Ganhador.com

Copa Libertadores

Grêmio x Zamora: um empate já basta para o time de Renato Gaúcho

FOTO: LUCAS UEBEL / GREMIO FBPA

Famoso por sua “mística copeira”, Tricolor decide classificação na Libertadores às 21h45 em Porto Alegre

Encerrando sua participação na fase de grupos da Libertadores, o Grêmio recebe nesta quinta-feira (25) o Zamora, da Venezuela. A partida está marcada para começar às 21h45 (de Brasília) na novíssima arena do clube em Porto Alegre.

   

MOLEZA?

Os números da Libertadores até aqui mostram um jogo dos mais fáceis para o Grêmio.

Em primeiro lugar, pela baixa qualidade do Zamora, que é simplesmente a pior equipe entre as 32 desta fase de grupos. O time venezuelano jogou cinco vezes e perdeu as cinco. Isso mesmo que você leu: não conseguiu sequer um empate.

O mais surpreendente no Zamora é a fraqueza do seu sistema defensivo. O time levou 16 gols, mais de três por jogo, tendo marcado apenas seis.

O placar de ida, na partida realizada na cidade venezuelana de Barinas, já dá uma grande noção do que espera o torcedor gaúcho nesta noite: foi um 2×0 extremamente fácil para o Grêmio, com gols de Luan e Léo Moura no dia 9 de março.

O outro ponto que deixa o Tricolor em ótimas condições para buscar até mesmo uma goleada é a boa campanha do clube nesta Libertadores.

O Grêmio é o líder do Grupo 8, com três vitórias, três empates e uma única derrota, um 2×1 para o Deportes Iquique, no Chile. A história em Porto Alegre é impecável: são duas vitórias, com um 4×1 no Guaraní-PAR e um 3×2 no Iquique.

A necessidade de não brincar com a sorte fará o Grêmio usar todos os seus titulares nesta noite em Porto Alegre. Havia a possibilidade de Renato Gaúcho escalar os reservas, mas, se isso ocorrer, vai ser contra o Sport, no domingo, em Recife, pelo Campeonato Brasileiro.

Além de líder do grupo na Libertadores, o Grêmio lidera também o Campeonato Brasileiro, com seis pontos conquistados em dois jogos. O time vem de vitória por 2×0 sobre o Atlético-PR em plena Arena da Baixada, em Curitiba, e os titulares usados por Renato na ocasião devem ser repetidos contra o Zamora em 10 das 11 posições.

O único desfalque será Ramiro, expulso no último jogo pela Libertadores. Uma dúvida de última hora acabou sendo Arthur, gripado, que não treinou nesta quarta-feira, mas deve ser titular normalmente nesta noite.

Quem deve entrar no lugar de Ramiro é o veterano argentino Gastón “La Gata” Fernández. Aos 32 anos e com passagens por River, Racing, San Lorenzo e Estudiantes, “La Gata” foi contratado para substituir o machucado Douglas, mas até agora não encontrou seu espaço no forte elenco gremista.

“É difícil conseguir um lugar em uma equipe que está jogando tão bem, sobretudo nas últimas partidas. Mas estou à disposição e quero jogar mais”, afirmou o argentino que é chamado assim – “La Gata” – pela cor azul dos seus olhos.

O provável Grêmio que entra em campo nesta noite é composto por: Marcelo Grohe; Léo Moura, Pedro Geromel, Walter Kannemann e Bruno Cortez; Michel, Arthur (Jailson), La Gata Fernández (Fernandinho), Luan e Pedro Rocha; Lucas Barrios seria o único atacante de origem.

   

E GUARANÍ x IQUIQUE?

O outro duelo que ocorre pelo Grupo 8 às 21h45 desta quinta-feira tem tudo para ser bem mais animado que o jogo do Grêmio em Porto Alegre.

O Guaraní do Paraguai vai receber os chilenos do Iquique no acanhadíssimo Estádio Rogério Livieres, com capacidade para apenas 8.000 pessoas. Está com cara de ser um jogo que vai precisar das caneleiras bem postas durante os 90 minutos e os acréscimos.

Tanto Guaraní (10 pontos) quanto Iquique (9) jogam dependendo apenas de si para garantir a vaga. Quem vencer se junta ao Grêmio e avança às oitavas-de-final. Se der empate, há a possibilidade de ambas as equipes seguirem juntas às oitavas, mas para isso ocorrer o Grêmio precisaria perder muito feio para o Zamora, sofrendo quatro ou cinco gols, algo que não passa pela cabeça de ninguém.

Um grande indicativo da noite quente a ser vivida em Assunção é a partida de estreia das equipes nesta Libertadores. Terminou 1×0 para o Guaraní no Chile, em jogo bastante disputado e que poderia ter perfeitamente qualquer outro desfecho.

É nesta condição de equilíbrio que se apega o Iquique. Mas o Guaraní tem uma situação favorável que o desconhecido time chileno não possui: sua experiência em decisões. Foi assim que veio a brilhante campanha na Libertadores de 2015, quando eliminou o Corinthians e o Racing no mata-mata. O Guaraní só foi derrotado nas semifinais, e ainda assim pelo time que terminaria aquela Libertadores como campeão – o River Plate do brilhante técnico Marcelo “El Muñeco” Gallardo.

 

Comentários

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Libertadores, Copa do Brasil e Copa do Nordeste: o giro da rodada | Ganhador.com

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar