Notícias

Palmeiras e Santos empatam no Allianz Parque; Verdão segue na liderança e Peixe entra no G4

Empatar por 1 a 1 nunca é um resultado esperado, ainda mais se tratando de um clássico. Entretanto, nenhum dos dois times saiu do Allianz Parque na última terça-feira (12) decepcionado. Apesar de perder o 100% de aproveitamento jogando em casa, o desfalcado Palmeiras assumiu a liderança isolada do Brasileirão. Já o Santos conquistou um ponto importante como visitante e entrou no G4 da competição. A partida fechou a 14ª rodada do Campeonato Brasileiro 2016.

Na prática, o que os times entregaram em campo não correspondeu às expectativas criadas para o duelo. A esperança era de um embate de duas equipes jovens e rápidas, mas o que se viu foi muita provocação de ambos os lados e pouco futebol. O Palmeiras sentiu demais as ausências de Gabriel Jesus e Róger Guedes, e o time não mostrou aquele poderio ofensivo quando atua ao lado de seu torcedor. No Santos ficou aquele gostinho de um resultado melhor no Allianz Parque. O time dominou na posse de bola (63% contra 37% do Palmeiras), mas criou menos chances de gol (9 finalizações contra 13 palmeirenses).

O técnico Cuca comemorou o ponto conquistado diante dos 40.035 pagantes, recorde de público do Allianz Parque: “O empate foi justo, no fim das contas foi um bom resultado devido a quantidade de desfalques. Conseguimos um ponto esta noite”, completou. Do lado santista, Dorival Júnior ressaltou o bom desempenho na segunda etapa e falou sobre o ambiente hostil criado pela imprensa: “Após as disputas recentes (principalmente nas finais da Copa do Brasil) criaram um ambiente ruim entre Palmeiras e Santos, o que prejudicou muito o andamento do jogo hoje”, explicou.

O ponto conquistado mantém o Palmeiras na liderança isolada com 29 pontos. O Verdão volta a campo no próximo domingo (17) para encarar o Internacional no Beira-Rio. Já o Peixe reassume a quarta colocação com 23 pontos, empatado com Atlético-PR, Flamengo e Ponte Preta. O time de Campinas será o próximo adversário santista: o jogo acontece no sábado (16), às 18h30, na Vila Belmiro.

Quem investiu em empate no clássico paulista se deu muito bem: pagou 3,41 para cada real apostado. Palmeiras e Santos eram até o momento os times que menos haviam empatado na competição, apenas uma vez cada. Favorito e 100% em casa até antes da partida, um triunfo palmeirense pagaria 2,20. Se o Peixe vencesse, cada real investido pagaria 3,73.

Palmeiras começa na frente

Quem chegou atrasado ao Allianz Parque perdeu o primeiro e único gol palmeirense, logo aos seis da etapa inicial. Dudu cobrou escanteio do lado direito, o colombiano Mina ganhou a disputa no alto com facilidade e cabeceou firme no canto direito de Vanderlei. Explosão na arena palmeirense! Alegria que aos poucos foi diminuindo, visto que o Verdão não mostrava aquela intensidade característica de quando atua em casa. Gabriel Jesus e Róger Guedes, suspensos, fizeram MUITA falta.

A preocupação verde aumentou ainda mais antes da primeira meia hora de partida. O técnico Cuca foi obrigado a fazer duas alterações: o meia Moisés e o zagueiro Mina, autor do gol, deixaram o gramado com lesões musculares. O Palmeiras tentava impor aquele jogo de posse de bola e velocidade, mas não tinha as peças em campo necessárias para colocar em prática.

Do lado santista foi um primeiro tempo bem mediano, muito por conta da atuação apagada de Lucas Lima: o motor do time santista ficou preso na marcação e pouco produziu. O Peixe até tinha mais posse de bola, mas não transformava em chances de gol. O duelo foi para o intervalo com vitória palmeirense: 1 a 0.

Domínio santista na segunda etapa

O Peixe voltou com mais ímpeto dos vestiários. O técnico Dorival Júnior adiantou o posicionamento dos volantes e ganhou o meio-campo. O time foi melhor e tirou vantagem de um Palmeiras cansado fisicamente, principalmente o volante Arouca, que estava há quase dois meses sem atuar. As duas substituições precoces engessaram o técnico Cuca, que pouco pôde fazer para mudar os rumos da partida.

O empate santista não demorou a acontecer. Vitor Bueno cobrou falta aos 10 do segundo tempo, a bola bateu na barreira e acabou sobrando para Gabriel. Com categoria, Gabigol ajeitou para a perna direita e soltou a bomba de fora da área. A bola desviou no zagueiro Vitor Hugo e matou Fernando Prass. Entrou mansa no canto direito do goleiro, que nada pôde fazer. Empatado o duelo no Allianz Parque!

O Santos sentiu o bom momento e foi para cima. A posse de bola continuava a mesma, mas agora com mais objetividade. Lucas Lima fez o time jogar: o camisa 20 foi o responsável por criar os lances de maior perigo. Ele iniciou um contra-ataque rápido aos 33 minutos e a bola acabou sobrando limpa para Thiago Maia, sozinho, dentro da área. O jovem meia santista chutou muito longe do gol de Prass.

O Verdão até criou algumas chances isoladas, mais na base das individualidades do que no coletivo desfalcado e desentrosado. O clássico seguiu nessa toada até o apito final de Wilton Pereira Sampaio. Tudo igual no Allianz Parque. Resultado que, apesar dos pesares, foi bom para ambos os lados.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar