Ganhador.com

NFL

Épico! Patriots arquiteta maior virada da história dos playoffs e conquista o Super Bowl 51

Foto: Tom Pennington/Getty Images

Faltam palavras para descrever o que foi o Super Bowl 51 em Houston — não somente a maior final de todos os tempos da NFL como um dos maiores momentos da história do esporte mundial. Se você esteve em frente à televisão ontem à noite (5) e acompanhou o que o New England Patriots fez para cima do Atlanta Falcons no NRG Stadium você é um privilegiado! Épico, espetacular, brilhante, genial… escolha o seu adjetivo! O time da Nova Inglaterra foi buscar uma diferença de 25 pontos em 17 minutos e empatou o duelo em 28 a 28 nos instantes finais! Com todo momento a favor, os Pats anotaram um touchdown logo na primeira posse de bola e venceram a primeira prorrogação da história dos Super Bowls por 34 a 28. Absurdo!

Certamente o embate ficará eternamente guardado na memória de todo apaixonado por esporte, independente do amor pela NFL. São privilegiados os que viram gênios em ação como Pelé, Michael Jordan e agora Tom Brady. O que o quarterback da camisa 12 fez ontem foi algo de outro planeta — fica extremamente difícil não colocá-lo como melhor de todos os tempos após sua apresentação ontem no Texas.

Claro que se ultrapassar Joe Montana e Terry Bradshaw e se isolar como maior campeão da história (com cinco títulos) ajuda, mas o que Brady mostrou em campo ontem vai além dos números. Ele pegou um time aos pedaços no segundo tempo, perdendo por 25 pontos, mas em nenhum momento deixou de lutar e buscar a vitória. O genial QB terminou o duelo com o recorde de jardas (466), passes tentados (62) e passes completos (43) da história do Super Bowl e ainda passou a ser o único jogador a ser eleito quatro vezes ao prêmio de MVP na grande final. Como dizem os americanos: GOAT! (Greatest Player of All Times).

Para se ter uma ideia da proporção do que aconteceu ontem, a maior virada das primeiras 50 edições do Super Bowl havia sido de 10 pontos! A pergunta que fica é: até que ponto os Patriots venceram ou os Falcons perderam esse jogo? Se é inadmissível perder uma partida na NFL após estar vencendo por 25 pontos, imagine um Super Bowl. Essa derrota certamente vai assombrar os jogadores de Atlanta pelo resto da vida — o time começou de forma arrasadora e simplesmente foi perdendo o gás nos minutos finais.

O desenvolvimento do Super Bowl 51 foi tão bizarro que é possível dividi-lo em duas partidas: uma com domínio absurdo do ataque dos Falcons e o outro com o time totalmente transtornado em campo. O cenário na metade do segundo tempo era de quanto seria a surra que os Patriots estavam levando. Esse apagão histórico mostrou como é importante manter foco e atenção total em todos os 60 minutos de partida — você simplesmente não pode dar qualquer chance a um time chamado New England Patriots. Tom Brady e o técnico Bill Belichick viram a oportunidade e não perdoaram — a dupla colocou um ponto final de qual é a maior dinastia da história da NFL.

 

Domínio absoluto dos Falcons na primeira etapa

Certamente alguns torcedores mais pessimistas dos Patriots foram dormir no intervalo e perderam uma das maiores reviravoltas da história do esporte. Isso porque o panorama estava extremamente desfavorável para o time da Nova Inglaterra: os Falcons estavam jogando demais!  Após um primeiro quarto sem pontos, Atlanta se inflamou com um turnover forçado pela defesa e abriu o placar com uma linda corrida do running back Devonta Freeman.

A melhor defesa da temporada regular sentiu o golpe — e o melhor ataque não perdoou. Após um primeiro período mais cauteloso, o QB Matt Ryan, eleito MVP da temporada, foi soltando o braço e logo abriu 14 a 0 com um passe para o tight end Austin Hooper dentro da end zone. O duelo ganhou contorno de massacre quando Tom Brady, visivelmente abalado, fez uma leitura errada e lançou uma interceptação nas mãos de Robert Alford: o cornerback retornou por 82 jardas e desfilou até a end zone! Os Patriots deram o único sinal de vida no minuto final da primeira etapa: o kicker Stephen Gostkowski converteu o field goal e os Pats foram para os vestiários perdendo por 21 a 3 em Houston.

Enquanto Lady Gaga brilhava no show do intervalo, o técnico Bill Belichick quebrava a cabeça nos vestiários e colocava a cabeça do seu time no lugar. Certamente os 40 minutos de pausa foram essenciais na reviravolta histórica que viria a seguir. Alguns memes começavam a surgir dizendo que Gaga tinha feito mais no Super Bowl do que Tom Brady… Ah, se arrependimento matasse…

 

A maior virada da história do Super Bowl

New England claramente voltou de um jeito diferente para o segundo tempo, mas mesmo assim a primeira pontuação foi dos Falcons: Matt Ryan gastou mais de cinco minutos do relógio e lançou um touchdown curto para o RB Tevin Coleman. O cenário era de 28 a 3 para o Atlanta Falcons com 8:36 para o final do terceiro período. O técnico Dan Quinn já pensava no banho de isotônico que levaria minutos depois.

Eis que o inesperado aconteceu. Começou devagar, com a defesa dos Falcons perdendo a intensidade em uma jogada aqui, a outra ali… Algo mais do que suficiente para um time extremamente qualificado ir ganhando moral. Atlanta deu espaço para Tom Brady crescer e acabou pagando o preço. O camisa 12 lançou o primeiro touchdown da noite, mas Gostkowski errou o ponto extra. Parecia apenas um TD de consolação, eis que mais três pontos de um field goal surgiram… A reação começava a ganhar forma.

New England perdia por 16 pontos a 12 minutos do fim — o único cenário possível nesse momento eram dois touchdowns com mais duas conversões de dois pontos para levar o embate para improvável prorrogação. Acreditem ou não, foi exatamente o que aconteceu! Não me surpreenderia se o Super Bowl 51 virar filme algum dia.

Apática, a transtornada defesa de Atlanta simplesmente não sabia como parar Tom Brady — a moral era TODA dos Patriots. Quando New England venceu o cara ou coroa no tempo extra os torcedores sabiam que a vitória era uma questão de tempo. O camisa 12 mostrou por que é o melhor de todos os tempos: converteu cinco de seis passes e posicionou seu ataque a duas jardas da glória. Coube ao RB James White, um dos nomes do jogo, o papel de avançar a distância que faltava e dar ao New England Patriots o quinto Super Bowl de sua história!

Segundo os nossos odds, quem acreditou na vitória dos Patriots de deu muito bem: o spread -3 dos Pats, ou seja, New England vencendo por mais de três pontos, pagou R$1,91 a cada real. Quem seguiu os nossos conselhos e acreditou na chuva de pontos também lucrou — o over de 57 pontos anotados rendeu R$2,20 a cada real. E quem ficou de olho nos palpites do nosso polvo adivinho deve ter se admirado. O Polvo Paulo cravou 34-30 para os Pats, errando por apenas dois pontinhos. Precisão impressionante!

Final épico para uma temporada simplesmente espetacular! Que esporte é esse?! Para os que certamente vão sofrer de DPN (Depressão Pós NFL), fica o recado: setembro sempre chega!

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar