Copa do Mundo Rússia 2018

De olho na liderança do Grupo E e vaga nas oitavas, Suíça é favorita contra a Costa Rica na Copa do Mundo

Seleção Suíça
Foto: Clive Rose/Getty Images

Com a possibilidade de empatar o avançar na competição, helvéticos têm boas chances de terminar a chave na ponta por conta do jogo de vida ou morte entre Sérvia e Brasil 

Poucas seleções que foram para a Rússia disputar a Copa do Mundo de 2018 têm feito o que se esperavam delas antes de a bola rolar, há duas semanas. Seguindo os prognósticos pré-mundial, que os a apontavam como segunda principal candidata – atrás apenas da Seleção Brasileira – do Grupo E, a Suíça está bem próxima de confirmar uma vaga para as oitavas de final. Após segurar o Brasil, do trio Neymar, Gabriel Jesus e Philippe Coutinho, na estreia, os helvéticos, invictos há oito jogos (cinco vitórias e três empates), conquistaram uma vitória heroica diante da Sérvia na rodada seguinte e agora dependem de um ponto contra a Costa Rica para atingirem o mata-mata. No embalo pelo triunfo de virada sobre os sérvios, que foi o primeiro alcançado por uma das 32 seleções no Mundial deste ano, os suíços enfrentam os já eliminados costarriquenhos. Confira a análise da partida que ocorre nesta quarta-feira (27 de junho), às 15 horas (horário de Brasília), em Nizhny Novgorod.

 

Dependendo de si

A Suíça chega na última rodada da fase de grupos dependendo de suas próprias forças para avançar. A conta é simples. Empatada com o Brasil na liderança da classificação com quatro pontos, a seleção europeia perde apenas no critério de desempate, já que tem saldo de gols inferior ao time dirigido por Tite (1-2). Logo atrás está a Sérvia, com três pontos, que fará justamente o embate de sua vida contra a Seleção Brasileira.

Sem precisar acompanhar o que ocorre em Moscou, os helvéticos têm de vencer a Costa Rica para garantir o seu lugar automaticamente no mata-mata. Até um empate contra os Ticos resolve, mas dada a falta de ambição dos costarriquenhos, que já não brigam por nada no torneio, uma vitória da equipe dirigida por Vladimir Petković é tida como obrigação.

 

Xhaka, Shaqiri e mais 9

Após dois jogos de Copa do Mundo, a Suíça mostra que a sua equipe é sim baseada em dois jogadores: Xhaka e Shaqiri. São eles os responsáveis pelas principais jogadas de ataque da seleção suíça, como podemos ver na vitória sobre a Sérvia. Mesmo multada pela Fifa por conta das comemorações pró Kosovo dos gols que definiram o triunfo suíço de virada, a dupla estará em campo nesta quarta-feira e deve, mais uma vez, ser fundamental para classificação europeia.

 

O caminho suíço

Depois de encarar o Brasil de igual para igual e arrancar um empate, a Suíça foi enfrentar os Balcãs sabendo que o resultado daquele jogo praticamente definiria seu destino na competição.

Mesmo tendo imenso trabalho com atacante Aleksandar Mitrovic, do Fulham, que abriu o placar logo aos cinco minutos de jogo em Kaliningrado e ainda teve outras chances para ampliar o marcador, os helvéticos sustentaram a pressão e igualaram as forças no decorrer do embate. A resposta ao jogo de força física dos Balcãs veio em um petardo de Xhaka. O jogador do Arsenal pegou a sobra de um chute de Shaqiri, e de fora da área, fez um golaço, sem chances para o goleiro Vladimir Stojkovic. O tento embalou os suíços, que tiveram pelo menos duas oportunidades de gol e controlavam a posse de bola, em torno de 60%.

Mas o gol da virada ocorreu apenas nos acréscimos. Em contra-ataque fulminante, Xhaka lançou o atacante do Stoke City, que na velocidade venceu a marcação e tocou na saída do arqueiro sérvio.

 

Fim melancólico

A esperança que tomou conta da Costa Rica antes do pontapé inicial da Copa do Mundo, com a oportunidade de mais uma vez fazer história e, quem sabe, surpreender os deuses da bola, desta vez não funcionou. Apesar de contarem com 13 jogadores que estiveram na inédita campanha que culminou nas quartas de final do torneio no Brasil, há quatro anos, os Ticos não lembraram nem de longe aquele time. Única exceção foi Keylor Navas, capitão e porto-seguro da equipe.

As derrotas para a Sérvia (1×0) e Brasil (2×0) só não foram maiores por conta do goleiro tricampeão da Liga dos Campeões com o Real Madrid, que se não fechou o gol por conta dos gols sofridos, contou com atuações exuberantes. Os costarriquenhos se despedem do torneio na Rússia de maneira melancólica. Se já não bastasse a pontuação zerada e a lanterna do Grupo E, os problemas de relacionamento no elenco, que segundo a imprensa local está dividido entre atletas da MLS, da Europa e do campeonato local, evidenciam à má campanha. Resta saber se a equipe do camisa 10 Bryan Ruiz terá motivação para parar a Suíça, coisa que, sinceramente, não acho.

 

Jogos da 3ª rodada do Grupo E da Copa do Mundo 2018

Quarta-feira, 27 de junho

  • 15:00 – Sérvia x Brasil – Palpite: Brasil
  • 15:00 – Suíça x Costa Rica – Palpite: Suíça

 

Comentários

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.