Ganhador.com

Copa do Mundo Rússia 2018

“Recordar é viver, a Alemanha acabou com você!”

Foto: Laurence Griffiths/Getty Images

Em 2014, a Alemanha chegou ao tetra com goleada história sobre o Brasil

Como o tempo voa! Ainda está fresco na memória a escolha da Copa no Brasil. Aconteceram as Eliminatórias, a Copa das Confederações, o Mundial, novas Eliminatórias, nova Copa das Confederações, já estamos às vésperas da Copa do Mundo da Rússia e Tite acaba de fazer a convocação para os últimos amistosos. O que mais te marcou em 2014? O 7 a 1? O título da Alemanha? A magia de Costa Rica? O fiasco da Espanha? Confira abaixo a retrospectiva.

 

A escolha do Brasil

O Brasil não teve concorrência e foi apontado como sede por unanimidade. Em 2006, a Colômbia chegou a inscrever sua candidatura. Sem apoio, desistiu em 2007, três meses antes da escolha pelo nosso país.

Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador e São Paulo foram escolhidas como sub-sedes.

 

O começo

Dos duzentos e sete afiliados à FIFA em 2010, apenas Brunei, Butão, Guam e Mauritânia não se inscreveram nas Eliminatórias da Copa do Mundo. Depois do sorteio, Bahamas e Ilhas Maurício desistiram de competir.

 

As Eliminatórias

O primeiro jogo da Copa do Mundo de 2014 aconteceu em 15 de junho de 2011. Nesta data, Montserrat recebeu Belize e perdeu por 5 a 2. A maior surpresa na CONCACAF foi a classificação automática de Honduras que forçou o México a disputar a Repescagem.

Na América do Sul, ninguém esperava que o Paraguai terminasse em último lugar.

Na Oceania, a Nova Zelândia passeou contra arquipélagos inexpressivos.

Na Ásia, a China não chegou nem à última fase, sendo desclassificada precocemente por Iraque e Jordânia.

Na África, o Egito, dono de muitos títulos continentais, fracassou mais uma vez e deixou a vaga escapar para Gana.

As eliminatórias europeias ficaram marcadas pelo duelo entre Espanha e França no grupo I. Os espanhóis levaram a melhor e empurram os franceses para a segunda fase, que teve também Portugal e Suécia. Aliás, os portugueses tiveram que desclassificar os suecos.

Na Repescagem, o México humilhou a Nova Zelândia e o Uruguai se divertiu contra a Jordânia.

 

A 1ª fase da Copa do Mundo 2014

Em 12 de junho de 2014, o torneio começou com uma boa vitória do Brasil sobre a Croácia por 3 a 1, gols de Neymar (dois) e Oscar. O primeiro sinal de que as coisas não iam tão bem com a esquadra brazuca veio na segunda rodada. O México amarrou o Brasil e segurou o 0 a 0. Sorte que nosso último compromisso foi contra Camarões e a goleada foi construída naturalmente por 4 a 1, tentos de Neymar (dois), Fred e Fernandinho.

A maior decepção da Copa foi a então atual campeã Espanha, que sucumbiu numa chave complicada. Apesar de sair na frente, levou de 5 a 1 da Holanda. Não satisfeita, perdeu de 2 a 0 do Chile.

O grupo D foi apontado como o mais difícil, pois contava com três ex-campeões mundiais. Inglaterra e Itália acabaram surpreendidas pela modesta Costa Rica, que acumulou sete pontos, em nove possíveis. O Uruguai avançou em segundo.

Argentina, Bélgica, Colômbia e Holanda terminaram com cem por cento de aproveitamento. Nuestros hermanos venceram Bósnia & Herzegovina, Irã e Nigéria. Os belgas ganharam de Argélia, Coreia do Sul e Rússia. Os colombianos bateram Costa do Marfim, Grécia e Japão. Os holandeses, como já dito, superaram Austrália, Chile e Espanha.

A Alemanha estreou com impressionantes 4 a 0 sobre Portugal, mas suaram a camisa para empatar com Gana em 2 a 2. Encerraram sua participação com uma vitória apertada sobre os Estados Unidos por 1 a 0.

 

Início do mata-mata

As oitavas de final separam quem realmente briga pelo título dos cavalos paraguaios, surpresas e zebras. Por 2 a 0, a Colômbia superou o Uruguai, com um golaço de James Rodríguez, e a França eliminou a Nigéria.

Os pênaltis salvaram o Brasil contra o Chile e classificaram a Costa Rica diante da Grécia.

A Mannschaft precisou da prorrogação para vencer a Argélia. A Argentina também recorreu aos 30 minutos extras para furar a retranca da Suíça. O tempo extra entre os Diabos Vermelhos e os norte-americanos foi emocionante e teve três gols. A Bélgica levou a melhor.

No outro jogo, a Holanda chegou à quarta vitória seguida ao desclassificar o México por 2 a 1.

 

Sobraram oito

Mats Hummels marcou logo aos 13 minutos para dar a vitória germânica sobre a França, em pleno Maracanã.

Gonzalo Higuaín foi ainda mais rápido que seu colega de profissão alemão. Seu tento foi anotado aos 8′ e acabou com o sonho dos jovens craques da Bélgica.

O Brasil novamente sofreu. Thiago Silva e David Luiz marcaram e James Rodríguez descontou para o país cafeteiro, que teve várias chances de empatar.

O mundo torceu, se divertiu e chorou com a Costa Rica, que resistiu à Laranja Mecânica, de Van Persie, Robben e Sneijder, até a disputa de pênaltis.

 

7 a 1 para sempre na memória

Aquele 08 de julho de 2014 jamais será esquecido por brasileiros, alemães e amantes do futebol. Os alemães amassaram os brasileiros, da mesma forma que dentes estraçalham um pudim. O 7 a 1 foi até pouco pelo que os europeus demonstraram em campo, sobretudo no primeiro tempo. Thomas Müller, Miroslav Klose, Toni Kroos (dois), Sami Khedira e André Schürrle (dois) balançaram as redes. No último minuto, Oscar fez o de honra. O Mineirão chorou de vergonha!

No dia seguinte, as penalidades máximas classificaram uma burocrática argentina diante dos holandeses, em São Paulo.

 

Tetracampeã

Na briga pela medalha de bronze, os comandados por Felipão tomariam outro sacode. Desta vez, a Holanda foi o carrasco: 3 a 0.

Na decisão, novamente Messi afundou junto com a sua Albiceleste. Os argentinos até que resistiram bem aos 90 minutos regulamentares. Na prorrogação, Mario Götze venceu Sergio Romero e fez da Alemanha a terceira nação a se sagrar tetracampeã, após Brasil e Itália.

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar