Notícias

Atlético-pr Arrasa o Cruzeiro na Estreia de Rafael Sóbis

Tinha tudo para ser uma noite agradável para a metade azul de Belo Horizonte. Jogando em casa às 20h de segunda-feira e com 32 mil pessoas nas arquibancadas do Mineirão, o Cruzeiro recebeu o Atlético-PR na estreia do atacante Rafael Sóbis, recém-chegado do futebol mexicano. Todos só não esperavam sofrer o massacre que abalou o Cruzeiro no segundo tempo e deu a folgada vitória por 3×0 para o Atlético-PR.

Os gols saíram aos 19 minutos (Pablo), 22 e 36 (ambos de André Lima). A queda repentina do Cruzeiro surpreendeu ainda mais porque foi um jogo sem expulsos, justificativa comum em placares tão desiguais, como o de Belo Horizonte.

O resultado colocou o Atlético-PR no G-4 depois de 14 jogos. Está em quarto, atrás do líder Palmeiras e de Corinthians e Grêmio, clubes que vêm a seguir. O time escalado ontem pelo técnico Paulo Autuori, campeão da Libertadores da América de 1997 justamente pelo Cruzeiro derrotado ontem, foi: Weverton; Léo, Paulo André, Wanderson e Sidcley; Otávio, Hernani, Vinícius (Marcos Guilherme) e Nikão (Marcão); Pablo e Walter (André Lima).

O Cruzeiro jogou com Fábio; Lucas, Bruno Viana, Bruno Rodrigo e Edimar; Henrique, Ariel Cabral (Alano) e Robinho (Riascos); De Arrascaeta, Rafael Sóbis (Federico Gino) e Willian. O técnico já bastante criticado é o português Paulo Bento. Com a derrota, o Cruzeiro ocupa apenas a 15ª posição, cinco atrás do rival de toda a vida – o Atlético-MG.
Paulo Bento se defendeu depois da derrota: “Acho que foi uma injustiça. Levo daqui uma tristeza tremenda e uma amargura tremenda. É meu momento mais adverso aqui no Cruzeiro. Falei com os jogadores no vestiário. Não é na adversidade que me sinto mais fraco, eu às vezes me sinto mais fraco quando as pessoas me elogiam”, afirmou o português.

 

“É redutor que a derrota seja única e exclusivamente da dupla de zaga, enquanto tantas coisas acontecem no jogo”, finalizou.

O próximo compromisso do clube de Belo Horizonte será no domingo, às 16 horas, no estádio do Maracanã, contra o Fluminense. Já o Furacão volta a campo também às 16h de domingo, em Curitiba, contra o Vitória, da Bahia.
CLÁSSICO QUE VALE LIDERANÇA E RIVALIDADE

O Campeonato Brasileiro encerra sua 14ª rodada na noite desta terça-feira (12) em São Paulo, com o clássico entre Palmeiras e Santos no Allianz Parque que promete estar lotado para apoiar o melhor time brasileiro do momento. O jogo começa às 20h30 e vale simplesmente a liderança do campeonato para o Verdão que luta pelo título brasileiro que não vence há 22 anos, desde quando tinha Evair e Edmundo no ataque.

 

Com 28 pontos, empatado com o Corinthians, o Palmeiras tem a chance de abrir frente na ponta e respirar um pouco depois da vitória do rival no fim de semana. Já o Santos, sétimo colocado, tenta encostar no grupo dos times que brigam por vaga para a Libertadores da América de 2017.

De acordo com estatísticas do site oddsshark.com/br, quem investir um dólar no Verdão pode levar para casa 2,17, enquanto uma vitória do Santos está pagando 3,25. Quem quiser colocar suas atenções no empate tem cotação igual para ganhar: também 3.25.

O confronto promete ser quente como poucos neste campeonato. Palmeiras e Santos fizeram três decisões nos últimos dois anos e estão com ânimos acirrados como talvez nunca antes.

Na final da Copa do Brasil do ano passado, deu Palmeiras. O Santos levou a melhor na decisão do Paulista 2015 e na semifinal do Paulista recém-terminado.

A expectativa da rivalidade se confirma mesmo com os desfalques de ambos os times. O Palmeiras não contará com o badalado Gabriel Jesus, artilheiro da Série A com dez gols e transferência certa para a Europa em um futuro próximo. Além de Gabriel, outros dois jogadores não poderão atuar nesta noite no Allianz Parque: Róger Guedes e Thiago Santos.

O time da Vila Belmiro não contará com Ricardo Oliveira, um dos principais responsáveis pela rivalidade entre as duas equipes nos últimos anos. O atacante segue se recuperando de lesão.

O árbitro do clássico disputado em São Paulo será Wilton Pereira Sampaio, de Goiás. O Palmeiras escalado pelo técnico Cuca contará com: Fernando Prass; Jean, Mina, Vitor Hugo e Zé Roberto; Matheus Sales e Arouca; Erik, Cleiton Xavier (ou Moisés) e Dudu, com Lucas Barrios como único atacante.

Já o Santos do treinador Dorival Júnior teráVanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia e Renato; Copete (ou Vitor Bueno), Lucas Lima e Gabriel, com Rodrigão na frente.

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar