Ganhador.com

Carioca

Vasco x Botafogo: chegou a vez do Fogão na decisão do Carioca?

Botafogo
Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Semifinais contaram com muita emoção e uma classificação vascaína conquistada no sufoco, só aos 50 do segundo tempo. Tal esforço deve cobrar um preço alto

Quem diria. Revertendo a lógica, que apontava classificações até tranquilas para Flamengo e Fluminense, jogando pelo empate para passar para a decisão, Botafogo e Vasco nos lembraram por que o futebol é tão apaixonante e cheio de reviravoltas. Os dois alvinegros cariocas superaram os badalados adversários e agora abrem, no domingo (1º), às 16h (de Brasília), no Estádio Nilton Santos, a terceira final de Carioca entre si nos últimos quatro anos. Nas duas até aqui, em 2015 e 2016, o Vasco foi campeão. Resta saber se a equipe vai ter fôlego para buscar este terceiro troféu e decretar uma freguesia botafoguense.

 

Paulinho, quem diria…

O futebol brasileiro é mesmo uma fonte inesgotável de talentos. Basta ver o que ocorre no Vasco, tão maltratado politicamente nos últimos anos. Mesmo caindo para a Série B e sofrendo até para honrar os compromissos financeiros com os jogadores, o clube revelou uma joia que tem um grande futuro europeu por diante. Estamos falando de Paulinho, o grande nome da equipe na semifinal contra o Fluminense.

Machucado e começando no banco, ele provou por que é chamado de “novo Dybala” ou “novo Philippe Coutinho”. Paulinho tem só 17 anos, mas já dá conta e desequilibra jogos importantes como este Vasco x Fluminense. Foi ele pisar em campo para o Vasco se transformar e conquistar os dois gols que precisava para a classificação – o último deles, apenas aos 50 minutos, empurrado para a rede por Fabrício.

O tempo de recuperação física de toda a equipe vai ser consideravelmente menor que o do Botafogo. A Estrela Solitária atuou um dia antes, se desgastou bem menos, pois venceu por 1×0, e agora abre a final em casa. São vantagens que não podem ser ignoradas.

 

Chegou a vez de Paulo Valentim?

Outro motivo de grande interesse nesta final de Carioca é que os treinadores jovens levaram a melhor sobre os “medalhões”. Zé Ricardo e Paulo Valentim estarão à beira do gramado. E Abel Braga e Paulo Cesar Carpegiani só vão acompanhar a decisão pela TV.

Contra o Flamengo, o Botafogo mostrou realmente que é uma equipe organizada e que sabe atacar só na boa. Não é para menos. Em seus tempos de jogador, Valentim foi um lateral-direito que atuou no futebol italiano por seis temporadas, na Udinese e no Siena. E ele absorveu bem todos os rigores técnicos do “catenaccio”, a forma defensiva que muitas equipes costumam atuar na Itália.

O Botafogo está longe de ser um time retranqueiro. Atua de uma maneira moderna e conta com um toque de bola interessante no meio de campo para frente. Uma das premissas dos técnicos jovens é saber o que fazer com a bola. E não há como negar que este Fogão tenta sempre usar a inteligência na hora de dar o passe e tentar surpreender o adversário que quase nunca deve esperar um lance individual – o risco de perder a posse de bola é sempre maior que o de uma jogada coletiva.

É desta maneira, usando a cabeça e parecendo uma equipe mineira, de “tão pelas beiradas que anda comendo”, que este Botafogo reverteu os prognósticos e chegou à decisão do Carioca. A grande pergunta agora é saber o que o time vai fazer nessas duas partidas.

 

Fogão deve sair na frente

O duelo que define agora o Carioca já foi visto duas vezes nos últimos dias – e com um 3×2 para cada lado. O Vasco levou a melhor na fase de grupos da Taça Rio; o Botafogo, na semifinal.

O que deixa esta decisão de Campeonato Carioca com a cara do Botafogo é realmente a questão física. O Vasco, claro, fechou a semifinal com o Fluminense no limite das suas energias. Uma partida que termina 3×2, com o gol decisivo saindo só aos 50 minutos do segundo tempo, é mesmo para gerar o ápice do estresse.

E há outro agravante: o Vasco ainda vai jogar pela Libertadores na quarta-feira (4), enfrentando o Cruzeiro no Mineirão. O Gigante da Colina perdeu na estreia da competição internacional, e nem é preciso estar em São Januário para saber que o clube, com certeza, vai no mínimo dividir as atenções entre as duas competições, enquanto o Botafogo só tem o Carioca para destinar todo o seu esforço.

Por isso, é de se imaginar uma vitória até confortável do Fogão no primeiro jogo. Um 2×0 é bem provável. Estão de acordo? Ou pensam diferente?

 

Jogo da 1ª final do Campeonato Carioca 2018

Domingo, 1º de abril

  • 16:00 – Botafogo x Vasco – Palpite: Botafogo

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar