Ganhador.com

Notícias

Maicon é expulso, São Paulo perde por 2 a 0 e se complica na Libertadores

Nem os mais de 60 mil torcedores que lotaram o Morumbi na noite desta quarta-feira (8). Nem a força da camisa que é tricampeã da Taça Libertadores da América. E muito menos o esforço para manter o zagueiro Maicon, um dos principais destaques do time da temporada, foram suficientes para levar o São Paulo a um bom resultado na primeira partida da semifinal do torneio mais importante do continente. Diante de um Atlético Nacional da Colômbia de muita qualidade, a equipe comandada por Edgardo Bauza perdeu por 2 a 0 e terá muita dificuldade para reverter essa situação fora de casa.

Mesmo com os importantes desfalques de Paulo Henrique Ganso e Kelvin, o tricolor paulista era tido como favorito para o confronto que abriu a série de disputas por uma vaga na final do torneio intercontinental. De acordo com estatísticas do site ‘oddsshark.com/br’, o apostador que colocasse um dólar na equipe do atacante Calleri poderia ter o retorno de apenas 1,95. Já quem ousou em apostar suas fichas na equipe colombiana levou para casa 4,42 dólares por dólar investido, uma boa taxa de retorno.

O time de ‘Patón’ Bauza começou melhor a partida e conseguiu fazer boas triangulações para chegar ao gol de Armani. Apesar de não levar grande perigo, a equipe brasileira ia bem e parecia que ditaria as regras do jogo. O primeiro tempo terminou com o São Paulo tendo mais posse de bola (57% a 43%), mais chutes a gol (sete a quatro) e mais escanteios (quatro a zero), o que mostra o claro domínio são-paulino. Mas isso não se reverteu em qualidade na chegada ao ataque.

Sem Ganso machucado, Bauza optou por colocar o recém-chegado Ytalo para fortalecer o setor ofensivo e Wesley dando suporte no meio. Mas as escolhas não deram certo e os dois atuaram bem abaixo do nível dos titulares. Do outro lado, os colombianos foram “gostando do jogo” ao longo do tempo e trataram de esfriar o ímpeto dos 61.766 torcedores que lotaram o Morumbi (renda de R$ 7.526.480, a maior de 2016 entre clubes brasileiros). O público também foi o novo recorde do ano no futebol nacional – o anterior era do mesmo São Paulo, com 61.297 diante do Atlético Mineiro nas quartas de finais da Libertadores.

Já na etapa final as coisas não caminharam da melhor forma para os brasileiros. Logo no início apareceu aquele que seria o nome do jogo: Miguel Borja. Aos 13 minutos, depois do escanteio cobrado por Bocanegra, o atacante recém-contratado e artilheiro do futebol colombiano acertou uma cabeçada firme no travessão de Denis. O Atlético ainda assustou a equipe tricolor em outras duas ocasiões onde o goleiro são-paulino foi bem exigido.

Os R$ 22 milhões que vão por água abaixo

Mas aos 28 minutos do segundo tempo veio o lance capital do jogo. Contratado junto ao Porto (Portugal) a peso de ouro pelo São Paulo após um primeiro semestre impecável, Maicon cometeu um erro infantil e foi expulso de campo, deixando seu time com um jogador a menos. O jogador que fez a diretoria tricolor desembolsar R$ 22 milhões para contar com seu bom futebol – e que vinha fazendo uma boa partida, é bom dizer -, deu um tapa na cabeça de Borja, e na frente do juiz. O gesto não foi dos mais graves, mas foi o suficiente para mandá-lo para o chuveiro mais cedo.

Com um homem a mais, o Atlético não perdoou. Após boa troca de passes da equipe colombiana, Borja saiu na cara de Denis para abrir o placar aos 36 minutos da etapa final. Se o 1 a 0 já estava bom para o time de Reinaldo Rueda, a situação ficou ainda mais favorável aos 43, quando o mesmo Borja recebeu um belo passe de calcanhar de Marlos Moreno. Livre, ele apenas escolheu onde bater e ampliou a vantagem.

Não bastasse o resultado ruim dentro de campo, o jogo ainda teve cenas lamentáveis fora dele. Torcedores do São Paulo e a Polícia Militar entraram em confronto nos arredores do Morumbi antes mesmo do apito final. O jogo da volta acontecerá na próxima quarta-feira (13), às 21h45 (horário de Brasília), em Medelín. Com o resultado do jogo da ida, o São Paulo precisa vencer pelos mesmos 2 a 0 se quiser levar a disputa para os pênaltis. Outros resultados com diferença de dois gols (3 a 1, 4 a 2, 5 a 3) ou mais classificam os brasileiros. Já o Atlético vive uma situação bem mais tranquila e pode até perder ou empatar que estará na final aguardando o vencedor de Boca Juniors e Independiente del Valle.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar