Ganhador.com

A psicologia do poker

O poker é provavelmente um dos jogos que mais demanda controle psicológico. É um jogo extremamente social, mas ao mesmo tempo muito individual. Além disso, o fato de envolver investimentos financeiros torna essa parte mental ainda mais importante. Afinal, cada decisão no poker afeta sua lucratividade.

Outro fator psicológico que é motivo de diversos debates na comunidade do poker é a leitura dos adversários. São necessários experiência e estudo para notar os detalhes de comportamento que vão lhe dar uma vantagem. As dicas abaixo, no entanto, vão te ajudar a tirar proveito de certas situações.

Melhores Sites de Poker Online

Bônus

de

boas-vindas

+4

Bônus de - boas-vindas

Programa

de

Fidelidade

+4

Programa de - Fidelidade

Awar Points

para

torneios

+5

Awar Points para - torneios

O tilt no poker e como evitá-lo

Antes de entrar numa mesa de poker onde você tem que investir dinheiro — seja ao vivo ou online — existem diversos conceitos que você precisa conhecer. Para começar, o termo tilt é um dos mais importantes. Tilt é a expressão usada para explicar o estresse e a falta de controle mental durante uma situação negativa. Seja ter tomado uma bad beat (quando você perde uma mão em que estava muito à frente) ou ser eliminado de diversos torneios em sequência, todo mundo tilta.

A real diferença está na frequência com a qual um jogador tilta e — ainda mais importante — quão intenso é este tilt. Afinal, é perfeitamente comum ficar triste ou com raiva depois de perder uma mão importante ou ser eliminado de um torneio grande. No entanto, sua reação afeta sua capacidade de continuar jogando (ou parar) com a cabeça no lugar.

No mundo do poker há um mito de que o jogador sempre deve buscar eliminar suas perdas. Ou seja, caso esteja numa sequência de torneios perdidos, o seu objetivo é jogar até cobrir o dinheiro que perdeu. Isso está longe de ser verdade.

Jogadores que estão perdendo com frequência devem parar e analisar o motivo de estarem perdendo. Se você está jogando muito bem, mas simplesmente está sem sorte, deve continuar jogando. No entanto, muitas vezes um jogador está perdendo por tomar decisões incorretas. Se este for o caso, o ato ideal é parar de jogar e focar nos estudos. Analise as mãos, descubra o que fez de errado e tente evitar o erro no futuro.

Além disso, é sempre bom meditar e refletir suas ações na mesa. Um pensamento errado que muitos jogadores têm é analisar a qualidade de suas decisões baseado no resultado das mãos e torneios. Ser eliminado de diversos torneios não quer dizer que você está jogando mal. Da mesma forma, ser campeão de um torneio que conta com 5 mil jogadores não significa que você é um craque do poker.

É importante ser objetivo quando estiver analisando mãos que você jogou. O ser humano é naturalmente subjetivo, mas ainda assim é possível não deixar suas emoções afetarem sua análise.

As consequências negativas de não controlar o tilt podem ser péssimas. Não é incomum que jogadores acabem perdendo muito mais dinheiro que planejavam por causa do tilt. Essa ideia de que é necessário tentar recuperar o que foi perdido é destrutiva. Muitas vezes, a melhor opção é simplesmente aceitar a derrota e buscar recuperá-la em uma outra sessão.

Além disso, o tilt pode afetar sua autoestima e reflexão pessoal no poker. Vários jogadores passam a acreditar que nunca vão ser bem-sucedidos e desistem de continuar estudando. No geral, o tilt transforma sua percepção e opinião sobre você mesmo e certas situações. Passa a ser difícil tomar as decisões corretas e pensar seriamente sobre a mão — sem levar em consideração as mãos ou torneios anteriores.

Lembre-se de uma coisa: cada mão e cada torneio são independentes de outras mãos e outros torneios. Os odds continuam os mesmos, não importa o que aconteceu na mão anterior. Cada mão é uma nova oportunidade para você jogar o seu melhor jogo e alcançar a alta-performance.

 

Conheça os tells e aprenda a explorá-los

Outro termo de extrema importância no poker, especialmente na parte mental do jogo, é o tell. O tell é uma ação, hábito, tique ou fala que acaba dando aos adversários alguma informação sobre seu jogo. O estudo de tells é difícil, já que a área de estudo comportamental não é uma ciência exata.

A importância dos tells no poker é clara. É só assistir a mesa final da World Series of Poker que você percebe. Alguns jogadores usam óculos escuros para que os oponentes não possam acompanhar seus olhos. Outros vestem um moletom ou um cachecol para cobrir seus pescoços. A preocupação é grande, mas compreensível; afinal, jogadores que sabem explorar tells têm uma vantagem imensa sobre o resto do field.

Confira uma lista com alguns dos tells mais comuns do poker, o que eles significam e como jogar contra jogadores com esses tells.

Mão tremendo:

Um dos tells que ocorrem com mais frequência é a mão tremendo. Isso acontece normalmente quando o jogador vai apostar. Normalmente, a mão tremendo quer dizer duas coisas completamente diferentes: ou o jogador está nervoso porque tem um jogo muito forte, ou ele está nervoso por estar blefando. Mas como saber a diferença?

No início da mão, é mais comum tremer com jogos fortes; afinal, não se blefa com tanta frequência pré-flop. Jogadores com AA ou KK podem ficar nervosos pois querem apostar, mas não querem que seus oponentes foldem. Já ao decorrer da mão, o nervosismo começa a ser de quem está blefando. O jogador que tem um jogo forte acaba ficando mais relaxado por estar numa situação confortável na mão. Por outro lado, é necessário coragem para blefar — e mesmo quando você arranja coragem, é difícil não parecer nervoso.

Falando demais:

Jogadores que estão falando demais durante uma mão em específico normalmente estão dando um tell. É claro que a pessoa pode simplesmente estar interessada em um assunto. No entanto, na maior parte das vezes os jogadores que estão falando muito querem que a atenção dos oponentes mude para a conversa e não a mão. Isso é um sinal de que o jogador não tem uma mão muito forte e quer distrair os adversários.

Olhar as cartas repetidamente:

De vez em quando, alguns jogadores checam suas mãos mais do que o normal. O que isso quer dizer? Normalmente, que o jogador quer lembrar o naipe de suas cartas. Isso ocorre pós-flop ou turn na maioria das vezes, e quer dizer que o jogador potencialmente tem flush ou ao menos uma pedida para flush.

O interesse na mão:

Muitos jogadores deixam claro se têm interesse em jogar uma mão antes de terem que agir. Este tell é importante porque lhe dá uma informação sobre o objetivo do seu adversário. Ex: Você está numa middle position e recebe A7 de naipes diferentes. Chega a sua vez de agir e você decide fazer um raise, com a expectativa de possivelmente roubar os blinds. No entanto, antes de anunciar sua aposta, o oponente de sua esquerda já começa a olhar para as fichas e separar uma aposta. Esse interesse do oponente em jogar a mão é uma bandeira vermelha; nesse caso você pode usar esse tell como informação para foldar ao invés de dar raise.

A última mão antes do intervalo:

Poker é um jogo cansativo. Por esse motivo, todo torneio, seja ao vivo em um cassino ou num site de poker online, tem intervalos programados. Quando o torneio chega perto da pausa para o intervalo, muitos jogadores ficam ansiosos para relaxar. Por esse motivo, a última mão antes do break é essencial. Nessa mão muitos jogadores não jogam tão focados porque estão prontos para ir para o intervalo. Sempre jogue focado até o final, sem deixar a expectativa da chegada do intervalo afetar sua performance.

A agressividade nas ações:

Para se dar bem no poker, é preciso ser agressivo. Essa agressividade se refere, porém, a frequência na qual um jogador toma iniciativa e aposta pesado. Existe um tipo de agressividade, no entanto, que é um tell claro de fraqueza na mão. Isso ocorre quando um oponente joga as fichas com certa violência na mesa ou te encara exageradamente. Esses comportamentos são tentativas baratas de intimidar um adversário — e o único motivo pelo qual alguém quer intimidar um oponente é para fazê-lo foldar. Levando isso em consideração, fica claro que em 95% das situações o adversário tem um jogo fraco.

 

Como blefar com sucesso

O blefe é uma arte que poucos já dominaram no mundo do poker. É de extrema dificuldade achar um equilíbrio sólido entre blefes, semi-blefes e apostas por valor. Antes de saber como alternar entre eles, porém, é preciso entender o que os diferencia.

Blefe:

Um blefe acontece quando um jogador aposta com o objetivo de fingir que sua mão é mais forte do que ela realmente é. O resultado esperado pelo jogador é de que os outros foldem, desistindo do pote. Se você está blefando, nunca queira que a mão vá para o showdown (quando os jogadores envolvidos na mão são obrigados a mostrar suas cartas).

Semi-blefe:

O semi-blefe é um pouco mais complicado. Ele ocorre quando um jogador está, assim como num blefe, fingindo que sua mão é mais forte do que a realidade. No entanto, a diferença do semi-blefe é que na maioria das vezes a sua mão ainda pode melhorar. Se você tem uma pedida para sequência e/ou uma pedida para flush, essa é a melhor opção. O semi-blefe é uma boa jogada para aprender. Afinal, se o jogador folda, você ganha o pote; se ele pagar, porém, você ainda tem a chance de melhorar sua combinação e ter a melhor mão.

Aposta por valor:

Essa é a aposta mais comum do poker. Apostar por valor quer dizer apostar quando você acha que tem a melhor mão e quer que o adversário pague com uma mão mais fraca. Nessa situação é sempre bom considerar se existem mãos no range do adversário que perdem para você, mas são boas o suficiente para pagar sua aposta. Caso contrário, não há sentido em apostar. Se o seu adversário só vai pagar com mãos mais fortes que a sua, opte pelo check.

Agora que você sabe os tipos de aposta, já pode aprender a blefar. Não existe uma fórmula específica que explica qual a melhor situação ou maneira para blefar. No entanto, certas dicas podem te ajudar a ter maior sucesso nos seus blefes.

Primeiramente, é absolutamente essencial que você considere o range de mãos do seu adversário. Se estiver num cenário em que o oponente só pode ter mãos fortes, não blefe – afinal, ele dificilmente irá foldar. Pelo contrário: tente aplicar blefes quando o range do seu oponente contém diversas mãos de força mediana e mãos especulativas.

Depois, é preciso saber o quanto apostar para ter os melhores resultados e lucratividade por meio dos blefes. Minha sugestão é que você escolha uma ou duas porcentagens do pote e seja consistente. Eu gosto de apostar 40% ou 70% do pote. O segredo é alternar entre os dois valores independentemente da força de sua mão.  Ou seja, se quiser controlar o pote, aposte por valor e blefe apostando 40% do pote. Se quiser inflacionar o pote, aí opte por apostar cerca de 70% do pote — seja um blefe, seja uma aposta por valor. Isso vai confundir os adversários e tornar as decisões deles mais complicadas.

Por último, lembre-se que nem todo pote precisa ser ganho por você. Um dos maiores problemas de jogadores agressivos é não saber desistir de um pote. Blefar é importante e necessário, mas se exagerar você vai acabar se tornando extremamente previsível. Seja inteligente e torne o blefe um fator surpresa do seu jogo — se aprender a fazer isto direito, vai ficar um passo mais próximo de ser um craque do poker.

A parte mental do poker é muito mais complexa do que este resumo. Existem treinadores de poker que trabalham exclusivamente com o lado psicológico do jogo. No entanto, conhecer o conceito de tilt e aprender um pouco mais sobre tells e blefes é um bom início. Continue focando na sua consistência e habilidade mental e logo você vai ver os resultados nas mesas.

 

Voltar