Brasileirão Série A

No fundo do poço, Paraná tem clássico com o Atlético Paranaense pela 26ª rodada do Brasileirão

Jogador do Atlético-PR
Foto: Miguel Locatelli/Site Oficial

Complicando-se a cada rodada, Tricolores precisam de uma reação improvável para escaparem do rebaixamento; acusando cansaço, Furacão deve levar time misto para o embate

O Campeonato Brasileiro da Série A ainda tem muito chão pela frente, mas tem equipe praticamente jogando a toalha. Último colocado no Nacional com apenas 16 pontos, sendo 12 de diferença para a Chapecoense, primeiro time fora do Z-4, o Paraná entra em campo neste domingo (23 de setembro) em “fase terminal”. Isso porque o Tricolor Paranaense tem pela frente um clássico da cidade de Curitiba contra o Atlético Paranaense, às 16 horas, na Arena da Baixada. O que esperar do lanterna logo mais?

 

Paraná em estado terminal

Se já não bastassem as dificuldades corriqueiras de um clube que luta para sair da zona do rebaixamento, o Paraná tem sua missão dificultada com um clássico do estado pela frente. O jogo contra o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada, coloca uma pressão enorme nos comandados de Claudinei Oliveira, que precisam urgentemente da vitória para pelo menos demonstrarem certa reação no campeonato.

Atualmente com 16 pontos em 75 disputados na Série A, o Tricolor Paranaense é o último colocado. E isso não é tudo. O clube que foi promovido à primeira divisão neste ano tem o pior ataque do campeonato com 11 gols. Os números do lanterna são ainda piores se lembrarmos os 11 jogos sem vitórias. São oito derrotas e três empates no período, fatos que colocam os paranaenses com apenas 1% de chance de escaparem do descenso. O último triunfo ocorreu na 14ª rodada, quando a equipe ainda treinada por Rogério Micale superou o América-MG por 1×0, na Vila Capanema.

 

A formação titular Tricolor

Em meio às mudanças fora de campo, como a demissão do executivo de futebol, Rodrigo Pastana, devido à campanha vexatória, e a liberação de cinco funcionários da comissão técnica (auxiliar de preparador de goleiro, Felipe Jorge, o preparador físico Gustavo Araújo, o auxiliar técnico Ademir Fesan, e o fisioterapeuta Alexandre Leite), por conta da falta de dinheiro em caixa, o Paraná tenta montar um time competitivo neste domingo.

O técnico Claudinei Oliveira terá os retornos do zagueiro Cleber Reis e do atacante Silvinho para quebrar o incômodo jejum. A dupla, que tem ficado à disposição durante todos os treinamentos da semana, deve aparecer na formação titular. Por outro lado, os laterais Junior e Igor são as baixas da vez com problemas físicos. O Paraná deve ir a campo com: Richard; Wesley Dias; Cleber Reis, René Santos e Mansur; Leandro Vilela (Torito González), Alex Santana, Caio Henrique e Nadson; Silvinho e Grampola.

 

Furacão vai de time misto

Embalado pela importante vitória na Venezuela sobre o Caracas, em exibição magnífica do meia Raphael Veiga, autor dos dois gols no placar de 2×0 válido pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana, o Atlético Paranaense quer manter a ascensão na Série A. Depois de acumular boas rodadas no Z-4, o Furacão “colocou” a sexta marcha no fim do primeiro turno e agora já é o 11º colocado com 30 pontos.

Mas a escalada de turma dirigida por Tiago Nunes terá de ser com um time misto. Isso porque a equipe considerada titular vem de uma maratona de quatro jogos em um intervalo de dez dias. Com a dura sequência, a ordem é recuperar os atletas. Por isso, nomes como Jonathan, Lucho González e Marcinho podem ganhar descanso do comandante rubro-negro. Por outro lado, os jogadores Bergson, Rony, Marcelo, Guilherme e Bruno Guimarães podem ganhar uma chance logo mais.

De certo mesmo é ausência de Paulo André. O experiente zagueiro tomou o terceiro cartão amarelo contra o Fluminense e cumprirá suspensão automática. Ele deve ser substituído por Thiago Heleno ou Zé Ivaldo, considerados as opções para jogarem ao lado de Léo Pereira. Os prováveis 11 titulares do Furacão são: Santos; Jonathan (Diego), Léo Pereira, Zé Ivaldo (Thiago Heleno) e Renan Lodi; Wellington e Bruno Guimarães; Guilherme (Raphael Veiga), Marcelo Cirino e Rony (Marcinho); Bergson (Pablo).

 

Palpite

A opção do técnico Tiago Nunes por poupar importantes peças do elenco do Atlético Paranaense não deve mudar a maneira de a equipe atuar em campo. Portanto, o Furacão é favorito para vencer o rival, seja pela tranquilidade na tabela ou mesmo pela motivação após resultado importantíssimo na Copa Sul-Americana.

Jogos da 26ª rodada do Brasileirão da Série A

Sábado, 22 de setembro

  • 16:00 – São Paulo x América-MG – Palpite: empate

Domingo, 23 de setembro

  • 11:00 – Grêmio x Ceará – Palpite: Grêmio
  • 16:00 – Atlético-PR x Paraná – Palpite: Atlético-PR
  • 16:00 – Corinthians x Internacional – Palpite: empate
  • 16:00 – Flamengo x Atlético-MG – Palpite: Atlético-MG
  • 18:00 – Sport x Palmeiras – Palpite: Palmeiras
  • 18:00 – Vitória x Botafogo – Palpite: Vitória
  • 19:00 – Cruzeiro x Santos – Palpite: Cruzeiro

Segunda-feira, 24 de setembro

  • 20:00 – Chapecoense x Fluminense – Palpite: Chapecoense
  • 20:00 – Vasco x Bahia – Palpite: Vasco

 

Classificação do Campeonato Brasileiro 2018

  1. São Paulo, 50 – Libertadores
  2. Internacional, 49 – Libertadores
  3. Palmeiras, 47 – Libertadores
  4. Flamengo, 45 – Libertadores
  5. Grêmio, 44 – Pré-Libertadores
  6. Atlético-MG, 42 – Pré-Libertadores
  7. Cruzeiro, 34 – Sul-Americana
  8. Corinthians, 33 – Sul-Americana
  9. Santos, 32 (um jogo a menos) – Sul-Americana
  10. Fluminense, 31 – Sul-Americana
  11. Atlético Paranaense, 30 – Sul-Americana
  12. América-MG, 30 – Sul-Americana
  13. Vitória, 29
  14. Bahia, 29
  15. Botafogo, 29
  16. Chapecoense, 28
  17. Ceará, 27 (um jogo a menos) – Zona de rebaixamento
  18. Vasco, 25 – Zona de rebaixamento
  19. Sport, 24 – Zona de rebaixamento
  20. Paraná, 16 – Zona de rebaixamento

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar