IndyCar

Líder da Indycar, Hélio Castroneves busca primeira vitória do ano no duplo GP de Detroit

Foto: Jonathan Ferrey/Getty Images

Que temporada espetacular da Indycar, amigos! O final da tradicionalíssima 500 milhas de Indianápolis no último final de semana foi mais uma prova de como a categoria vem crescendo em emoção ano após ano. Que desfecho maravilhoso! Sem deixar a adrenalina baixar, o mundo da velocidade volta suas atenções de Indiana para a vizinha Michigan – para a disputa do tradicional GP de Detroit. As duas corridas acontecem nos dias 3 e 4 de junho às 22h (de Brasília) e devem colocar ainda mais fogo na briga pelo campeonato – liderado pelo brasileiro Hélio Castroneves.

Espera um pouco… ‘corridas’? No plural mesmo? Exatamente. Desde 2013 o estado de Detroit, que respira velocidade, sedia no tradicionalíssimo circuito em Belle Isle duas corridas “gêmeas” no mesmo final de semana – uma no sábado e outra no domingo. São dois eventos completamente separados um do outro – ambos com o seu próprio treino classificatório e contagem de pontos para o campeonato. Este fato é único se levarmos em conta os três maiores campeonatos de automobilismo do mundo (Indy, Fórmula 1 e NASCAR). Vale a pena ficar ligado!

 

Resquícios da Indy 500 em Belle Isle

Antes de fazer a prévia do que esperar em Detroit é preciso entender em qual contexto as corridas estão inseridas. A edição 2017 das 500 milhas de Indianápolis, no último final de semana, foi eletrizante até o final, mas quem não deve ter gostado muito do resultado é Hélio Castroneves… O brasileiro tentou de tudo para ultrapassar Takuma Sato para vencer nas voltas finais, mas teve que adiar o quarto triunfo em uma das provas mais icônicas do mundo.

O resultado embolou ainda mais a briga pelo campeonato! Mesmo sem vencer nenhuma corrida em 2017, o segundo lugar levou o brasileiro da Penske para a liderança isolada com 245 pontos – ultrapassando Simon Pagenaud, atual campeão, e Scott Dixon. Ambos tiveram um desempenho muito abaixo do esperado e estacionaram com 234 pontos. Quem também subiu para essa pontuação foi o campeão Takuma Sato – que encostou nos líderes pela primeira vez.

Ex-piloto da Fórmula 1, Sato fez história como o primeiro japonês a vencer a Indy 500. Falando em F1, valem os parênteses… Você sabe como foi o desempenho de Fernando Alonso na prova? Espetacular! O bicampeão abdicou do GP de Mônaco para disputar as 500 milhas e foi muito bem logo em sua estreia: conquistou o 5º lugar no grid, chegou a liderar por 28 voltas e tinha uma chance real de vencer a prova até o motor Honda fundir a 20 voltas para o fim. Certamente o espanhol deixou uma boa impressão na categoria.

 

Chevrolet deve retomar o domínio em Detroit

Um dos grandes atrativos da Indycar é a variação entre circuitos ovais e de rua ao longo da temporada – e esta mudança ficará latente na viagem de quatro horas de Indianápolis para Belle Isle. Os carros da Chevrolet se mostraram claramente melhores em circuitos de rua no começo do ano – tanto que quatro dos cinco pilotos que lideravam o campeonato até a Indy 500 usavam carros da montadora.

Entretanto, a superioridade se inverteu no oval mais famoso do mundo: 14 dos 18 primeiros classificados no grid de largada utilizavam carros da Honda. Portanto, a tendência é que a vantagem volte para as mãos dos veículos da Chevrolet no próximo final de semana – especialmente para a equipe Penske de Castroneves, Simon Pagenaud, Will Power e Josef Newgarden. Fique de olho nesses nomes para levantar os canecos!

 

O Homem-Aranha voltando para casa

O dolorido segundo lugar nas 500 milhas de Indianápolis certamente mexeu com o brio de Hélio Castroneves. Apesar de liderar o campeonato, o piloto segue em busca da primeira vitória no ano, e nada melhor do que ela vir em um circuito tão especial para o brasileiro.

Foi no GP de Detroit em 2000 que o mundo passou a conhecer Hélio – o jovem piloto da Penske deixou os favoritos para trás e venceu a primeira corrida da carreira na categoria. Após o feito, ele estacionou o carro e começou a escalar uma das grades do circuito – fato que lhe rendeu o apelido de “Homem-Aranha” que ele leva até hoje. Boa sorte, Helinho!

 

Ayrton Senna maior campeão em Detroit?

Sim, senhor! Isso pode ser uma surpresa para os mais jovens, mas a Fórmula 1 também teve algumas edições do GP de Detroit – entre 1982 e 1988. Entretanto, as provas não eram realizadas no local atual, o Belle Isle Park, mas sim em um circuito nas ruas da cidade.

A prova era bem criticada pelos pilotos por ser, nas palavras deles, uma ‘cópia ruim’ do GP de Mônaco: ainda mais lento do que o circuito de Monte Carlo e com um túnel. Falou em Mônaco… falou em Ayrton Senna! O Brasileiro é o maior campeão da prova com 3 canecos consecutivos – de 1986 a 1988. Nelson Piquet também venceu por lá em 1984.

 

Confira a classificação após seis corridas disputadas:

  1. Hélio Castroneves       245
  2. Simon Pagenaud            234
  3. Takuma Sato                   234
  4. Scott Dixon                     234
  5. Alexander Rossi             190
  6. Tony Kanaan                 188
  7. Will Power                      186
  8. Josef Newgarden           186
  9. Ed Jones                        185
  10. James Hinchcliffe        170
  11. Max Chilton                  170
  12. Ryan Hunter-Reay       152

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar