Paulista A1

Troféu do Interior: após empate entre Ponte Preta e Mirassol, vencedor do jogo de volta será o campeão

Foto: Fábio Leoni/A.A. Ponte Preta

Macaca estava à frente do placar até os 48 minutos do segundo tempo, quando uma bobeada da defesa permitiu que o Leão da Alta Araraquarense deixasse tudo igual na decisão

A Ponte Preta esteve muito perto de largar em vantagem na final do Troféu do Interior. Na noite de ontem (29), no estádio José Maria de Campos Maia, o Mirassol recebeu a Macaca, que vencia até os 48 minutos do segundo tempo – gol de pênalti de Marciel. Porém, após uma desatenção do sistema defensivo dos visitantes, Edson Silva deixou tudo igual e deu números finais aos primeiros 90 minutos da final. O confronto de volta será realizado na próxima segunda-feira (02), às 20h (horário de Brasília), no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

 

Mirassol 1 x 1 Ponte Preta

Com o vacilo no último lance do jogo, a Ponte perdeu a oportunidade de regressar para casa com a vantagem de conquistar o tetracampeonato da competição com o marcador igualado. Agora, quem vencer o jogo de volta ficará com o título, que dá uma vaga na Copa do Brasil de 2019 ao campeão, além de R$ 360 mil de premiação. Em caso de novo empate, por qualquer placar que seja, teremos disputa por pênaltis.

 

O jogo

O jogo em Mirassol começou nervoso, quando as duas equipes esqueceram a bola e miraram as canelas um dos outros. Para se ter uma ideia do clima “amistoso”, o volante Léo Baiano (Mirassol) recebeu amarelo logo no primeiro minuto ao acertar o atacante Orinho. Pelo bem dos expectadores, que imaginavam que poderiam ver uma luta coletiva de UFC em vez de uma partida de futebol, a pelota recebeu tratamento mais adequado, quando os anfitriões passaram a ter mais posse de bola.

Porém, a Ponte Preta tinha uma estratégia muito bem alinhavada com saídas fortes de contra-ataque. No entanto, até os 30 minutos, os goleiros dos dois times praticamente não trabalharam, já que as duas representações não encontravam boas soluções ofensivas. Mas dois minutos depois, surgiu a primeira chance clara de gol. E foi com o Mirassol, depois que Xuxa cobrou escanteio, a bola descaiu na marca do pênalti e o zagueiro Edson Silva errou o alvo ao cabecear por cima do travessão.

A Macaca até fazia bem a transição entre a defesa e o ataque, mas tudo ia por água abaixo no último passe. Porém, quando os visitantes acertaram o compasso, o Mirassol passou por apuros. Aos 40 minutos, Marciel jogou a bola na área. Ao sair mal, o goleiro Ygor Vinhas deixou Orinho em boas condições de marcar, mas ele acabou desequilibrado por William Simões. Os pontepretanos ficaram na bronca com o árbitro, que não viu pênalti no lance. E fim de papo na primeira etapa.

 

Partida pega fogo na volta para a segunda etapa

O intervalo fez bem à Ponte, que voltou acesa e criou duas grandes chances claras de abrir o placar antes dos dez minutos. Na primeira, Lucas Mineiro tentou colocar no cantinho de Ygor Vinhas, que se esticou todo para fazer a defesa. Logo depois, o camisa 10 acertou bela cabeçada. O grito de gol estava prestes a ser libertado da garganta dos torcedores da Macaca, só que, mais uma vez, Vinhas operou um verdadeiro milagre para manter o placar zerado.

Porém, aos 11 minutos, Mineiro, melhor jogador do time campineiro na partida, acionou Orinho na grande área. Antes de finalizar, ele foi derrubado por Wellington Silva. O juiz não pensou duas vezes e assinalou a penalidade. Marciel partiu para a cobrança e deslocou o goleiro. A bola ainda triscou na trave antes de estufar as redes.

No desespero e empurrado pela torcida, o Mirassol foi para o tudo ou nada. Aos 25, o empate por pouco não veio. Ao cortar cruzamento de Douglas Baggio, Luan Peres quase marcou contra. Mas a resposta foi imediata. Em uma blitz, o zagueiro Renan Fonseca cabeceou na trave. Na sequência, Silvinho recebeu na cara do gol, mas a finalização foi bloqueada por Ygor Vinhas.

 

Quem não faz…

Nos acréscimos, a Ponte Preta se segurava para comemorar a vitória fora de casa. Mas as chances claras desperdiçadas no segundo tempo fizeram falta. Como castigo, o empate veio aos 48 minutos. No abafa, Edson Silva subiu no meio de dois zagueiros e testou no cantinho de Ivan. Fim de papo em Mirassol: 1 a 1.

 

Escalações

Mirassol: Ygor Vinhas; Danilo Boza (Guilherme Castilho), Wellington Silva (Matheus Gabriel), Edson Silva e William Simões; Léo Baiano, Luís Oyama, Lucas Rodrigues e Xuxa (Douglas Baggio); Alíson e Gilsinho – Técnico: Moisés Egert

Ponte Preta: Ivan; Emerson, Renan Fonseca, Luan Peres e Marciel; Nathan, Jeferson e Lucas Mineiro; Felipe Saraiva (Gabriel Vasconcelos), Orinho e Yuri (Silvinho) – Técnico: João Brigatti (interino)

 

Palpite para o jogo de volta

A Ponte foi melhor do que o Mirassol, mas não existe justiça no futebol. A Macaca, por pouco, não levou uma ótima vantagem para casa. Porém, em seus domínios e com base no que apresentou em campo hoje, a confiança no título é plena. Quem conseguir a vitória, conquistará o Troféu do Interior. E o time que mais inspira confiança, justamente ao lado de seus torcedores, é a Macaca.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.