Copa Verde

Paysandu é o grande campeão da Copa Verde de 2018

Paysandu Copa Verde
Foto: Fernando Torres/Paysandu

Pela terceira vez na história, o Paysandu se torna a melhor equipe do Norte do país

Dezoito clubes das Regiões Norte, Centro-Oeste e Sudeste, representando onze estados da União, competiram na Copa Verde de 2018. O título acabou ficando com o Paysandu, que consegue assim ultrapassar o arquirrival Remo na briga pela hegemonia da região Norte. O título valeu ao Bicolor uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil do ano que vem. Confira abaixo como foi o título do Papão da Curuzu!

 

Paysandu 1, Atlético Itapemirim, 1

O Paysandu havia aberto boa vantagem no primeiro jogo ao vencer o Atlético Itapemirim por 2 a 0, em Cariacica. Os gols foram anotados pelo artilheiro Cassiano.

Muitos pensariam que na partida de volta o Papão se fecharia para administrar o resultado. Mero engano. O goleiro Bambu trabalhou muito para segurar o empate. Mike e Matheus Silva perderam chances claras. Na única vez que foi à frente, os capixabas balançaram a rede. Paulinho cruzou no primeiro pau e Eraldo cabeceou para o fundo do gol aos 39’ minutos.

No segundo tempo, a pressão continuou. Pedro Carmona tranquilizou os paraenses quando aos 27’ chutou colocado de fora da área para deixar tudo igual. A partir daí, o Paysandu passou a tocar a bola e a deixar o relógio correr. Os visitantes acusaram o golpe e aceitaram o 1 a 1.

 

Ficha técnica da decisão

Paysandu: Renan Rocha; Diego Ivo, Edimar e Perema; Matheus Silva (Maicon Silva), Nando Caradina, Renato Augusto e Victor Lindenberg (Mateus Muller); Moisés (Pedro Carmona), Mike e Cassiano. Técnico: Dado Cavalcanti.

Atlético Itapemirim: Bambu; Paulinho, Rhayne, Kleber Viana (Pedrão) e Marcos Felipe; Araruama, Franklin, Júnior Santos (Henrique) e Fabiano; Ualisson Pikachu (Bruno) e Eraldo. Técnico: Zé Humberto.

Árbitro: Anderson Daronco.

Público: 28.900 pagantes (35.000 presentes).

Cartões Amarelos: Diego Ivo, Júnior Santos e Pedrão.

Gols: Eraldo aos 39′ do 1o tempo e Pedro Carmona aos 27′ do segundo tempo.

 

Futuro do torneio

Fixa no calendário da Confederação Brasileira de Futebol, a Copa Verde passou a ser uma grande incógnita. O canal de televisão fechada Esporte Interativo comunicou à entidade que não renovará o contrato de transmissão dos embates. A audiência foi pífia, com exceção de quando Paysandu e Remo entraram em campo.

Antônio Carlos Nunes, presidente da CBF, declarou recentemente que está trabalhando com novos parceiros para o ano que vem. Um deles deverá ser a empresa Binacional, que administra a usina de Itaipu. Ela bancaria o certame, mas exige a entrada nele de dois representantes do Paraná e outros dois do Paraguai. Outra hipótese é colocar as pelejas na televisão aberta, sobretudo no interior do país.

Outra resistência a ser vencida é em relação aos clubes de Goiás, sobretudo Atlético, Goiás e Vila Nova. O trio não se sente atraído pela baixíssima premiação da Copa Verde.

 

A campanha do Paysandu

O Ganhador acompanhou toda a competição. Se deseja reler em detalhes sobre seu desenrolar, clique neste link.

Fase Preliminar:

  • Isento.

1ª Fase:

  • 0x0 Interporto-TO – f
  • 4×0 Interporto-TO – c

Quartas de final:

  • 3×2 Santos-AP – f
  • 4×2 Santos-AP – c

Semifinal:

  • 2×1 Manaus-AM – c
  • 2×1 Manaus-AM – f

Final:

  • 2×0 Atlético Itapemirim-ES – f
  • 1×0 Atlético Itapemirim-ES – c

 

Os campeões (incluindo os da extinta Copa Norte)

  • 1. Paysandu, 3 (2002, 2016 e 2018)
  • 1. São Raimundo, 3 (1999, 2000 e 2001)
  • 3. Remo, 2 (1968 e 1969)
  • 4. Brasília, 1 (2014)
  • 4. Cuiabá, 1 (2015)
  • 4. Luverdense, 1 (2017)
  • 4. Fast, 1 (1970)
  • 4. Rio Branco, 1 (1997)
  • 4. Sampaio Corrêa, 1 (1998

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar