Ganhador.com

Notícias

Disputas na Olimpíada voltam a ser oferecidas nas casas de apostas de Las Vegas após 18 anos

Era difícil imaginar a capital mundial das apostas fora do maior evento esportivo do mundo. Mas nos Jogos Olímpicos de 2016, as casas de apostas de Las Vegas (EUA) foram liberadas a receber palpites em uma série de disputas na Rio 2016. A última vez, em um evento promovido pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), havia sido na Olimpíada de Inverno de Nagano, em 1998. Ótima notícia para quem consulta as estatísticas no Oddsshark.com/br, que agora poderá realizar apostas nas famosas casas de Las Vegas relacionadas às competições olímpicas.

A normalização das apostas nas disputas olímpicas aconteceu graças à aprovação de uma alteração nas regras estaduais, promovida pelo Comitê de Jogos de Nevada, no ano passado. A demora na obtenção de um parecer favorável às casas foi motivada pela análise de todos os esportes que estariam aptos a receber apostas, principalmente as modalidades cujos critérios de arbitragem são considerados subjetivos, como, por exemplo, ginástica e saltos ornamentais. No fim, o comitê decidiu pela liberação de todas as disputas na Rio 2016.

As apostas em eventos do COI estavam suspensas desde 2001, quando o senador John McCain liderou uma cruzada com o intuito de proibir as casas de Las Vegas de colocarem jogos amadores em seus guias de apostas.

No caso da William Hill, uma das principais da cidade, vários esportes já compõem o menu olímpico. Em função da tradição, não é surpresa o fato de o basquete masculino concentrar as maiores atenções dos apostadores, já que a versão 2016 do Dream Team encabeça a lista de favoritos. O mesmo acontece com a Seleção Brasileira de futebol masculino.

O apostador desportivo R.J. Bell, fundador e CEO da conceituada Pregame.com, foi responsável por determinar um consenso de mercado de probabilidades em várias opções de apostas sobre os Jogos Olímpicos.

Segundo Bell, o time de basquete masculino dos EUA tem 89% de chances de ganhar a medalha de ouro. A cotação de -1200 (1.2) para subir ao degrau mais alto do pódio, significa que, para alcançar um lucro de R$ 100, cada apostador teria que investir R$ 1.200.

Uma das opções atrativas para quem acredita em uma zebra colossal é aplicar quantias no campo “outras equipes”, que tem margem de resgate Plus +800 (8.0). Isso significa que, para quem apostar no ouro de qualquer seleção que não seja os Estados Unidos, os aportes seriam multiplicados em oito vezes.

No caso de apostas específicas por países, abaixo dos americanos, no basquete masculino, aparecem:

Espanha: 13.00/R$ 1

França: 15.00/R$ 1

Demais equipes: acima de 30.00/R$ 1

Desde que os jogadores da NBA foram liberados para disputar as Olimpíadas, em Barcelona 92, os americanos não ouviram o hino nacional na entrega das medalhas apenas uma vez, em 2004, em Atenas, quando a Argentina surpreendeu o mundo com a conquista do 1º lugar. Ao todo, os norte-americanos venceram o torneio olímpico de basquete 14 vezes na história.

Muita gente, por exemplo, já ganhou uma bolada ao apostar que os EUA venceriam a China por mais de 50 pontos, na estreia da equipe na Rio 2016, no último sábado. E foi o que aconteceu, com o placar favorável de 119 a 62. Apesar das enormes possibilidades, a maioria das apostas olímpicas será no torneio de basquete masculino.

“O basquete masculino é esperado para gerar mais ação. Esperamos que o segundo mais ativo nas apostas seja o futebol feminino. Muitos eventos terão pouca ação, individualmente, mas se você somar o envolvimento em todos os eventos menos populares, a soma é certamente significativa”, afirmou o executivo.

Falando nas atuais campeãs olímpicas no futebol feminino, a seleção dos Estados Unidos tem cotação Plus -140 (1.71) para ganhar o ouro.

Os EUA, que têm 556 atletas competindo na atual edição dos Jogos Olímpicos, são favoritos a terminar o quadro de medalhas na liderança, com cotação -700 (1.14). Em seguida, vem a China com Plus -400 (1.25). Os únicos países com cotação até 101.00 são a Grã-Bretanha (70.00) e a Rússia (80.0).

Já no atletismo, o jamaicano Usain Bolt, que ganhou os 100 e 200 metros em 2008 e 2012, é o favorito para tornar-se um threepeat (vencedor pela terceira vez consecutiva) em 2016. Bolt é -150 (1.65), enquanto o norte-americano Justin Gatlin é cotado a 3.00. Se você quiser apostar, em Las Vegas, em qualquer outro velocista para alcançar a vitória, um palpite de US$ 100 será resgatado como R$ 1.100.

Responsável por sediar os Jogos de 2016, o Brasil tem tudo para melhorar o seu desempenho no quesito medalhas de ouro, segundo as estimativas. Na visão das casas de apostas, os brasileiros vão conquistar oito.

De acordo com sites internacionais de apostas, o país-sede é favorito absoluto em cinco competições. Os títulos das seleções de vôlei masculino e feminino pagam bem menos aos apostadores do que os principais rivais.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar