Copa do Mundo Rússia 2018

França x Croácia: Mbappé, Griezmann, Modric ou Rakitic? Quem tem mais chances de brilhar na Final da Copa do Mundo?

França x Croácia
Fotos: Shaun Botterill - FIFA/FIFA via Getty Images e Patrick Smith - FIFA/FIFA via Getty Images

Estádio Lujniki se prepara para um domingo (15) inesquecível e para uma decisão inédita, a partir das 12h (de Brasília)                          

A final será entre França e Croácia, mas ninguém vai exagerar ao dizer que o mundo inteiro vai prestar atenção neste confronto que terá seu pontapé inicial às 12h (de Brasília) deste domingo (15). A final da Copa do Mundo é um evento inesquecível e um marco na vida de muitos. E se isso é assim para nós, apaixonados por esporte, os protagonistas, então, certamente vão entrar no gramado do Estádio Lujniki com as pernas tremendo e sabendo que estarão diante da grande chance profissional das suas vidas.

Quatro deles despontam como os principais astros desta decisão. Pelo lado da França, os que têm mais chances de cravar o nome na história são Mbappé e Griezmann. Pela Croácia, a dupla dinâmica da vez é formada por Rakitic e Modric. Quem tem mais chances de brilhar? O Ganhador analisa a partir de agora.

 

Franceses: perna leve e cabeça pesada

Antoine Griezmann é o exemplo perfeito daquilo que queremos explicar. Há dois anos, a França vivia uma euforia ainda maior que a atual com a decisão da Eurocopa que foi disputada em Paris e perdida para Portugal – que, para deixar tudo pior, conquistou a taça mesmo sem não poder contar com Cristiano Ronaldo, que havia se machucado. Griezmann era a grande esperança de gols da França – algo como o que ocorre hoje com Kylian Mbappé, que não estava nem no banco naquela partida por ter então meros 17 anos.

Griezmann sumiu de campo – sendo o único homem de frente mantido por Didier Deschamps nos 90 minutos e na prorrogação daquela partida. É este peso do passado que ele carrega neste domingo (15). Caso jogue o que sabe e consiga conduzir a França ao histórico bicampeonato, a dívida com o passado estará mais do que quitada. Mas resta saber como ele vai reagir às dificuldades tão comuns nas decisões, ainda mais em uma tão importante assim.

As dúvidas se aplicam também a Mbappé, é bem verdade.

Embora ele até aqui tenha jogado como um verdadeiro craque, a história do futebol está cheia de exemplos de atletas que realmente se encolhem nas horas mais decisivas. Uma coisa é Mbappé brilhar quando não há pressões que realmente sufoquem o seu talento, por maior que seja. Ele vai entrar em campo neste domingo com uma expectativa sobre si que seria bastante difícil para qualquer veterano suportar. E não custa lembrar que ele tem apenas 19 anos. Resta saber se apesar da pouca idade ele conseguiu amadurecer o suficiente para dar conta de tamanha cobrança.

 

Croatas não veem a hora de terminar

Os franceses estão fisicamente tranquilos. Tiveram um descanso em pleno campeonato, ao poupar seis titulares no 0x0 contra a Dinamarca no encerramento do seu grupo, e ganharam as três partidas de mata-mata sempre no tempo normal – 4×3 na Argentina, 2×0 no Uruguai e 1×0 na Bélgica. A Croácia, por sua vez, está nesta decisão muito mais pela sua raça do que por qualquer virtude com a bola nos pés. Foram três prorrogações, contra Dinamarca, Rússia e Inglaterra. E nesses três momentos bicudos, os virtuosos Modric e Rakitic mostraram que têm a humildade e a combatividade necessárias para levar a Croácia adiante até mesmo nesta decisão.

O caso de Rakitic é ainda mais especial. Pelo desgaste acumulado, ele jogou contra a Inglaterra com febre e acabou a partida com quatro quilos a menos. Pedir qualquer coisa a ele nesta decisão chega a ser quase desumano. Por mais motivado que o ótimo meio-campista do Barcelona esteja, o seu corpo dificilmente vai responder bem a mais um grande esforço nesta decisão.

A situação de Modric é um pouco diferente. Ele é o jogador que mais correu na Copa até aqui, como mostramos ontem. Além da sua função ofensiva, ele está se notabilizando também por um incrível poder de marcação, acompanhando o jogador adversário até a conclusão da jogada e, não raramente, dando carrinhos para recuperar a posse de bola.

Chega a ser inspirador ver um astro de tamanha dimensão fazer tais sacrifícios em função da equipe. Modric, afinal, é camisa 10 do Real Madrid e um dos jogadores mais técnicos da atualidade. É extremamente provável que ele seja o escolhido como o melhor jogador do mundo pela Fifa em caso de conquista na Rússia. Ele, afinal, completaria uma temporada dos sonhos, ganhando a Liga dos Campeões pelo Real sobre o Liverpool, e erguendo a Copa do Mundo com um título sobre a França.

Sacrifício. Esta é a palavra que vai separar os vitoriosos dos derrotados neste domingo. E é bom a França não se achar por cima. O seu time é mais técnico e oferece mais recursos que a Croácia. Mas os croatas já mostraram que sabem bem o que fazer quando a situação aperta e quando só a técnica não é necessária – mas sim também uma enorme dose de coração a cada disputa de bola.

 

Jogo da final da Copa do Mundo 2018

Domingo, 15 de julho 

  • 12:00 – França x Croácia – Palpite: França

 

Comentários

2 Comentários

2 Comentários

  1. iara

    15 de julho de 2018, às 12:04

    1x2croacia

    • Anônimo

      15 de julho de 2018, às 12:25

      1×0
      frança

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.