Ganhador.com

Tênis

Zebras nos primeiros dias do Masters 1000 de Indian Wells vão de Marcelo Melo a ex-número 1 Novak Djokovic

Foto: Matthew Stockman/Getty Images

Atual vice-campeão do torneio nas duplas, brasileiro cai na estreia diante de espanhóis; sérvio é surpreendido por jovem japonês em seu retorno às quadras 

O Masters 1000 de Indian Wells nem começou direito e já vimos uma série de zebras passar pelo território estadunidense. Se a chave de simples já estava bem “acessível” para o sexto título de Roger Federer, que segue imbatível em 2018 com 13 vitórias e nenhuma derrota, ela ficou ainda mais atraente com as derrotas de importantes cabeças de chave. O mais notável deles é Novak Djokovic, que em sua volta às quadras depois de uma cirurgia no cotovelo direito, não suportou a falta de ritmo de jogo e foi surpreendido pelo japonês Taro Daniel. Quem também teve que “engolir” uma derrota não planejada foi o brasileiro Marcelo Melo, principal candidato ao título nas duplas ao lado de seu parceiro Lukasz Kubot. Eles caíram logo na abertura para os espanhóis David Ferrer e Roberto Bautista Agut. Confira tudo o que rolou nos primeiros dias do torneio na Califórnia.

 

Falta de ritmo = derrota

Como adiantamos aqui, a performance de Novak Djokovic era uma incógnita em Indian Wells. O que era suspeitado por nós tornou-se visível com a derrota do ex-número 1 logo na estreia. Pouco mais de um mês após realizar cirurgia no cotovelo direito em razão das dores intermináveis que o fizeram ficar fora do circuito durante todo o segundo semestre de 2017, o sérvio tinha a esperança de reconquistar a confiança. E o torneio na Califórnia era visto com fundamental para este processo de recuperação física e mental do tenista.

Mas, como sabemos, a falta de ritmo muitas vezes pesa. E, no tênis, ela é mais evidente, ainda mais para um simplista, que depende apenas de si para sair com a vitória. Djoko até tentou, mas caiu para o japonês Taro Daniel por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (7-3), 4/6 e 6/1. E olha que foi a primeira vitória do asiático, que ocupa a modesta 109ª colocação no ranking, em nível ATP na temporada.

O resultado até poderia cair como uma bomba no time de Novak Djokovic, mas o fato de o sérvio ainda estar se recuperando da cirurgia alivia a sua barra. Foi apenas o quinto jogo dele desde as quartas de final de Wimbledon de 2017. A questão agora é saber quando o pentacampeão de Indian Wells (2008, 2011, 2014-2016) irá retornar à velha e “imbatível” forma? Há a possibilidade que ele dispute o Masters 1000 de Miami, que dá início em uma semana.

 

Eliminação em série

E olha que não foi apenas Djokovic que sentiu o gosto amargo da eliminação logo de cara na Califórnia. O torneio terminou mais cedo para pelo menos 12 dos 30 cabeças de chave da competição, que rende mil pontos ao vencedor no ranking da ATP. Uma das principais decepções foi Grigor Dimitrov, que deu azar ao encarar na primeira rodada o experiente Fernando Verdasco, que recentemente venceu o Rio Open. O espanhol ganhou do atual número quatro do mundo em três sets.

Quem também deu adeus, mas de forma diferente, foi Kei Nishikori. O japonês sequer entrou em quadra. Um mal-estar derrubou o ex-número Top 5, que ainda luta para entrar em forma após uma lesão no punho direito que o tirou circuito profissional por seis meses.

A lista de zebras da chave de simples ainda conta com Kyle Edmund, britânico que ficou mundialmente conhecido no Aberto da Austrália por derrotar nomes como Dimitrov e Kevin Anderson, que caiu para o israelense Dudi Sela; o alemão Alexander Zverev, perdendo para o luso João Sousa; e o anfitrião John Isner, que foi eliminado pelo showman Gael Monfils.

 

Mais zebras

A primeira rodada também não foi nada agradável para duas das principais parcerias do torneio norte-americano. A “bucha” sobrou para Marcelo Melo e Lukasz Kubot, favoritos ao título da competição. Não será desta vez que a parceria do brazuca, que conviveu com dores musculares nas últimas semanas, vai quebrar a barreira do vice em Indian Wells. O mineiro e o polonês perderam para os experientes David Ferrer e Roberto Bautista Agut por duplo 6/4. Apesar da perda de 600 pontos pela queda inesperada nos Estados Unidos, a situação deles só não é pior porque os cabeças de chave número 2 Henri Kontinen (FIN) e John Peers (GBR) também foram surpreendidos pelos franceses Adrian Mannarino e Fabrice Martin. Assim, Bruno Soares é o único representante da bandeira verde-amarelo. Ele segue na competição ao lado do britânico Jamie Murray.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar