Ganhador.com

Copa Sul-Americana

Sul-Americana: Vasco precisa repetir feitos de 2007 e 2011 para despachar LDU; saiba mais

Jogadores do Vasco
Foto: Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

Na partida de ida, disputada na altitude de Quito, Cruz-Maltino foi batido por 3 a 1 pelos equatorianos; vitória por 2 a 0, em São Januário, é o suficiente para avançar

O Vasco tem uma missão das mais complicadas para seguir na disputa da Copa Sul-Americana 2018. Na segunda fase, os cariocas farão o jogo de volta, em São Januário, contra a LDU, nesta quinta-feira (09), às 19h30 (horário de Brasília), em São Januário, onde precisarão reverter a vantagem do time equatoriano, que fez 3 a 1, no confronto de ida, no estádio Casa Blanca, em Quito. No que depender da história, no entanto, o clube Cruz-Maltino conta com motivos para ficar confiante na virada.

Segunda fase da Copa Sul-Americana (volta): Vasco x LDU

O mínimo que os comandados de Jorginho precisam para avançar é o triunfo por 2 a 0, já que anotaram um tento fora. Se os visitantes balançarem as redes ao menos uma vez, o Gigante da Colina será obrigado a conseguir uma diferença acima de três tentos para conseguir a classificação no tempo normal. Agora, no caso da devolução do marcador da partida de ida, a disputa seguirá para as penalidades máximas.

Em função dos frustrantes resultados recentes, o trabalho do treinador já começa a ser contestado. No último domingo (05), no Morumbi, a equipe se portou bem, apesar da derrota por 2 a 1 para o São Paulo, que passou à condição de líder do Campeonato Brasileiro. Em uma fase difícil, é possível conseguir uma virada contra uma representação que conta com certa tradição no cenário continental?

Vasco se apoia em viradas épicas na Sul-Americana de 2007 e 2011 para surpreender LDU

Difícil será de qualquer forma. No entanto, há três ótimos exemplos para animar o torcedor vascaíno a ir até São Januário empurrar o time do coração. Começaremos por 2007. Nas oitavas de final, o Gigante da Colina mediu forças com o Lanús (ARG). No primeiro confronto, na Argentina, o Granate colocara o pé na fase seguinte com a ótima vantagem do 2 a 0. Mas o Vasco não se intimidou e conseguiu tomar a vaga dos argentinos com a goleada por 3 a 0.

Já em 2011, último grande ano do Cruz-Maltino, que contemplou a conquista da Copa do Brasil e o vice no Brasileirão, a equipe fez sua melhor campanha na Copa Sul-Americana, quando foi eliminada apenas na semifinal para a Universidad de Chile, que se sagraria campeã justamente contra a LDU – que ganhou a competição em 2009 diante do Fluminense.

Naquela edição, o Vasco despachou o Palmeiras com empate no placar agregado (3 a 3), com a vantagem de ter feito um gol em São Paulo. Na etapa seguinte, as coisas começaram difíceis diante do Aurora (BOL), que saiu na frente com um 3 a 1, em casa. Mas no duelo de volta, os vascaínos engoliram os bolivianos com o inesquecível 8 a 3.

Nas quartas de final, foi a vez de encarar o Universitario (PER). Na primeira partida, no Peru, mais uma derrota como visitante: 2 a 0. Em seus domínios, os cariocas deram mais um show. A goleada por 5 a 2 foi na medida, mas a La U frustrou os planos dos brasileiros de chegarem à decisão da Sul-Americana pela primeira vez em sua centenária história.

Vasco vai com o que tem de melhor no ataque para sufocar a LDU

Ainda sem poder contar com o veterano atacante argentino Maxi López, os vascaínos irão a campo com com uma linha de frente de boas alternativas, como Yago Pikachu, Giovanni Augusto , Thiago Galhardo e Andrés Rios. Galhardo, aliás, afirmou, durante a coletiva depois do treino de preparação, que a torcida será fundamental como fator de desequilíbrio.

“Temos que entrar com vontade de vencer. A torcida vai estar presente, lotará São Januário. É pegar tudo do jogo contra o Bahia. Entramos ligados do primeiro ao último minuto. Temos que estar preparados para evitar a pilha deles e conseguir botar nosso ritmo”, afirmou o meia.

Prováveis escalações

Vasco: Martin Silva, Luiz Gustavo, Breno, Henríquez e Ramon; Leandro Desábato e Andrey; Yago Pikachu, Giovanni Augusto e Thiago Galhardo; Andrés Rios. Técnico: Jorginho

LDU: Gabbarini, Quintero, Guerra, Salaberry e Chalá; Vega, Orejuela, Anderson Julio, Johan Julio e Guerrero; Anangonó. Técnico: Pablo Repetto

Palpite

Dá para acreditar. A LDU não é lá essas coisas e a prova disso é a campanha ruim no Campeonato Equatoriano. Além do mais, é raro o Vasco não ter uma postura de ditar o jogo em São Januário. A pressão pelos gols necessários para a classificação será do início ao fim. Por isso, vale a pena confiar na qualificação vascaína. Quem passar, pega o Deportivo Cali (COL).

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar