. E deu resultado: logo no início do segundo tempo, Lucca finalizou a jogada que teve participação de Nino e Sheik e abriu o placar em Campinas.

E foi o bastante para o São Paulo – que vinha de uma boa vitória contra o Palmeiras – desabar em campo. Sem organização e sem criatividade, o time tentava na base “do coração” reverter o placar. As mudanças promovidas pelo técnico Rogério Ceni não surtiram nenhum efeito e o que se viu foi aquele tricolor inseguro e cheio de falhas do Campeonato Paulista .

Já a Ponte Preta segue firme em seu objetivo: está na ponta da tabela, perto dos líderes e dentro da faixa que garante vaga para Libertadores ou Sul-Americana.

Comentários

2 Comentários
Voltar